O BOM JUDEU poema de jairo pereira

vinte anos esperei o bom judeu q. me editaria
mirava os aviões escassos no céu interiorano
amanhã ou depois aterrisaria em Cascavel Foz
Curitiba ou Londrina e depois numa van até Quedas
o bom judeu vindo: e em sua maleta o contrato prévio
visto-revisto em minúsculas letras
de capciosas cláusulas
e onde cegamente eu o poeta otário assinaria
como um cordeiro escalado ao sacrifício
vinte anos convivi com o bom judeu em minha retina
o bom judeu q. era de vir viria um dia nunca veio
todo de negro óculos de aros claros calva ruiva e feio
o bom judeu da minha redenção midiático-financeira
alma numinosa e nas negras vestes botões cifrados
apto a colocar-me
na rica estante dos consagrados. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: