SAIS DE MIM poema de jb vidal

lanço um olhar ao cosmos
na expectativa de senti-lo,
pulsar junto, ser infinito, ser todo,

sê-lo,

lentamente a imagem se reduz,
sem horizonte, as retinas não suportam fixar 
o olhar se cansa, os olhos se fecham, a cabeça tomba,

giro dentro de mim
transpiro rios de sais,
sinto e não sinto,
vejo tudo e nada,

ínfimo, sou grande,
grande, sou meu próprio cosmos

olhar sim, olhar-me

segundos infinitos me abduziram
reajo, retornar não!
miséria não, guerra não,
fome não, peste não,
amor não, ódio não,
morrer não, consciência não!

vida, vida sim!

se sou e não sei onde sou,
sou o que não sei,  onde não estou

Uma resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: