A ONÇA poema de jairo pereira

A onça pintada

ronda meus caminhos

na mata

a onça velha, fez

sua morada

bem próximo do rio

:a onça meio-turista:

a onça monitorada

à meia-noite atravessa

a passarela sobre as águas

das cataratas do rio Iguaçu

a onça marcada em coleira

a onça vadia

a onça do slide na sala

de palestras

a onça com território

delimitado a onça

desmilíngüida

a onça suja de musgos

trançada de cipós

a onça

do debate na assembléia

dos ecologistas

a onça entocada

apartada dos seus

a onça da margem

esquerda e direita do rio

a onça vil e perigosa

a onça resistente do Parque

Nacional a onça

subsidiada a onça

a onça amiga dos

quatis e que só caça

preá e bem-te-vi

a onça esquecida

de morrer a onça

anacrônica, vesga

e desdentada

aparecida

na televisão.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: