VOLTANDO DO INTERIOR DA BRASIL de tonicato miranda / curitiba


para Jane

longe de casa, na estrada distante

entre urubus e pombos desconhecidos

voando rasante sob o sol escaldante

vou singrando a pele do sertão Brasil

entre curvas e retas, verdes e barros

a saudade pulsando o peito e a camisa

sem chuva fina, nem vento, nem brisa

a curiosidade do olhar rodando o pescoço

para ver a casa da fazenda tomando sol

nua e branca, toda exposta em pele e osso

minha voz tão muda, quilômetros depois

balbucia teu nome como quem faz uma reza

triste pensar como as pessoas viajam tão sós

vida estrangeira no próprio país, vida lesa

oh saudade sem remédio, sem receita ou bula

não bula comigo assim, tira da boca o travo

laranja azeda chupada na beira da estradinha

rumar pra casa voltando ao doce e ao amargo

é mais que preciso, é tudo que esta vidinha

deseja de nós ao ouvir a voz do coração

São José do Rio Preto

9/8/2009.

Uma resposta

  1. “para ver a casa da fazenda tomando sol / nua e branca, toda exposta em pele e osso/.” Meu Deus, que maravilha de imagem, caro Tonicato! Vai ficar na minha memória,SEMPRE!
    Grande abraço
    Zuleika.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: