Receita de poesia – de claudia regina telles


Capturar a imagem de alguma insignificância que voa,

um vento que passa,

um corpo que brinca de alegria,

uma agonia de dor,lamentos de amantes,

saudades, solidão.

Caso você não tenha este ingredimentes a sua disposição,

imagine-os, que é a mesma coisa.

Coloque tudo e vá adicionando e  misturando palavras.

Cuidado como exagero;

Servir quente ou fria, tanto faz

Excelente para todas as ocasiões

sempre que sentir vontade

ou que doer o ferimento ou cicatriz;

publicado no livro de conchas e de clarices/ 2007

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: