Arquivos Diários: 30 junho, 2009

MAURICIO MARQUES em turnê pelo Brasil

MAURICIO MARQUES - mauricio-marques_04-

MAURÍCIO MARQUES

Violonista gaúcho de grande expressão e com sólida carreira dentro da música regional do Rio Grande do Sul, Maurício Marques desenvolve um amplo trabalho, voltado à composição e orquestração dentro do regionalismo. “Resolvi fazer um disco mostrando minha visão da nossa música e suas várias vertentes. Aqui temos a influência das raízes rurais, em que a milonga é o principal elo de ligação, assim como o chamamé, a vaneira, e uma infinidade de ritmos. Mas também temos a influência do choro, do samba e do maxixe, ritmos que há muito tempo são praticados por aqui”, afirma o músico. Ritmos como choro, tango, milonga, chamamé, chacarera, candomblé, valsa, baião, zamba e chamarra, dão seqüência ao trabalho de pesquisa de ritmos e aplicação deste material em novas composições.

Maurício Marques é um violonista de mão cheia. Gravou Astor Piazzolla, participou da Orquestra Brasileira de Cinema, dividiu o palco com Toquinho, Kleiton e Kledir, Plauto Cruz, Dominguinhos,Luiz Carlos Borges, Renato Borghetti e muitos outros grandes músicos brasileiros. Seu primeiro disco, Cordas ao Sul, obteve três indicações ao Prêmio Açorianos de Porto Alegre, em 2004, e foi premiado como melhor instrumentista regional. Desde 2005 integra oQuarteto Maogani, ao lado dos violonistas Paulo Aragão, Carlos Chaves e Marcos Alves. Com esse grupo, excursionou pela Europa e fez a abertura do show de Sérgio Mendes, em Los Angeles. Teve um livro com suas composições editado na França pela Editora Henry Lemoine, dentro da coleção Sergio Assad.

Participam do show Milongaço os músicos Maurício Marques no violão de oito cordas, Felipe Alvares no baixo, Luciano Maia no acordeon,Marco Michelon na percussão e Celau Moreyra no violoncelo.

Sobre o disco – por Maurício Marques

Resolvi fazer um disco mostrando minha visão a respeito da música regional do Rio Grande do Sul. Aqui temos a influência das raízes rurais, onde a milonga é o principal elo de ligação, o chamamé, a vaneira, enfim, uma infinidade de ritmos. Mas também temos a influência do choro, do samba e do maxixe que há muito tempo são praticados por aqui. O gaúcho Octávio Dutra, um grande compositor nascido em 1884,passou sua vida praticando o choro junto com centenas de músicos que também tocavam este gênero. Depois veio Jessé Silva, Túlio Piva, Lupicínio Rodrigues. Quanto à música clássica, base de meu estudo em violão, foi trazida pelos primeiros colonizadores portugueses e espanhóis, e depois pelos imigrantes italianos e alemães, dentre muitas outras etnias que aqui aportaram e formaram a cultura do povo gaúcho. Todas estas informações e influências resultaram em um disco bastante camerístico que mistura elementos da música gaúcha, do choro e da música clássica.

Serviço:

Datas da turnê:

Teatro Regina Vogue – Curitiba. 30 de junho – Theatro São Pedro – Porto Alegre. 01 de julho – Teatro do Sesi – Rio de Janeiro. 03 de julho – Espaço Cultural Cachuera – São Paulo.

Informações para a imprensa:
Anaterra Viana
Verdura Produções Artísticas
(41) 3324 8446 e 99065906

verduraproducoes@gmail.com

Ivo Rodrigues se recupera bem do transplante de fígado e deixa a UTI – editoria

Há três anos o músico passava por tratamento médico e esperava pela cirurgia.

IVO RODRIGUES no KAPELLE PUB

IVO RODRIGUES no KAPELLE PUB

O vocalista da banda curitibana BlindagemIvo Rodrigues, passou por um transplante de fígado noHospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná (UFPR), na quinta-feira (25). A cirurgia começou às 17 horas e terminou às 23h50. A operação foi bem-sucedida e Ivo se recupera na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do hospital.

De acordo com o médico Júlio Coelho, professor titular e chefe do Serviço de Cirurgia do Aparelho Digestivo e Transplante Hepático do HC, apesar de ser uma cirurgia grande e complexa, a operação do vocalista ocorreu de forma tranquila.

“Ele recebeu um órgão de um doador jovem, de 24 anos, que sofreu um acidente de moto em Telêmaco Borba (Campos Gerais”, disse o médico. Segundo Coelho, Ivo ainda continua na UTI, mas já foi retirado da respiração artificial. “O fígado já está funcionando normalmente, com uma evolução boa da função hepática. Se continuar assim, em dois ou três dias ele deve sair da UTI”, explicou.

Segundo o médico, o transplante de fígado é um procedimento cirúrgico de elevado risco. “A porcentagem maior de risco já passou, mas ainda é preciso ter muito cuidado nestes primeiros dias de recuperação, pois o fígado tem uma função muito importante”, disse Coelho. O médico acredita numa rápida recuperação do vocalista.

“Prevemos que, se continuar bem a recuperação, em torno de um mês e meio a dois meses ele já possa voltar às atividades normais”, definiu Coelho, inclusive com shows, para alegria dos fãs da banda.

Mudança de vida

Há três anos Ivo esperava na fila do transplante por um fígado. Durante esse tempo ele tomou remédios e fez tratamento, com acompanhamento médico feito pela equipe de transplantes do HC, contra a insuficiência hepática, causada pelo consumo de bebidas alcoólicas. O baterista da banda Blindagem, Rubén “Pato” Romero, afirmou que o grupo vai esperar a recuperação do cantor, mas continua cumprindo os compromissos assumidos.

“Vamos continuar trabalhando. Enquanto o Ivo se recupera, vamos contar com outro vocalista. Ele (Ivo) vai se recuperar bem e vai voltar com tudo para a banda”, afirmou Pato Romero. O baterista disse que Ivo precisou mudar o estilo de vida durante o período do tratamento.

“Quem acompanha a banda de perto sabe como ele estava esses últimos anos. O Ivo mudou o estilo de vida para não morrer e continuar com a banda. Ele estava doente, tomando remédios e não podia continuar bebendo como uma pessoa normal”, definiu o baterista.

A banda

A Blindagem é uma das bandas pioneiras da cena do rock paranaense. Formado no final dos anos 70, o grupo alcançou projeção nacional nos anos 80. O poeta curitibano Paulo Leminski teve grande influência na história do grupo. A parceria Leminski/Blindagem rendeu 11 músicas para a banda.

A Blindagem conta com a seguinte formação: Ivo Rodrigues (vocalista), Paulo Teixeira (guitarra),Alberto Rodriguez (guitarra), Paulo Juk (baixo) e Rubén “Pato” Romero (bateria). Confira o som da Blindagem no myspace da banda.

Doação de sangue

Amigos e familiares do vocalista Ivo Rodrigues pedem a ajuda de doadores de sangue, para repor o Banco de Sangue do Hospital de Clínicas. Pode ser sangue de qualquer tipo.

Endereço:  Banco de Sangue do Hospital de Clínicas de Curitiba. Av. General Carneiro, 181 Centro. Fone: 41 3360-1800

Fazer a doação em nome de Ivo Rodrigues Junior.

foto do arquivo do site.

texto GP.