Meus arames farpados de molho em um amaciante – de solivan brugnara / quedas do iguaçu.pr

Vou recolocar o mesmo som.

Virar do avesso um rosnado
e por meus arames farpados de molho em um amaciante. 

Com esculturas diluíveis na boca
mudar seu nome para maça
e encaixar a eternidade dentro de um segundo, 
então contemplar minha obra, 
bela e frágil como o dedo mindinho de um bebê.

E pensar no maior volume que conseguir pensar
uma canção: 
Nas vendas negras coloquei algumas estrelas, 
Nas mordaças um sabor de mirtilos,
E dancei com os ouvidos acariciados por sinfonias
E dancei 
com ao meu corpo sensível como um falo
no cosmos tão feminino.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: