OTTO NUL e sua poesia III – palma sola.sc

E AGORA?

Que poema compor agora?

Que sede ou fome saciar?

Que mar atravessar

Ou que ventos arrostar?

Que caminhos seguir?

Que vozes ouvir?

Que palavras dizer?

Que pecados confessar?

Quanto hei de amar?

Ou quanto de emudecer?

Que orações ainda rezar?

Que palavras escrever?

Quanto terei que silenciar?

Quanto de esquecer?


.

ESCURO

De repente, fez-se escuro;

Dentro do escuro

Vi o escuro;

Numa linguagem escura

Tudo se tornou obscuro;

O escuro, como o percebi,

Era negro;

Nada poderia sê-lo mais;

Outra sabe-me a vida

Dentro do escuro;

Só no escuro

É que me encontro.



.

TENHO, TENHO…

Tenho, tenho

Pressa de chegar

Tenho, tenho

Ânsia de acabar

Tenho, tenho

Desejo de te encontrar

Tenho, tenho

Força pra resistir

Tenho, tenho

Vontade de fugir

Tenho, tenho

Lerdeza de ir e vir

Tenho, tenho,

Ímpeto de levitar

Tenho, tenho

O caminho sem fim

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: