O POETA MANOEL DE ANDRADE é convidado para participar de encontro latinoamericano de literatura

3 Respostas

  1. Olá, Manoel. Quando vi o convite formulado pela Universidade Federal Fluminense, logo pensei no grande privilégio que terão aquelas pessoas de conhecer o poeta Manoel de Andrade. Imaginei o brilho que a tua figura vai emprestar àquelas Jornadas Andinas de Literatura Latinoamericana e a importância acadêmica, literária e cultural que, certamente vai assumir aquele evento, com a tua presença.
    Que viva então o maior poeta brasileiro da atualidade a escrever em língua espanhola. “¡Bienvenido sea a la estima de los hombres el que es capaz de amarlos y maravillarlos!”
    Manoel, o reconhecimento que a ti hoje devota a crítica literária não somente do Brasil, mas, também, de outros países desta nuestra América rebelde, é o sinal do imenso mérito que tens de desbravar as almas dessa gente que te admira. Como dizia um grande nome da literatura latino-americana: “Su mérito es tal, que su nombre no se olvida, una vez leído. Es de esos bardos magnos, que se sientan en la cima de los montes a cantar los dolores y las esperanzas de los hombres”.
    Teus versos são sensíveis e concretos como os corridos. São retratos dos lugares por onde passaste, e reflexos do sofrimento de tantos homens e mulheres que constroem a nossa América. “No canta afectos, sino mundos. Sus personajes son los pueblos. No llora amores que mueren, sino naciones que se derrumban y crujen”.
    Manoel de Andrade, poeta de verso sólido e fácil, que lhe sai da alma aos borbotões, com a fluidez do pincel dos grandes mestres. Versos fortes e coerentes, que dizem o que é preciso dizer. Fácil, assim! “Su frase no tropieza, ni rueda, sino que se despliega, como un manto real. Y él cobija con ella a los pueblos que tienen frío, y a las razas que ya se desmigajan en las tumbas”.
    Como não enaltecer tua obra? Como não admirar teus versos, mansos, fortes e indignados, carregados de latinidade? “¿No ha de sernos querido el nombre de este poeta que ya ha dado honra a nuestras tierras? Las manos de los poetas cierran siempre las heridas que abre la ira de los hombres. Por eso en poesía no puede cantarse el odio, ni más ira que aquella sagrada de la indignación, que es una virtud y engendra otras”.
    Amigo Manoel, aproveitei a força e a verdade das palavras de José Martí, o prócer cubano, em Nuestra América, quando fez um elogio ao poeta brasileiro/argentino Olegario Andrade, para enaltecer teus versos. O elogio de José Martí foi publicado no jornal La Opinión Nacional, Caracas, 1881, (p. 187 a 192) e servem para ti como uma luva!
    Um grande abraço. Boa sorte!

    Jonas Tadeu Nunes (desde Itajaí, Santa Catarina).

  2. Dá-lhe Maneco! Parabéns! Vai pras cabeças! Voe alto querido amigo. Estamos orgulhosos de você.
    Beijo
    Marilda (desde la Praia do Ingleses, casa do Vidal, em pleno carnaval)

  3. Um convite honroso e merecido, altura do seu imenso talento.
    Chegou o tempo de reconhecerem a honra que é para um país, ter um filho como nosso querido Manoel Andrade.
    Parabéns, querido amigo. Não fiquei surpreendida. Surpreendida já eu estava por esta homenagem não ter chegado mais cedo.
    Um abraço grande da sua amiga de sempre e para sempre
    Vera Lucia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: