VERA LUCIA KALAHARI (sem titulo) / portugal

No deserto onde nasci, nesse Namibe das mil miragens, aprendi a falar
sem precisar das palavras, porque elas, muitas vezes, são pobres e
inúteis…Sim, significam as coisas banais e insignificantes da vida:
o camelo, o oásis, as tâmaras, o albornoz….
Quando sentimos alguma coisa profunda em nosso coração ,só o coração
saberia dizer o que as palavras não podem… Mas o coração só sabe as
sílabas da sua pulsação… Repousa a cabeça no meu peito, na solidão
da minha tenda, e ouve-o pulsar… Ouvirás o vento varrendo as areias,
curvando as palmeiras, secando as fontes, sepultando as caravanas.
E nas suas curtas sílabas, compreenderás todas as palavras que não
vale a pena serem ditas.
Esta é uma pequena alegoria que faço à mudança que tem que ser feita,
no deserto que é a vida…Quando aprenderes a encostar a cabeça num
ombro acolhedor e sentires que amas esse amigo, com a mesma ternura
que amarás uma árvore em cuja sombra, depois de longa caminhada ao sol
ardente pelas dunas solitárias, te dará a doçura da sua sombra
benfazeja, aí residirá a mudança. Saberás que ele não te poderá dar
senão a mesma frescura dos ramos dessa árvore acolhedora, nada mais…
Que somos na natureza seres diferentes, separados em mundos
diferentes, mas o amor junta-nos ali… E o amor é isso mesmo: Que
importa que linguas diferentes não nos nos deixem comunicar que as
mãos estejam distantes para uma carícia…Basta essa sombra da árvore
que acolhe um momento nossos destinos obscuros, errando pelos sóis do
deserto…
É aí que residirá o futuro da humanidade, nestes tempos de mudança.
Por isso, resta-nos ajoelhar e beijar a sombra silenciosa e
acolhedora, que, sem saber, aqueles que sabem amar trouxeram também
aos sois do nosso deserto.

P.S.  Dedicado ao meu amigo e grande poeta, João Batista do Lago

4 Respostas

  1. força ajuda-nos
    a ter força sem força
    e nem que seja o vento
    ou com peso das ondas do Índico

    se força nos é
    se força nos tem
    força nos dará força

    para lutar diariamente
    sem precisar de ditas armas
    mas lutar usando armas ditas
    nos é caso, desquerida armas de fogo
    mas fogo temos
    e com fogo venceremos

    mas,
    só e só e só se
    sabemos lutar de coração
    racionalidade e espiritualidade
    assim, se vivem dois ditados
    verdadeiramente tradicionais

    oh, Camões,
    ó , Paulo,

    nosso poeta , poesia lusa
    nosso Apóstolo, Cristianismo mundial
    nossa paz e nosso horizonte!
    E será que tal existe?

    Doces palavras nos dão
    total e completa força
    mexendo conosco do além ao desdém

    LUCAS MUAGA, um abraço

  2. Cara Vera

    As vezes o coração fala baixo e a gente tem dificuldade de ouvir.Mas sua pulsação chama nossa atenção e começamos a prestar atenção numa folha que cai, numa sombra que anda,no ondular de uma duna no deserto.E tantas outras coisas.Abraçar o ombro de uma árvore, é muitas vezes o mais perto que chegamos de um amigo.

    Abraço forte
    Omar

  3. Olá passei para conhecer seu blog ele é not°10, espetacular
    muito maneiro com excelente conteúdo você fez um ótimo trabalho desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
    Um grande abraço e tudo de bom

    1. Minha querida amiga Vera Lúcia: texto de uma beleza, de uma profundidade, de um alcance, de uma poesia tão grandes que fica indizível tudo o que ele me leva a sentir.
      Beijo grande desta amiga além-mar
      Zuleika.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: