OTTO NUL e sua poesia V / palma sola.sc

NADA ME DIZ

Nada me diz

Nem contradiz

Do que fiz

Ou não fiz

Do aprendiz

Que com um giz

Traçou uma

Bissetriz

Ao longo da raiz

De peça motriz

Aberta a cicatriz

Na ponta do nariz

E por um triz

Escapou a meretriz



.

DOU UM GRITO NO AR

Na esteira dos insubmissos

Dou um grito no ar

É muito se calar

É tarde para fugir

Vai longe o rumor

Dos santos pregadores

Com que fulgor

Apacentam-se carrneirinhos

Às nuvens andarilhas

E em que ilhas?

Durmo em paz

Como me apraz

Dúvida não há

Com que compraza

O torpe entope as ruas

E as mulheres nuas


.

QUERO SER SÓ

(a Greta Garbo)

Quero ser só

Só para andar

Só para pensar

Só para sofrer

Só para viver

Só para fugir

Só para ninguém ver

Só para voar

Só para olhar

Só para falar

Só para chorar

Só para sonhar


(poema feito de uma frase de

Greta Garbo – “I want to be alone”)

Uma resposta

  1. ”Nada me diz, nem contradiz”… Era bom que assim fosse. Mas não acredito que um poeta como o senhor, tenha a sorte de passar como uma sombra, invisível, incognito, sem que algo lhe diga ou alguém ou contradiga… O mundo está apático, mas não tanto…
    Um poema que, pelo menos a mim, me disse muito.
    Parabéns.
    Vera Lucia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: