Arquivos Diários: 22 setembro, 2011

ASPIRAÇÃO – de zuleika dos reis / são paulo


  

 

Pairem minhas palavras

para sempre

pássaros sem assinatura

sonhos de poemas

jamais escritos

a serem colhidos

por mãos invisíveis

que possam escrevê-los

e assim se faça

a poesia

que nunca hei de ler

no anonimato

que ninguém saberá.

 

Assim me faça

desconhecida

nos poemas

de palavras anônimas

colhidas

por um autor a vir

que se saiba

ou que almeje saber-se

em tal sonho de ritmos

escritos por ninguém.

 

Em espaço onde pairem

sempiternas

as histórias

os silêncios

de tudo o que houve

e não

neste tempo em que eu

NÃO

assim fiquem também meus hiatos

meus vazios

 

ausências

que um poeta a vir preencha

com a própria respiração.