Arquivos Diários: 22 setembro, 2010

SÓ de vera lucia kalaari / portugal

Só, com este olhar de descrente,

De noites mansas sem estrelas,

Com este andar sem destino

Como rio deslizante

Fugindo em desvario.

Só, nestas asas desdobradas,

Em sonhos, em cavalgadas,

Cabelos ao vento atirados,

Batida pelo vento suão

No meu negro alazão.

Só, nesta brisa que chega

Cheirando a feno e a campo,

Na ribeira escondida

Perdida no mundo distante

Duma vida já vivida.

Só, no tempo que passa

Que é tempo perdido somente,

Tempo sem nada, só tempo.