Arquivos Diários: 19 setembro, 2009

Pileque – de marilda confortin / curitiba


Quando a  sede é tanta

Que a garganta fica seca

Me excedo, seco a fonte

Me embebedo, perco a conta

E seja lá o que deus quiser

.

Quando a sede excede

Um trago  só não basta

Me embriago quebro a taça

Tasco fogo me incendeio

Meto os  peitos, faço feio

E seja lá o que deus quiser

.

Mas se deus não quer

Eu não quero nem saber

É só você querer

Que o resto se ajeita

A gente deita e rola

Se enrosca se embola

Fica como o diabo gosta

E como a gente quer.