A ROSA ABSOLUTA de otto nul / palma sola.sc

Rosa que contempla

Nuvens pressagas

Por dentro de luzes

Que ultrapassam

As esquinas siderais

Nos ocos do cosmos

Rosa que se fez rosa

Na abissal beleza

De premissas loucas

Emergentes dos mares

Os céus tumultuados

De argênteos brilhos

Ó, rosa absoluta,

Que a tudo evolve!

4 Respostas

  1. Zuleikinha,

    A pequena biografia (158 pgs.) de Edmund White, envolvendo a história conturbada de Rimbaud e Verlaine, é uma maravilha de bem narrada. Não a perca. Otto.

  2. Oi, anjo. Este “Rimbaud” não tenho. Acabei de comprar o “Rimbaud” da Iluminuras, com o título “Gravuras Coloridas”, que tem “Iluminações”. Tenho também “Uma Estação no Inferno”. Bem, o Rimbaud é indescritível.
    Zuleikinha.

  3. Minha querida Zuleikinha,

    Sempre você, grande alma, a me dar seu constante estímulo. Sugiro que você adquira um livro (nas livrarias no momento) com o título Rimbaud, de Edmund White (uma pequena biografia do meu querido Arthur, envolvendo também Verlaine). obrigado. otto

  4. Já o título, de absoluta beleza! Também o poema o é, assim belo.
    Grande abraço, amigo Otto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: