OLGA BENÁRIO PRESTES: DESTINO DE MULHER? – por zuleika dos reis / são paulo



 

 

Quando a casa de Luis Carlos Prestes e Olga Benário Prestes  foi invadida, instintivamente Olga protegeu Prestes com seu corpo, colocando-se na mira dos policiais.

Muitas vezes me interrogo: será este, irreversível, no real palpável ou no real simbólico, o destino de toda mulher que ama, deveras, o seu homem? Será toda mulher antes de tudo, mãe? Mãe de seus filhos, mãe de seus homens, mãe de seus pais, mãe de seus irmãos… algumas, mães de comunidades inteiras?

Colocar seu corpo, sua alma, seu verbo, seu silêncio, suas renúncias, suas desistências, suas contradições, seus impasses, também suas conquistas a serviço da proteção do Amado, seja ele o homem amado, seja ele um filho… seja ele um ideal para o mundo, seja ele um Deus, é esta, em suma, a função efetiva e maior para a qual cada mulher vem à luz, função que, mais cedo ou mais tarde lhe bate à porta, a despeito de todas as liberdades para o seu sexo, liberdades conquistadas à custa de muita luta e de muito sofrimento? É este, enfim, o de mãe, o seu verdadeiro e inalienável destino, fado do ser-mulher, ou tal presente escrito não passa de discurso perfeitamente obscurantista?

 

Na manhã de 21 de outubro de 2010.

Zuleika dos Reis

11 Respostas

  1. Quem falou em idolatrar escritos? Eh,Omar. Grata pelo cesto.Agora, eu vou mesmo parar por aqui.

    Beijo
    Zuleika

  2. Caro Omar,
    Caro Omar
    Faça isso, faça. Cutuque muitas vezes esta nossa Zuleika, que não tem, por vezes, noção da sua força e do seu valor,da forma lúcida como critica situações como elas merecem ser criticadas. A Zuleika tem sido para mim uma revelação, uma fonte de inspiração e uma pessoa que já conquistou o meu coração, que é, aliás, bem difícil de conquistar.
    Cutuque e cutuque esta nossa Zuleika, a quem envio aquele abraço
    Obrigado.
    Vera Lucia

    1. Cara Vera
      Compartilho totalmente a sua opinião.
      Poderia cutucar muito mais,mas ela não me deixa.
      Acho que está na hora de deixar de respeitar a vontade dela e dar uma sacudida de vez em quando só pra ver flor cair.
      Um abraço forte ,contem comigo para o que for necessário.

      Omar

    2. Meus queridos Omar e Vera Lúcia: eu gosto muitíssimo de vocês dois e respeito, deveras, as opiniões de vocês sobre minhas escritas e sobre a minha pessoa,além de lhes agradecer sempre pelo afeto, recíproco da minha parte, e pelos “toques”. De todo modo, estou me perguntando neste momento: será que ambos entenderam,mesmo, você, Omar, você, Vera, o teor mais fundo da minha resposta ao segundo comentário do Omar? Por favor, lembrem-se, queridos: OLGA BENÁRIO PRESTES: DESTINO DE MULHER? é apenas um texto, apenas um texto, nada mais.

      1. Pôxa, Omar: “Para ver flor cair”, essa é demais. Obrigada.Ai, Vera e Omar, vou parar por aqui, acho melhor que a gente troque e-mails pessoais, não quero que este espaço público acabe virando um confessionário.
        Beijo grande aos dois
        Zuleika.

        1. Desculpe me mas sou leonino e os leoninos tem a fama de serem teimosos e “cutucantes”.Ainda mais com ascendente em Áries e sendo Cavalo de Madeira no horóscopo chines. Um texto nunca é somente um texto.Se um poeta escreveu,se saiu de suas entranhas,deve ser respeitado.Não quer dizer que tenhamos que idolatrar o escrito.Podemos comenta-lo livremente.
          Obs.Ja coloquei o cesto debaixo da árvore…

          omardelaroca7@gmail.com.br

  3. Obrigado pela resposta.
    Vou te cutucar mais vezes.

  4. Desapego.O principe Albert também protegeu com seu corpo a Rainha Vitoria.Por amor? Por ser ela mais importante no contexto geral ? Por egoismo ? Para não sofrer com a perda do ser amado? Como sempre, podemos colocar muitas perguntas e teremos de cada um diferentes respostas.Amor sublime, seja de quem for, para quem for.Desapego a si proprio ? Pode ser.Mas quem saberá dizer o que se passará na cabeça de alguem no momento exato em que a sua ação for necessária,imprescindivel ?

    1. Tens toda razão, Omar. Toda razão. Grata por teu comentário, de tão fundos significados.
      Da amiga
      Zuleika.

      1. Cara Zuleika

        Não escrevi para que me desses razão.Foi apenas minha opinião, escrita de repente sem muita reflexão.Queria que dissesses que não concordas, que defendesses a tua própria opinião.Que te agarrasses com unhas e dentes a todo o teu conhecimento e experiencia e me devolvesse a resposta com a sabedoria que possuis.De nenhuma forma quis te diminuir ou te impor o que penso.Por favor não aceite nada passivamente apenas para ser gentil.Erga a cabeça,levante a voz e se imponha ao mundo.Seja quem efetivamente és.

        1. Em nenhum momento, caro Omar,eu neguei,ou reneguei, ou mudei minha própria opinião, longe disso. Apenas pretendi dizer que seu comentário me enriqueceu de novas reflexões, trouxe-me novos ângulos sob os quais encarar a questão que eu mesma propus. Afinal,sou libriana; apesar dos librianos serem considerados seres notoriamente hesitantes eles têm também o hábito, que considero saudável, de olhar uma questão por seus vários lados, coisa que você também, amigo querido, faz magistralmente, característica demonstrada, tão clara, no seu primeiro comentário.
          Beijo
          Zuleika.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: