PRIMAVERA de philomena gebran / curitiba

TULIPAS ROJAStulipas.  foto livre.

urgente preparar-me

acordar, ficar atenta

prestar muita atenção

.

para quando a primavera vier

.

quero lavar-me no fraescor

do orvalho da manhã

mesmo antes de o sol chegar

.

para quando a primavera vier

.

quero despir-me da noite

do frio, da bruma da névoa

das nuvens, do chumbo

.

para quando a primavera vier

.

quero lavar meu rosto pálido

minhas mãos vazias e frias

meus olhos cinza e triste

.

para quando a primavera vier

.

quero soltar meu coração

quero correr livre e nua

beber o ar da manhã,

.

para quando a primavera vier

.

quero deitar-me na grama,

cobrir-me de flores

vestir-me de todas as cores

.

para quando a primavera vier

.

quero abrir meu corpo, minha alma

libertar-me de tudo, de todos

entregar-me nua e pura

.

quando a primavera chegar

7 Respostas

  1. A leveza encantadora deste poema, a sua frescura, tudo nele me faz imaginar relvados perlados de orvalho, flores recem abertas perfumando o ar, enfim é um quadro lindo da primavera que já chegou.
    E você faz parte desse quadro, como uma ninfa dos bosques.
    Adorei. Parabéns.
    Vera Lucia

  2. Sônia Régis,
    pego uma carona no teu recado à Philomena, para te perguntar se você é a Sônia Regis Barreto com quem partilhei, ao lado de outros tantos poetas, em 1965, a Noite da Poesia Paranaense, no Teatro Guaira, em Curitiba. Escrevi em setembro de 2008 um artigo sobre aquele inesquecível acontecimento. Está na Internet: A NOITE DA POESIA NO TEATRO GUAIRA. Se for você Sônia, vamos encontrar um espaço virtual para comemorar essa saudade.
    Um fraterno abraço…, Manoel de Andrade

  3. Enfim, Philomena, tenho notícias suas. Busquei na Internet e encontrei seu poema. Que bom! Tenho tentato seus telefones, mas não há resposta. Se puder, dê notícias. Abraço carinhoso, Sônia Régis.

    1. Sonia querida
      quebom saber de você pois o mesmo acontece comigo; já tentei procura-la por toda pare e nada; ainda bem que existe este blog do nosos maravilhoso Vidal; escreva por favor;email philomenagebran@uol.com.br
      saudades e beujos
      Philomena

  4. manoel querido
    Só podia ser de você esse comentário tão generosos sobre meu poema;como não perccebi antes? Obrigada pelas suas ´palavras
    beijos
    Philomena

  5. Minha querida Philó…, que versos lindos, que delicadeza com as palavras, que refinado lirismo e com que sensualidade tu te desnudas na poesia.Que primavera tu esperas? Se essa é a aldeia onde vive, nua e pura, a tua alma…

    1. Querido Vidal
      gostaria de saber de quem é sete tão gentil comentário sobre meu peminha, para agradecer, enfim agradeço através de voc~e
      b eijos saudosos
      Philomena

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: