OUTRO OLHAR: LULA PALOMANES, a arte sem limite de transgressão – II – por bruno liberati / rio de janeiro

Uma mirada de viés que entorta a realidade. Um trabalho cerebral, com muito de experimentação e suor nesta procura.

Lula, esta é sua assinatura. Por trás dela está a pessoa física de Luiz Fernando Palomanes Martinho, que nasceu em 1963, na cidade do Rio de Janeiro. Mistura de espanhol com português, é bom que se saiba que não é cartunista, nem chargista.  Apesar de seu humor ferino, ele pode ser classificado como artista gráfico. Suas caricaturas são desconcertantes e soberbas. É quase impossível adjetivá-las. O espanto que suas artes provocam ultrapassam todas as categorias conhecidas. Admirador de Rembrandt , Velázquez, Francis Bacon, Picasso e Egon Schiele – Lula já passou Lula_Palomanesmuitas noites observando de perto e de longe as reproduções das obras desses mestres da pintura. (Não contem para ninguém, mas me informaram que ele não dorme à noite. Passa esse tempo lendo, desenhando e estudando as obras de seus artistas prediletos – só vai descansar quando o sol anuncia a manhã que chega, isto depois de comprar o pão na padaria da esquina).

Lula é um magnífico ilustrador e dono de uma personalidade forte. Imprime aos seus trabalhos um signo único, uma forma própria de elaborar a exageração, uma mirada de viés que entorta a realidade e a busca de uma nova forma a cada obra. Seu trabalho é cerebral, mas tem muito de experimentação e suor nesta procura. Além da influência dos grandes das artes plásticas, compõe seu aprendizado a observação de mestres do “campo gráfico”, como Luis Trimano, Cássio Loredano, Rubem Grilo, Ralph Steadman e Gerald Scarfe.  Mas não se pode dizer que botou tudo isso no seu liquidificador pessoal e saiu por aí desenhando. Sua expressão é algo que ultrapassa esse caldo cultural e se projeta como algo “inaudito”, talvez o único adjetivo que se aproxima da sua singularidade.

Começou a mostrar sua arte nas páginas de O Pasquim e depois migrou para a chamada “grande imprensa” do Rio de Janeiro – trabalhou em O Globo e no Jornal do Brasil. O nosso herói gráfico publicou seus trabalhos também nas revistas ImãNebelfpalter eGráfica. Fez capas para as editoras Zahar, Record e Rocco, ilustrou  as revistas SeleçõesPlayboy Ciência Hoje. Tem uma medalha de prata pendurada em sua prancheta, conferida pela Society for News Design por uma caricatura de Gore Vidal, que publicou em O Globo. Mas não pensem que Lula contemplou com sua arte apenas o mundo dos adultos , ele com grande sensibilidade e versatilidade também ilustrou vários livros infantis.

CARTOLA _outro_olhar_01CARTOLA

CHICO ANISIO_outro_olhar_02CHICO ANÍSIO

JOYCE_outro_olhar_06JOYCE

Uma resposta

  1. Bruno, só agora percebi que você é o autor desta matéria. Satisfação! O cara é bom mesmo. Você poderia publicar algum comentário sobre o OPS (eu me lembro!) e talvez reproduzir algum desenho para eu matar as saudades dele. Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: