PÉS: estes órgãos íntimos – por jorge barbosa filho

 

Já pegaram no teu pé? Não? Que tal o seu chefe? O seu amigo? O time ou grupo onde você atua? “Pegar no pé” é uma atitude de reprimenda quando você vacila, falha ou comete algum erro. “Pegar no pé” exige alguma relação próxima de amizade, de trabalho ou íntima. Você não pegaria (declaradamente) no pé de quem você não conhece. Pegaria? Improvável…

Em nossas relações de amizade, amor e intimidade temos acesso a esse ato que a locução “pegar no pé” propõe, mas pegar no pé de alguém, literalmente, ou seja, meter a mão no pé de alguém ou passar a mão no pé de alguém, exige muita intimidade, com exceção dos médicos, podólogos e manicures. Já imaginou um estranho ou uma pessoa com a qual não tenhamos muita intimidade, passar a mão nos pés de nossos filho(a)s, namorado(a)s maridos e esposas? Imaginou? Qual seria a sua reação? No mínimo levantaria alguma preocupação e estranheza, concorda?

Sua reação de estranheza e preocupação não é infundada, pois os pés sãos os meridianos de todos os órgãos. Daí, podemos dizer que os pés são sensíveis, sensuais e sexuais. É a promessa de nudez representada pela carne à mostra. Os pés são os caminhos da tão almejada realização sexual.

Por que as mulheres têm tara por sapatos, ou adornam seus pés com anéis e correntinhas? E os pezinhos das gueixas? Todas sabem que os pés atraem, haja vista que em uma pesquisa 70% dos homens e 30% das mulheres têm atração sensual pelos pés.

Na arte e vida sensualidade e sexualidade “dão pé” e se misturam. Henfil usou Fradim para confessar que gostava de pés; Glauco Matoso, o poeta e andropodólatra gostava de chupar pés. No cinema várias cenas: Bridget Fonda em “Jackie Brown”, Salma Hayek em “Um drink no Inferno”, “Pulp Fiction” também há..Todos de Quentin Taratino confesso amante de pés. E não para por aí, os devotos dos pés estão na pintura e ilustação dos italianos Franco Sandelli e Roberto Baldazzini, do japonês Hajime Sorayama, na poesia de Pablo Neruda (“os teus pés” e “o inseto”) e vai por aí. Pés não faltam pra “deixar o bicho de pé”.

Na minha modesta opinião, pés sempre foram vulvas, seios e bundas. Há cartesianos com pouca imaginação que contestam. É compreensível pois nunca fizeram um “consolo” em forma de pé.

Depois de todo o exposto, leitor(a) você deixaria alguém pegar no pé do(a) seu parceiro(a)?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: