O DIA DO OUTRO por darlan cunha

Hoje não é dia de se comemorar nada com o Outro, mas farei com que seja, embora não me apeteça agradar por agradar, ou agarrar oportunidades reais e fictícias que me atravessem o caminho. Vivo de mim, e não longe de mim vive o mundo com a sua cabala, seus meandros, suas roupas de baixo.

Fui a um circo, onde fiquei mais tempo do que pode sugerir a simples ida a um divertimento; mas é que em tudo há mais de uma face (ou disfarce), e então entrei de naquele ambiente, arriscando-me talvez a pegar a alegria de algum animal, ou de levar uma mordida, mas

é torrando farinha que se aprende o pão; é fuçando nas latas de lixo que a gente começa a entender de luxo e luxúria, não é mesmo ?

O dia do Outro talvez não se mantenha como uma data a ser repetida por mim, mas não vejo porque não possa fazê-lo quem queira experimentar, e então sair dele com algum novo sestro, nova visão da Vida, do Outro.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: