Pensamentos dispersivos sobre minha reencarnação – de solivan brugnara / quedas do iguaçu.pr

Esta manhã quis que

meu rosto fosse

cega pedra de nascente

e sentisse a água fresca

temperada com musgos e folhas,

correr eterna sobre minha face.

.

E meu olhar distâncias

ou linha do horizonte

para ver o sol

estender sua luz limpa e quente sobre a terra,

como um lençol recém passado sobre

a cama.

Que de meus braços emplumados de folhas

e dedos transformados em galhos de árvores

pingassem tangerinas.

Anúncios

2 Respostas

  1. Obrigado Vera pelos seus comentário claro como o sol da manhã.

  2. Que poema lindo… Lendo-o, vi-me transportada a esse cenário fresco, radioso e limpido, como as manhãs suaves de primavera, sentindo a frescura das gotas límpidas da cascata respingando sobre mim.
    Parabéns. Amei essa tela pintada tão bem descrita por si.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: