A ARTE ESTÁ DE LUTO, MORREU MÁRIO SCHOEMBERGER

                  Aos 56 anos, morre o ator curitibano Mário Schoemberger.

 

                   foto de Jonathan Campos/Arquivo/Gazeta do Povo.

Com trabalhos em inúmeros filmes e peças de teatro, ele foi um dos representantes mais importantes de sua geração. Versátil, com currículo extenso e atuações na televisão, teatro e cinema. Mário Schoemberger, ator curitibano capaz de transitar com tranqüilidade entre papéis cômicos e trágicos, que já passava por problemas de saúde há mais de um ano, morreu nesta quarta-feira (14) aos 56 anos.

O velório está marcado para esta quarta-feira (14) às 23h, na Sala de Exposições do Teatro Guaíra (Praça Santos Andrade, s/n.º). O corpo do ator deixa o teatro às 16h desta quinta-feira, e segue para o Crematorium Metropolitan em São José dos Pinhais, onde será cremado.

Carreira longa no teatro, televisão e cinema

Em sua carreira de longos 37 anos, Schoemberger já passou pelos palcos do teatro, pela telinha da televisão e pelo cinema.

Alguns destaques dentro de seu vasto currículo no teatro, destacam-se a obra “Memória Póstumas de Brás Cubas”, com direção de Nauttíulio Portela, “Pinha, Pinhão, Pinheiro”, sob direção de Fátima Ortiz, “As Bruxas de Salém”, trabalho dirigido por Marcelo Marchioro, “A Casa do Terror”, de João Luiz Fiani e as mais recentes “Jantar Entre Amigos (Pequenos Terremotos)”, de Felipe Hirsch e “Três Versões da Vida”, com direção de Elias Andreatto.

Ele trabalhou também como diretor teatral em várias montagens como “O Processo”, com texto de Fátima Ortiz, “A Ceia dos Cardeais”, de Júlio Dantas e “Trancentina II”, de Enéas Lour.

No cinema, pode ser visto no curta “A Loura Fantasma” e no média-metragem “Vítimas da Vitória”, com direção de Berenice Mendes. Schoemberger também pode ser visto no filme “Trair e Coçar É Só Começar”, “O Cheiro do Ralo”, e também na comédia “Os Normais – O Filme”, no qual faz um oficial do navio.

Na televisão, seu trabalho pode ser visto em várias séries da TV Globo, como no seriado “Os Aspones”, “A Diarista” e “A Grande Família”. Ele já recebeu o Troféu Gralha Azul na categoria ator pela peça “Os Mistérios de Curitiba”, obra baseada no texto de Dalton Trevisan e pelo qual recebeu ótimas críticas, entre outros prêmios.

 

por Angela Antunes e Irinêo Netto.

fonte RPC.com

2 Respostas

  1. Para nós artistas, a perda é imensurável, para os demais, parabéns pela gama informativa aqui postada.
    Mário´um grande exemplo de vocação que o reconhecimento nada mais é fruto consequente do seu desempenho como pessoa, e principalmente, como um artista e profissional completo, que sua plenitude nos inspire: ator,diretor e mais do que tudo pessoa inesquecivel ! para aqueles que tiveram o prazer de trabalhar e conviver junto com este especial amigo! Mário, voce faz muita falta! Nós aqui embaixo sempre estaremos juntos! descanse em paz! tenho certeza que nos veremos, nem que seja nas nuvens da nossa senhora da boca de cena..um beijo do tamamho do mundo!

  2. É uma pena quando morre um artista, parece que a cultura fica sem mais orfã. Meus sentimentos a fam´lia.
    Quanto a vocês dessa agencia de notícias, parabéns, foram pouca aquelas que colocaram foto desse ator para que nós ficassemos mais informaos e pudessemos reconhecê-lo.
    Até mais, Ana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: