POEMA de joanna andrade

A musica, os ouvidos e EU,
Sutil passadas de veludo,
Corre repentina, sem sentido,
Desenterra VOCE.
Imagem intocável, virtual,
Minha vida nesse momento,
Infindável, iluminada.
Musica não pare,
Se parar,
Quero voltar a sonhar de novo,
Eu quero, eu quero.
Fazer o que puder até,
Não agüentar mais, até,
Esgotar.
O sorriso, o choro, as brincadeiras, as noites e os dias, as viagens, a beira da estrada, os limites, as diferenças,
Eu e Você e
O sapato perdido no telhado, a garagem, a escada, o terraço, a chuva, a dança toda, as roupas rasgadas, os gritos…..
                  Blank!  Blank!   Blank!
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: