ORAÇÃO AO OUTRO poema de joão batista do lago

Vejo-te, Outro,

amor da minha conduta.

Tudo o mais, além de ti,

é ilusório;

Representação falsa dos românticos,

Naturalistas dum tempo de sonhos.

 

Vejo-te, Outro,

símbolo máximo da razão.

Tudo o mais, além de ti,

é desprezível;

Devaneios de encantos de seres diacrônicos,

Vidas que se arrastam sem o deus-mercado.

 

Vejo-te, Outro,

mercadoria do meu consumo.

Se nele não te encontras:

não és nada…

Vê-se, pois, não tens a alma dum cifrão.

 

Vejo-te, Outro,

com minha visão de lucro.

Se nela não te sonho:

nada vales…

És mercadoria podre – espírito sem capital!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: