De Todos os Genros a Todas as Sogras – de “o ruminante” / belém

Eu, aqui representando todos os infelizes que tem a obrigação de conviver com suas sogras, venho por meio desta expressar toda a realidade que existe por trás desta guerra, sim se trata de uma guerra que por milênios sobrevive de batalha em batalha e, creio eu, esta  só terminará com o findar da humanidade.

Sou sabedor que todas as sogras negarão o que revelarei aqui, mas não me importo, pois é uma parte da guerra necessária à sua adequada continuidade.

Desde os primórdios da sociedade existe a notícia da existência da sogra, inclusive nos mitos da criação não é incomum termos a alegoria de um representante deste ser tão desprezível aos olhos dos genros.

Quem não conhece a história de Adão, Eva e a “serpente”. As pessoas que brincam que Adão que foi feliz por não ter tido sogra é que se enganam, a desgraçada está representada na serpente que influenciou sua esposa e desgraçou de vez com a vida dele.

As batalhas acontecem no dia-a-dia, não existe a chance de um só momento de paz. Trata-se de uma guerra silenciosa por parte delas, mas cheia  influências e jogos sinuosos incrivelmente inteligentes. Nós genros somos menos habilidosos em esconder a guerra, daí nossa declarada aversão a sogras, somos assim, sempre transparentes.

Essa transparência nos impede de ganhar esta guerra, pois enquanto vamos ao embate frontal, estas víboras se aproveitam disso para se fazer de vítimas e nos colocar como tiranos que tiraram a sua filha do melhor caminho que outro homem poderia ter dado a nossas esposas.

As sogras são tão hábeis em suas artimanhas que conseguem, por vezes, levar membros do mundo dos genros para seu lado, então ouvimos absurdos como: “Eu adoro minha sogra! Ela é uma mãe para mim!”

Pior ainda é quando as sogras treinam suas filhas para se tornarem excelentes cozinheiras, engordando e enfraquecendo um combatente que, por fim, acabara morrendo cedo por problemas de saúde.

Os genros, por outro lado, fazem de tudo para que elas sempre vejam em nosso grupo tudo o que elas jamais desejaram para suas filhas. Desta forma tornamos suas vidas um desgosto total.

Essa luta não gera vítimas diretas, pois as mortes que ocorrem não são por conta de ataques frontais, mas pelas coisas que ocorrem naturalmente na vida. O prazer de um genro é que sua sogra viva muito, assim ele pode atormentá-la por mais tempo. Para uma sogra, o prazer está em viver o suficiente para ficar totalmente dependente dos cuidados de suas filhas, atazanando incrivelmente a vida do casal que elas tanto querem separar.

Para vocês sogras, digo-lhes que não adianta separar sua filha de seu genro, pois outro será recrutado ao lugar do derrotado, porém agora mais voraz nos ataques, pois um companheiro de batalha fora derrotado.

Por fim, gostaria de dizer-lhes que, se acaso um de nós venha a perecer antes de sua sogra, saibam que foi uma grande honra lutar contra tão poderoso oponente. Caso contrário, uma péssima morte para vocês (isso nós vamos tentar garantir).

 

De Todas as Sogras a Todos os Genros*

*Carta em resposta ao texto: De Todos os Genros a Todas as Sogras

Aos nossos prezados genros.

Gostaríamos de expressar nosso espanto ao receber tão ameaçadora carta, pois desconhecemos qualquer guerra em curso que envolva nossas pessoas.Brincadeirinha! Isso foi só para garantir que vocês leiam o resto da carta totalmente irritados com nossa mais poderosa habilidade: a dissimulação.

De fato, desde o princípio da sociedade estamos disfarçando nossas artimanhas, estratégias e truques para mantê-los acuados na posição de defesa que todos vocês vivem. Enquanto isso, seguimos vitoriosas em saber que nenhuma de nós jamais se rendeu verdadeiramente, pois não há entre nós alguém que realmente gostou de um genro.

Quanto à história de Adão e Eva que vocês citam, saibam que assumimos a responsabilidade por tal evento, pois como poderíamos permitir que um ser tão deprimente vivesse em tão belo paraíso. Inadmissível!

Nossa maior vitória é ouvir de um genro que ama a sua sogra. É uma doce e prazerosa vitória que nenhum de vocês jamais poderá ter.

Não entendo quando dizem que em nossa guerra não há vítimas diretas. É só ver as estatísticas que apontam que os homens morrem mais cedo que as mulheres, que a maioria das mortes “acidentais” é de vítimas masculinas.

É claro que adianta separar vocês de nossas filhas, pois o estresse gerado e a pensão que vocês terão que pagar acabará por adiantar sua morte. Enquanto nossas garotinhas buscam outra vítima outro marido.

Não nos importa quem venha a morrer primeiro, pois nossa missão há sempre de ser cumprida. Não gostaríamos que vocês morressem cedo, mas não há como evitar diante a tanta estupidez. Quando um de vocês se vai, uma companheira nossa de guerra fica um bom tempo sem diversão.

Ficamos felizes por vocês nos reconhecerem como grandes oponentes. Infelizmente, para nós vocês são apenas inimigos medianos que servem para nos divertir. Que graça teria a vida sem importunar vocês.

Desde já agradecemos a abertura que nos deram para expressar nossos desafetos, dos quais continuaremos a negar. Inclusive acho que foi um de vocês que escreveu esta carta para nos incriminar, não foi?

Com muito amor e carinho.

De Todas as Sogras

 

About these ads

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 395 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: