TERCEIRA PEDRA poema de jorge barbosa filho

inscrevo nessa pedra

com saliva e suor sereno

o epitáfio vivo e ingênuo

do meu nome e do meu ser em volta.

 

inscrevo, ainda mais, nela

com sangue e sêmen de astronauta,

a história dos vôos da alma

naquilo que serei, sou e era.

 

essa coisa que no céu levita

e no nosso ser navega,

uiva em tuas mãos aflitas:

as línguas do mar e da terra.

 

uma lua cheia de lua nova,

fúria de imperfeita forma

que no fundo, é um afago que te acalma

onde quer que eu esteja,

 

pois nela não há alguma ciência:

há apenas a terceira pedra,

a distância que nos integra

em nosso olhar de reticências.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: