PONTE DA AMIZADE (Brasil-Paraguai) poema de solivan brugnara

 

                 

                  O concreto da ponte flutua

                        tem algo de voar, de lento voar

                            algo que me deixa gasoso

                             ao andar sobre ela.

                      Porém parece só acontecer comigo,

                         os outros pedestres estão mais pedra.

                       Vejo engarrafamento, suor e contrabando,

                           mas a ponte se mantém tranqüila

                             com uma docilidade cetácea. 

                    Embala os que mijam, roubam, buzinam e xingam

                               sobre suas costas.

                        É das coisas que conheço

                           a mais próxima da santidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: