Ser-âmica – poema de cleto de assis

Matéria arrancada do ventre da terra

Vem a minhas mãos para ser amassada

                                    obediente

                                    mentalizada

                                    moldada

                                    torneada

                                    formada.

 

Com as pontas dos dedos

                                     pressiono

                                     pressinto

                                     imagino

                                     rezo

                                     me deifico.

 

Ela se forma na deformação

                                     indolente

                                     dolentemente

                                     ardilosamente

                                     argilosamente.

 

E só terá sentido se abandonar a brandura

                                     a ternura

                                     a suave textura

                                     para, dura,

                                     cingir-se em definitiva arquitetura.

 

Para cumprir teu destino, acrisola-te no fogo.

Tu és pedra: e sobre teus cacos construo a minha vida.

 

Curitiba – 10.jan.2008

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: