PEQUENAS CONSTATAÇÕES na FALTA DE MAIORES – por juca (josé zokner) 26/03/09

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

“Tá tudo ruço:

Um papai-noel

No carnaval

E um arlequim

No Natal.

Tá tudo mudado”,

Disse o pinguço

Com a língua enrolada

Pra namorada,

Antes apaixonada,

Agora, esquiva

Não mais compreensiva,

Nem compassiva.

Coitado!

Coitada!

Coitada?

Constatação II

Não se pode confundir plumas e paetês com pumas e patês, porque, como dizia numa novela o personagem do ator paranaense Tony Ramos: “Uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa”. Elementar, minha gente.

Constatação III

Levou um sopapo

E uma bronca da mulher:

“Não explicou

Nada

Esse batom,

Meio-tom

Marrom

Que a camisa manchou

Só papo.

E pior, furado!

Não sou uma qualquer.

Sou uma fada

E do bem.

Você quer

Ter um harém?”

Coitado!

Coitada!

Constatação IV (Dúvida crucial via pseudo-haicai).

A inócua retórica

Dos políticos

É histórica?

Constatação V

Ela caprichou

E se produziu.

De nada adiantou.

Continuou com cara

De bugio

Misturada

Com arara.

Coitada!

Constatação VI

Copo vazio

De vinho

Me dá fastio

Me dá brotoeja

Só curável

Com carqueja

E muito provável

Com cerveja,

Onde, claro,

Não falte o raro

Colarinho.

Constatação VII

Não se pode confundir coligido (no sentido de acumulação), com corrigido, mesmo sendo pronunciado por chinês e japonês, muito embora tenha muito político que tem coligido patrimônio em valores tais que dobra triplica ou mais em pouquíssimo tempo, conforme a mídia recentemente destacou, sem que tenha explicado convincentemente a fonte e não ter corrigido na sua – dele – declaração de imposto de renda.

Constatação VIII

O marido,

Pelo ciúme,

Ficou carcomido.

Sentiu o olor

Na mulher

Do perfume

Do seu sócio

“Mas logo o beócio!”*

Aí, melancólico

Rememorou

Que já tinha sido

Um grande amor

E de até bucólico,

Do tipo bem-me-quer

E que virou

Chinfrim.

E, tristemente, pensou:

“Coitado de mim!”

*Beócio = “que ou o que não possui conhecimentos suficientes em determinado domínio; ignorante”. (Houaiss).

Constatação IX (De uma dúvida crucial).

Por que será que há tantos acidentes em minas, na China? Será que um país com tão alta tecnologia, não poderia cuidar de seus mineiros? A explosão com muitas mortes e feridos tem sido uma constante em aparecer na mídia. Será que a China é como certos países em que à vida não se dá o devido valor?

Constatação X

Rico fica enfermo; pobre, doente.

Constatação XI (Poeminha dos tempos medievais).

O cavalo corcoveava

O cavaleiro, na sela,

Se sustentava,

Por aquelas arenas,

Para impressionar

A donzela

Com quem queria

Se casar

Mas ela, isso, não sabia.

Dele, mera ilusão?

Ou apenas,

Falta de comunicação?

Constatação XII

Foi juntar graveto,

No meio de um mato

Que não lhe pertencia

O que caracterizou um furto.

Pelo caminho mais curto,

Usou a hipotenusa,

Mas por um acesso cerrado,

Ao invés do cateto.

Rasgou a blusa,

Que não havia

Saído barato.

Proferiu

Um pequepê

Sonoro

O namorado

Riu

Do fato.

“Você ri e eu choro.

Não me venha!

Tá rindo de quê?

Preciso fazer um fogo

Pra fazer um prato

No forno

A lenha

Com azeite de dendê.

Se não quiser comer

Pode fazer a pista,

Pode já desaparecer

Da minha frente!

E não insista

Em permanecer

Seu corno,

Seu demagogo,

Seu impotente,

Seu transviado”.

Coitado!

Constatação XIII

O assim chamado meu lar

Está na direção

Do avião

Que vai aterrisar.

Como ele tá, ou não,

A fim de me acordar,

Na madrugada,

E eu não posso fazer nada

Ao perder

O sono,

Sem mais poder

Tirar

Uma reles pestana,

E por me sentir no abandono

Me ponho a ler

Os Mário’s Benedetti e Quintana.

Constatação XIV

Ela deu um espirro

Tão alto e profundo

Que ele acordou

Assustado,

Atordoado

Achou

Que era um rugido de leão

Com um tiro de canhão

E o fim do mundo.

Coitado!

Constatação XV

E como dizia a gatona, explicando a Teoria da Relatividade para as amigas principiantes* no assunto: “É muito melhor acordar nos braços do companheiro do que agarrada no travesseiro”.

*Não ficou claro se as amigas eram principiantes na Teoria da Relatividade ou em acordar nos braços de um eventual companheiro, ou, ainda, nos dois casos. Tão logo Rumorejando possa esclarecer tal fato de transcendental importância – não para a Humanidade, mas para elas – dará a conhecer aos seus gentis leitores. Obrigado pela compreensão.

Constatação XVI

Ela sofria

De um desvio:

Se punha a olhar

Para o mar

E dizia

Que era um rio.

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: