VEM, VENTO de otto nul /palma sola.sc

vem, vento,

na asa de um catavento,

vem, chuva,

leve como uma pluma,

vem, sol,

acender o arrebol,

vem, céu,

fazer todo o escarcéu,

vem, trovão,

com teu bordão,

vem, tristeza,

e põe tua mesa,

vem, alegria,

acabar com a agonia.

5 Respostas

  1. Querida Zuleika,

    Mais uma vez grato por suas estimulantes palavras. Otto

  2. Amiga Zuleika,

    Grato pelo teu estímulo. Poema-menino é um achado de definição para esse poema.
    Abraço. Otto

    1. Obrigada a você, amigo Otto. Você faz com que eu me sinta com antenas mais sensíveis do que julgo ter. Muito obrigada. Em verdade, escrevo o que me vem de primeiro impulso, o que me entra do poema por mim adentro, de imediato e este critério, se acerta, às vezes pode ser um critério arriscado. Com os seus poemas, porém, não tenho medo e isto é muito reconfortante: não ter medo.
      Abraço
      Zuleika.

  3. Tocante, na sua simplicidade de poema-menino.
    Beijo da amiga
    Zuleika.

  4. Vem , safadeza,
    diminuir minha esperteza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: