Pequena Reflexão sobre a Semana Santa e a Páscoa – por zuleika dos reis / são paulo

Sejamos nós cristãos católicos, ortodoxos, evangélicos…; judeus, islâmicos, budistas, hinduístas, agnósticos, ateus… curvemo-nos todos diante do Mistério, ou da possibilidade do Mistério: o Deus-homem vem ao Mundo e se dá ao Sacrifício, ao Sacro-Ofício, morre em seu corpo de carne como o nosso e ressuscita neste mesmo corpo para nos dar o Testemunho da Imortalidade.

Lembremo-nos do verso imortal de Fernando Pessoa: “O Mito é o nada que é tudo” e, seja qual for a nossa crença ou o tamanho da nossa descrença, coloquemo-nos todos juntos, na comunhão deste momento de irrupção do Tempo Sagrado no interior do tempo profano. Deixemo-nos tocar, deixemo-nos impregnar. Se a nossa descrença já impregnou todas as coisas, se nos sentimos impermeáveis a toda e qualquer Revelação, a qualquer Utopia de cunho sagrado ou humano, ainda assim suspendamos nossos juízos por um instante para comungarmos  a Grandeza anunciada nestes dias, a da morte e a da ressurreição do homem-Deus.
Incontáveis de nós estamos morrendo nas guerras, nas guerrilhas, nas emboscadas urbanas, em emboscadas dentro das próprias famílias; incontáveis de nós estamos morrendo nas cidades e nos campos devastados pela fome e pelas doenças; incontáveis de nós estamos morrendo de inanição emocional, em castelos de sempre precárias muralhas;incontáveis de nós estamos morrendo órfãos de nós mesmos, reféns da terrível solidão de não mais nos reconhecermos nos pensamentos nem nos atos de cada dia.Há infinitos modos de morrer, de se matar e de matar e a nossa morada, a Terra, está infestada deles.
Por um instante que seja, sintamo-nos Um Só, unidos através da miséria e da riqueza da nossa condição de seres humanos que seguem carregando a certeza ou a nostalgia do Deus dentro, ao redor e/ou além de nossa infinita pequenez. Sintamo-nos Um, com toda a nossa Esperança tornada ato, nossa Esperança impossível de ser extirpada, semente bendita para sempre, semente sempre-viva replantada, desde todo o Sempre, apesar da legião de mortos no mundo, apesar das injustiças de toda espécie que vêm se perpetuando há milênios.

6 Respostas

  1. Obrigada, meu sempre querido, muito querido amigo Omar. Muito obrigada. Uma Páscoa cheia de Paz para ti.
    Beijo.
    Zu.

  2. Nestes dias em que tudo é a cada dia mais imediato,pra anteontem antes do cafe da manhã de preferencia,um raro e lucido texto que diz mais do que quer dizer.Para todos um alerta,não vamos deixar este imediatismo mate o que ainda pode haver de bom dentro de nos.Não vamos deixar que as flores da paineira venham a se perder nos caminhos.Eu,por mim,puxei o freio de mão na banguela.Não sei se vou conseguir parar,mas estou tentando.
    Estou fazendo hoje o dia do abraço gratis aqui no escritorio.Sintam-se abraçados.Muita luz no caminho de todos.Pra voce Zu,nem digo nada.Voce ja sabe de cor.
    Boa Páscoa a todos.

  3. Minha muito querida Vera Lúcia: Fico tão feliz que este meu texto tenha te tocado assim! Quero reafirmar-te o quão cara tu te tornaste, como se fosses verdadeiramente uma irmã reencontrada. Criou-se entre nós uma comunhão que também toca o mistério, não é verdade? Também a ti e às tuas meninas e a todos os seres que te são caros, desejo uma Páscoa de Toda Paz.
    Beijo da amiga
    Zuleika.

  4. Querida Zuleika
    A tua reflexão , para mim, uma oração, uma prece universal dirigida a todos os homens que se perdem pelos caminhos tortuosos do mundo, é feita de palavras tão sensíveis que só os ímpios as poderão considerar palavras vãs…
    Pelo que me toca, obrigada pela mensagem … Porque às vezes, esqueço-me do verdadeiro significado da
    Páscoa…E da personagem principal desta peça trágica e vergonhosa que foi a condenaçao, crucificação morte e ressureição desse Filho de Deus, feito Homem, cujo nome todos os povos de todos os países,
    deveriam erguer como um estandarte, lembrando-se que é Ele, Jesus Cristo, o único Caminhante que nos poderá ensinar o caminho certo…
    Parabéns, querida amiga.
    Beijos muitos e uma Páscoa Feliz.
    Vera Lucia

  5. Arrepiou-me o corpo todo ( e a alma também) a tua saudação ao meu texto, caro Hamilton. Espero que ele, este texto humílimo contribua, átomo que é entre infinitos outros, para a ampliação neste momento ao menos, do sentimento ecumênico, a quem ele possa chegar. Feliz Pessach para ti, também; Uma Páscoa Imensa da Paz do Pai, a todos os campanheiros palavreiros, a todos os colaboradores do palavras, a cada m dos seus leitores.
    Zuleika.

  6. Querida Zuleika,

    Essas tuas palavras santas e sábias haverão, certamente, no decorrer desta Semana Santa, de soar como algo de uma beleza inaudita, de uma riqueza sem par, de uma convocação irresistível à FÉ. Mesmo o pior descrente ou o cético mais feroz não poderão recusar essa proposta de Esperança. Feliz Pessach. Abraço. Hamilton

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: