o judiciário e você: é lamentável

é de arrepiar os cabelos, é de ir ao encontro do limite da paciência, é inacreditável! e nós assistindo tudo isso como se não nos dissesse respeito.

 

enquanto escovava os dentes, ouvi através do jornal HOJE (25/04/08 as 13:30) a seguinte notícia:

 

“pessoas portadoras de HIV, CÂNCER e ALZEIMHER, terão seus processos, de qualquer origem, julgados mais rapidamente pelo judiciário brasileiro.”

 

logo pensei “então temos agora mais alguns privilegiados, na rapidez de julgamentos enquanto autores.”

 

mordi a escova com tal força que estraçalhei as cerdas, mais um prejuízo!

enseguida imaginei “vai ter gente procurando parceiro com AIDS, transando até se esfolar para se contaminar, fazer o exame de sangue, entrar com pedido de juntada naquele processo que já rola há 10, 20, 30 ou mais anos no judiciário deste gigante que se nega a acordar.”

fiz o seguinte cálculo: o cara entrou com um processo aos 40 anos, já se passaram 20, ele agora está com 60, se contrair HIV e com os tratamentos de hoje ele vive mais 15! excelente! na mosca! o processo dele será julgado “imediatamente” e ele poderá, então, curtir a sua vitória que só viria caso não se contaminasse daqui mais 20 ou 30 anos, ou seja, estaria com 80 ou 90 anos, se vivo. recebendo agora com 60 tem mais 15 para aproveitar o ganho!

 

os advogados passarão a atender com luvas cirurgicas!

 

aviso “quem não estiver com uma dessas doenças, que deixe responsáveis para pagamento das custas e advogados antes de morrer!”

 

ridículo! simplesmente ridículo. mas a triste e cruel verdade.

 

a justiça que era cega, coisa que nunca acreditei, agora passa a espiar por baixo da venda e com isso eleger privilégios, ainda que com discurso “humanitário” assumindo, assim, que milhares de pessoas com processos nas diversas instâncias MORREM antes do julgamento final!

 

o privilégio, senhores do judiciário, deve ser de todo cidadão brasileiro que, com grande sacrifício paga “o custo Brasil,” os senhores inclusos, bate às portas em busca de uma decisão isenta e rápida, óbvio, antes da morte natural. 

 

sinto-me um “cidadão de segunda classe” como afirmava meu grande e bom amigo Darcy Ribeiro.

 

JB VIDAL

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: