Arquivos Diários: 11 dezembro, 2007

LA CUCARACHA, LA CUCARACHA! por carlos alberto pessoa (nêgo pessoa)

Um espectro ronda a “revolução” comunista do século XXI (AC), comandada pelo “bo(li)variano”-cucaracha sargento chávez – é o espectro do ridículo, o espectro do patético, o espectro do cômico involuntário, perverso como o efeito, aquele.
À PEDRADAS

Somente o gênio do Swift
seria capaz de bolar
cena como a de dias atrás na Bolívia,
quando um grupo de locales rechaçou à pedradas  avião militar do sargento chávez.
Quá-quá-quá.
Os invasores puseram o rabo entre as pernas e vieram pro Brasil.

OLHA O ÍNDIO

O índio idiota pediu desculpas ao sargento idiota.
E atribuiu aos EUA a crescente resistência da oposição boliviana.
Quá-quá-quá.

A NÃO VIDA IMITA A NÃO ARTE

Lá pelos anos 60, 70,
pintou no falecido Arlequim uma sátira
– O rato que ruge.
Não lembro mais de quem nem com quem.
Lembro que um país de merda,
praticamente inexistente,
declara guerra ou invade os EUA.
Guardadas as proporções
é o que fazem cucarachas como
o indio, sargento chávez, o boboca do equador e osenil babão, o mais velho criminoso impune da terra, fidel castro.

PRA QUE OPOSIÇÃO?

Sinceramente:
v acha que precisamos
nos opor seriamente a isso, a essas coisas?
Isso cairá de quatro!
Pelo ridículo!
Ligue as pontas!
Índio segue sargento
sob as bênções de Lulu, o metalúrgico.

La cucaracha/
la cucaracha/
ya no puede caminar/
porque no tiene/
porque no tiene/
las patitas para andar

MUDANÇAS ORTOGRÁFICAS a partir de 2008 – pela editoria

TOME  NOTA !!

A partir de Janeiro de 2008, Brasil, Portugal e os países da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste – terão a ortografia unificada.

O português é a terceira língua ocidental mais falada, após o inglês e o espanhol.
A ocorrência de ter duas ortografias atrapalha a divulgação do idioma e a sua prática em eventos internacionais.
Sua unificação, no entanto, facilitará a definição de critérios para exames e certificados para estrangeiros.
Com as modificações propostas no acordo, calcula-se que 1,6% do vocabulário de Portugal seja modificado.
No Brasil, a mudança será bem menor: 0,45% das palavras terão a escrita alterada.

Mas apesar das mudanças ortográficas, serão conservadas as pronúncias típicas de cada país.

O que vai mudar na ortografia em 2008:

– As paroxítonas terminadas em “o” duplo, por exemplo, não terão mais acento circunflexo. Ao invés de “abençôo”, “enjôo” ou “vôo”, os brasileiros (e os outros) terão que escrever “abençoo”, “enjoo” e “voo”;

– mudam-se as normas para o uso do hífen no meio das palavras; O hífen vai desaparecer do meio de palavras, com excepção daquelas em que o prefixo termina em `r´, casos de “hiper-“, inter-” e “super-“. Assim passaremos a ter “extraescolar”, “aeroespascial” e “autoestrada”.

– Não se usará mais o acento circunflexo nas terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou do substantivo dos verbo “crer”, “dar”, “ler”,”ver” e seus decorrentes, ficando correta a grafia “creem”, “deem”, “leem” e “veem”;

– Criação de alguns casos de dupla grafia para fazer diferenciação, como o uso do acento agudo na primeira pessoa do plural do pretérito perfeito dos verbos da primeira conjugação, tais como “louvámos” em oposição a “louvamos” e “amámos” em oposição a “amamos”;

– O trema (brasileiro) desaparece completamente. Estará correto escrever “linguiça”, “sequência”, “frequência” e “quinquênio” ao invés de lingüiça, seqüência, freqüência e qüinqüênio;

– O alfabeto deixa de ter 23 letras para ter 26, com a incorporação de “k”, “w” e “y”;

– O acento deixará de ser usado para diferenciar “pára” (verbo) de “para” (preposição);

– No Brasil, haverá eliminação do acento agudo nos ditongos abertos “ei” e “oi” de palavras paroxítonas, como “assembléia”, “idéia”, “heróica” e “jibóia”. O certo será assembleia, ideia, heroica e jiboia;

– Em Portugal, desaparecem da língua escrita o “c” e o “p” nas palavras onde ele não é pronunciado, como em “acção”, “acto”, “adopção” e “baptismo”. O certo será ação, ato, adoção e batismo ;

– Também em Portugal elimina-se o “h” inicial de algumas palavras, como em “húmido”, que passará a ser grafado como no Brasil: “úmido”;

– Portugal mantém o acento agudo no e e no o tônicos que antecedem m ou n, enquanto o Brasil continua a usar circunflexo nessas palavras:
académico/acadêmico, génio/gênio, fenómeno/fenômeno, bónus/bônus;