ESPUMA E SOMBRA poema de lilian reinhardt

…em única morada nos  ouvimos e  nos habitamos…
                                         

        De onde vens palavra minha?!
           Para onde vais?!…
           Espuma e sombra  sob os véus
          reluzes e sombreias a minha prancha
           doce é o  enlevo do  teu beijo  
           e formosa a composição de tuas formas
           De   incenso é a tintura de teus sons
           mas a sombra não descalça os teus pés
           nem o   plasma de  tua boca
           nem este enredo  da asa de teu verso
           Mas meiada  de teu rochedo 
           em meu sonho
            e plasma aceso em mim neste vaso
            me alcovas com tua luz  e me  exparges…
           Ainda ontem te  colhi  flor
            do meu sal!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: