Arquivos Diários: 18 setembro, 2009

SALVADOR DALÍ em “LIBELO CONTRA ARTE MODERNA”

“Portanto, a meu ver (nunca insistirei o bastante sobre esse ponto de vista), é precisamente a arquitetura ideal do Modern´Style que encarnaria a mais tangível e delirante aspiração de hipermaterialismo. Encontrar-se-á uma ilustração desse SalvadorDaliparadoxo aparente numa comparação comum, empregada, é verdade, em mau sentido, no entanto muito lúcida, que consiste em assimilar uma casa modern´style a um bolo, a uma torta exibicionista e ornamental de “confeiteiro”. Repito que se trata aqui de uma comparação lúcida e inteligente, não apenas porque denuncia o violento prosaísmo-materialista das necessidade imediatas, sobre o qual repousam os desejos ideais, mas também porque, por isso mesmo e em realidade, é feita assim alusão sem eufemismo ao caráter nutritivo comestível dessa espécie de casas, que não são outra coisa senão as primeiras construções erotizáveis, cuja existência verifica esta “função” urgente e tão necessária para a imaginação amorosa: poder comer, da maneira mais real, o objeto do desejo.”

3Salvador-Dali-Portrait-of-Paul-Eluardobra do pintor.

O GRANDE MÚSICO de otto nul /palma sola.sc

ele voltou

sempre volta

à época própria

faz sua récita

músico virtuoso

de gênio sem igual

de dobres ricos

inventa a pauta

anda aqui e ali

artista itinerante

graças a seu talento

a beleza se renova

no ar soa a música

que vem de Deus

Auto Ajuda! Nem Pensar! por ” o ruminante”* / belem.pa


Estive tentando ler o livro “O Monge e o Executivo”, digo tentando, pois não sei como alguém pode achar este livro tão bom, existem diversas contradições entre o que está querendo ser passado e os panoramas que envolvem as lições.

Acho que no final das contas vou acabar sendo muito criticado, pois o livro é muito famoso dentre a literatura de auto-ajuda (algo que desprezo por natureza), mas vou opinar em algumas mensagens que em breve pretendo escrever.

O problema deste tipo de literatura não está no livro, pois se trata da opinião de quem o escreveu e de sua intenção de ganhar dinheiro (e isso é um direito de cada um), mas da idolatria criada pelas pessoas que lêem estes livros, considerando-os a solução para suas vidas profissionais ou pessoais. Buscando angustiadas pelas soluções que por vezes não se aplicam as suas situações específicas, acabam por perder o senso crítico.

Não é incomum, por vezes, acontecer de alguém tentar aplicar os princípios deste tipo de literatura e não ter sucesso, piorando ainda mais a auto-estima do indivíduo que fracassou, pois não percebeu que seu caso não se aplicava a opinião e experiência do escritor.

Estou tendo a oportunidade de acompanhar uma pessoa que está empolgadíssima com estes livros, porém o seu sucesso é questionável, pois ao contrário do que deveria estar conseguindo, ninguém a respeita. Sua situação chega a ser ridícula, porém como ela possui o direito de fazer estas coisas, que siga em frente! Mas vai acabar virando conto escrito por mim qualquer dia desses.

Pior ainda, é que o mundo literário tem estimulado esta máquina de vendas que são os livros de auto-ajuda. Em outras palavras: todo o marketing que existe é só para explorar as pessoas angustiadas com suas vidas. Ao invés de promover a leitura que levaria as pessoas a pensarem sozinhas.

PENSAR SOZINHO! É isso que não querem que as pessoas façam! Se você aprender a pensar sozinho vais descobrir que quase tudo que é lançado de forma espalhafatosa pela mídia é bosta pura. Material escrito por pessoas que tem dinheiro influência para garantir suas publicações e sucesso.

Tenho pouca experiência literária, mas agradeço aos meus pais que sempre me estimularam a me virar sozinho e aprender a pensar, portanto estou voltando minha atenção a livros mais clássicos e/ou autores que me pareçam não serem um dos grandes cafajestes que estão vivendo a suas custas! Sim, as suas custas, pois da minha não mais viverão.

* o site tem a verdadeira identidade do autor.