Arquivos Diários: 1 setembro, 2010

CARTA A UM AMOR PASSADO por vera lucia kalahari / portugal

CARTA A UM AMOR PASSADO

Tu eras a paisagem grandiosa e amena do oásis na solidão da minha vida.

Meu cavalo galopara por todos os desertos meu albornoz se agitara a todos os ventos,

e armara a minha tenda sob todos os céus: nada vira, nada encontrara, nada tivera que me acolhesse, como a sombra das palmeiras, que me encantavam como o mistério luminoso dos astros.

Sabia o que as palmeiras ensinavam entre as dunas inóspitas: que a sua sombra era doce e silenciosa.

Sabia que as estrelas estavam longe e que só os magos entendiam a sua linguagem de beleza e de mistério.

Não sabia que um dia, como o nómada perdido sob o sol escaldante, caminhando sobre as areias, poderia encontrar junto de ti, a doce sombra das palmeiras silenciosas, na amena paisagem do oásis. Nem sabia que no azul das minhas noites, vendo as estrelas reflectidas nos meus olhos, entenderia também a linguagem cintilante dos astros e ouviria o que eles diziam, palpitando no céu distante: Que Alá é grande, que o amor é o maior bem terreno e que a felicidade existe, não no céu distante, mas junto de nós, ao alcance do nosso gesto, perto do nosso coração, e que um dia a encontraremos…Então, sonhava, apertava-te ao meu peito e beijava os teus olhos cheios de estrelas

.

ilustração da autora.

OBAMA oficializa fim da missão de combate dos EUA no Iraque / usa


Cinquenta mil soldados continuam em tarefas de apoio e treinamento.
Segundo presidente, agora o foco é economia.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, declarou oficialmente o fim da missão de combate americana no Iraque, em um discurso no Salão Oval da Casa Branca na noite desta terça-feira (31). Obama enfatizou que a principal missão do país neste momento é restaurar a economia e colocar os milhões de americanos que perderam o emprego para trabalhar. “É hora de virar a página”, disse o presidente, da mesma mesa em que George W. Bush anunciou o início da guerra, em 2003.

“Esta noite, anuncio que a missão de combate americana no Iraque acabou. A Operação Iraque Livre está finalizada, e os iraquianos agora têm responsabilidade por sua segurança e pela segurança de seu país. Essa era minha promessa quando fui candidato a este posto”, disse

Presidente americano anuncia o fim da missão de combate no Iraque, da Casa Branca (Foto: Reuters)

O presidente enfatizou que os EUA pagaram um preço muito alto para colocar o futuro do Iraque na mão de seus cidadãos. “Mandamos nossos homens e mulheres para fazerem esse enorme sacrifício e gastamos enormes recursos em um momento de orçamento apertado dentro do país.”

Menos de 50 mil soldados americanos permanecem no Iraque, em tarefas de apoio e treinamento; Ao menos 100 mil deixaram o país, invadido em 2003 pelo ex-presidente George W. Bush, para capturar um arsenal de armas de destruição em massa que jamais foi encontrado.

O presidente destacou que os líderes do Iraque devem formar rapidamente um novo governo: “esta noite, encorajo os responsáveis iraquianos a avançar com urgência para formar um governo que seja representativo de todos os iraquianos”. “Quando o governo estiver formado, não haverá dúvidas, os iraquianos terão um parceiro forte: os Estados Unidos”, acrescentou.

Quase um trilhão de dólares foram gastos e mais de 4,4 mil soldados americanos e ao menos 100 mil civis morreram desde 2003. Uma pesquisa recente da rede CBS mostrou que 72% dos americanos acham que a guerra não compensou as perdas de vidas de americanos.

Obama disse que em agosto do ano que vem, a transição será no Afeganistão. Segundo ele, agora os EUA estão aptos a aplicar mais recursos no Afeganistão devido à mudança no Iraque, e que o ritmo da retirada norte-americana naquele país dependerá das condições em terra, mas começará na data prevista, em julho de 2011.

Do G1, com agências internacionais

.

DOIS DEDOS DE PROSA:

os conservadores, norte americanos ou não, não gostam desta notícia, ela vai contra seus interesses econômicos na medida em que controlam a industria do armamento, comunicações  e espacial. para eles é preciso tensionar, sempre. Obama havia se comprometido em acabar com a guerra pesada no Iraque, os democratas aguardavam este momento para crescer em popularidade, aconteceu. os democratas do planeta também aguardavam a retirada do afeganistão. havia e há, ainda, muitos que não acreditavam nessa vontade presidencial de Obama, irão, agora, buscar outras questões para criticá-lo e tensionar ao máximo. tempo para que o presidente encontre o momento exato para tais medidas  não haverão de permitir, conservadores porque querem outra guerra, talvez com o Irã (que será um desastre mundial) e democratas porque querem trocar o grupo no centro do poder. é óbvio que um presidente americano não pode realizar todas as suas políticas de vontade  pessoal, lá o sistema é a origem do poder, mas o presidente Obama pode, se quiser, modificar as relações politicas e sociais com o planeta e “suavizar” a pressão na área econômica. é de alto risco, poderá ser assassinado como foram os Kennedy por muito menos. só o povo americano compreendeu e acreditou em Obama. estava certo.

J B VIDAL