OS MENINOS E EU poema de bárbara lia

 

Os meninos empinavam pipas;

eu, pássaros.

 

Os meninos folheavam revistas

de garotas nuas;

eu, assistia ao namoro dos sapos.

 

Os meninos iam ao cine;

eu, atravessava a pé

o igarapé.

 

Os meninos desenhavam piratas

tesouros, navios;

eu, a escafandrista solitária.

 

Agora

solidão nos devora

em negros prédios

meio à elite ignara

 

Os meninos vestem

negro/desencanto

seguem com cifras

nas pupilas vítreas

 

Tão tristes os meninos

reclusos, bebendo

o índice Dow Jones

com café.

 

Trocando de amantes

a cada inverno.

A alma pesada os faz andar

em cadência de elefante.

 

Eu,

desenho gravuras

em tons rosa chá

teço minhas roupas

danço minhas músicas

escrevo meus poemas.

 

Não atravesso

o vidro frio do templo

moderno

– shopping center –

 

Não atravesso

a porta de cedro

do antigo templo

 

(enquanto o Vaticano

não doar aos pobres

todo o ouro seu)

 

Vivo nas esferas

desço ao chão

para pisar águas

dos igarapés.

 

Adormeço

no berço-arraia

que me embalazul

no “mar/

belo mar selvagem…”

 

 

 

 

“Os meninos e eu” – poesia classificada entre as dez finalistas do Concurso Nacional de Poesias Helena Kolody – 2.007

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: