JAIRO PEREIRA, JOÃO BATISTA DO LAGO, MARILDA CONFORTIN, KIMBERLY e JA COMENTAM EM : “COMA” poema de jb vidal

 

 

 COMENTÁRIO

jairo | IP:         em setembro 17, 2007 às 10:51 pm

Grande poema (COMA) de meu amigo Vidal. Eis o homem na antesala da morte. Matéria e pensar. Conhecimento & experiência. Signos fortes, altamente subjetivos. Indagações q. só um poeta é capaz de lançar no laboratório-vida.

Um poema pra ler reler transler.

jAirO pEreIra

 

 

  

COMENTÁRIO em “COMA –  poema de jb vidal” feito por JA Anonymous | IP:

Ele não é mais o mesmo, desconhece suas pegadas, são tão vazias. Essa tão inusitada leveza em que se encontra faz olhar o mundo como se fosse desconhecido e a ele nunca pertencido. Encontra o oco do corpo enquanto procura as emoções registradas e não as acha e perplexo fica boquiaberto, deixou que tudo assim transcorresse. Em jogo, perdeu a admiração, aquela que fazia seus olhos brilharem noite e dia, agora opacos apercebem-se do escuro. Acabou ficando inerte olhando o pássaro a voar através da vidraça do quarto que o acolhe. Acabou no presente contínuo do verbo e, talvez, nunca mais volte para onde esteve uma vez comigo e outra consigo.
Acabou de acabar com a vida nesse estiro de um suspiro fugaz e acabando com aquele olhar funesto e satisfeito, volta em carne e osso para contar um passado pretérito do perfeito presente.
Não existe mais explicação para esse desatino, a morte do errante se faz necessária, mas há o apego com esse inimigo e a questão se torna contra ele mesmo sobre o que fazer. Morrer sem perceber seria a dádiva vinda dos céus e matar conscientemente seria um ato contingente que requer astúcia, tempo e disposição.
Amar a si próprio até que a morte o separe do corpo venerado exige, de certa forma, a quebra do espelho que o amarra. A procura, constante, da beleza o faz cego, a feiúra passa a ser a concretização de seus erros e de suas falhas inaceitáveis, e o desejo da posse de seu próprio corpo se desfaz. A solidão o ataca de vez, dissimula sua realidade encantadora e o joga longe do espelho, debatendo-se por ver-se corrompida a própria imagem foge com o eco da feiúra, atormentado.
Sem o auto-desejo, sente-se impotente, sem controle, sem poderes de manipulação, sem ninguém, sem direção. Busca o desconhecido como afirmação para lançar sobre ele sua imagem na expectativa de retro alimentar-se devidamente. Alimenta-se, infla-se e volta contra o passado e a favor de um futuro cheio de efemeridades satisfatórias.
O circulo de narciso, a morte e a vida, a paixão pela própria sombra, a cegueira, a surdez, o pouco caso, a insensibilidade benfeitora que tentando destruir o outro quando quem acaba é ele mesmo. Macabra vida essa que não sabe se morre ou se mata.
JA

Set 19, 6:46 PM  

  

  

COMENTÁRIO em “ A INTELECTUAL PELADA conto de jb vidal” feito por joão batista do lago 

João Batista | IP

Belíssima crônica, meu caro JB Vidal. Despregada de artificialismo academicistas que os frescos e obtusos críticos querem – ainda hoje – impingir a uma forma lírico-pessoal – e só pessoal – de escrever. Vá em frente.
Bem sejas.

Set 12, 7:33 PM

  

  

COMENTÁRIO em “MANUTENÇÃO (editoria)” feito por marilda confortin: 

marilda confortin | IP:

Não sei de quem é esse blog, mas está muito legal. Tem uma penca de amigos aí… tem até poema meu.

Mas esse aviso, “EM MANUTENÇÃO”, me remeteu a uma gaiatice que escrevi. Segue aí pro dono do blog rir um pouco:

lógica

Meu computador precisava de manutenção.
Formatei o disco rígido,
instalei a última versão do sistema operacional,
programas novos,
fiz upgrade,
passei anti-vírus,
reconfigurei,
reinicializei.
Parabéns!
A instalação foi um sucesso!
Beleza! Parece que isso funciona.
Eu também preciso de uma manutenção.
Formatei o coração mole,
aceitei viver nesse sistema moderno,
programei rotinas novas,
deletei velhos amores,
fiz plástica,
abandonei os vícios,
tá legal, tudo de novo!
Recomeço!.
Fracasso total!
Não me reconheço!

(Marilda Confortin)

Parabéns pelo conteúdo do blog, seja lá quem for você.

Out 30, 7:58 PM  

 

 

 

 

 

 

 

  

COMENTÁRIO em “A CRIAÇÃO DA XOXOTA poema de mário quintana” feito por KIMBERLY:

kkkkkkkkkkkkkk morri!
Cade a criação do penis? aquela coisa estranha que mais parece algum marisco ou um dedão gigante?

aoieoeiaoeiaoejhoiajeaoioie ;D

Dez 15, 10:57 PM  

 

 

 

  

COMENTÁRIO no poema “ONDE É de jb vidal” feito por JA      

JA

 

O corpo, a mente, a alma liberta.
O corpo, a mente, o inerte.
A mente, embriagada.
O corpo abandonado
Onde se encontra o corpo e a mente nem sempre a alma habita.

Set 27, 4:06 PM

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: