DECLARAÇÃO poema de zuleika dos reis

Para Álvaro Alves de Faria

 

 

Afirmo sob juramento: Hoje

nesta terça-feira, dia de Marte,

na noite seqüestrada pela urbe

vi uma estrela no profundo céu.

 

 

Temo que não consigas tu me ouvir

no bulício de tantas aflições.

Temo que não me possas tu falar

em hora assim, de céus longe demais.

 

 

Contrapondo, tal flor furando o asfalto,

ouso afirmar-vos: Eu vi uma estrela

fugitiva das luzes de néon.

 

 

A vós, poeta por escolha e fado,

a contragosto arauto deste Reino,

reafirmo: Uma estrela escapou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: