Arquivos Diários: 2 outubro, 2011

O GLOBO DE HOJE DESMENTE O GLOBO DE ONTEM E O DE ANTEONTEM / por mello

 
jornalismo de resultados de O Globo vai de mal a pior. E cada vez mais rápido.

Reportagem na página 4, publicada no Globo de hoje, desmente reportagem de ontem (que foi manchete de primeira página) e de quebra outra de anteontem. Nem deu tempo para o jornal virar embrulho de peixe (nos tempos de antanho) ou forro pra cocô de passarinho, cachorro ou preá.

A de ontem dizia que o governo da presidenta Dilma não havia liberado nenhum tostão para obras de prevenções de enchentes no Rio. Hoje, o jornalão se desmente:

“O Palácio do Planalto informou nesta segunda-feira que o repasse de recursos para ações de defesa civil no Rio de Janeiro chega a R$ 52,3 milhões em 2011.”

Mas um erro de zero pra R$ 52,3 milhões até que foi coisa pouca, se compararmos ao cometido na edição de anteontem do Globo. Lá, havia a informação de que o programa Minha Casa Minha Vida só havia liberado R$ 3,5 milhões até o momento para a construção de casas. Agora, a informação correta:

“Nota assinada pelos ministérios do Planejamento, das Cidades e Caixa Econômica Federal diz que os valores pagos para o Minha Casa Minha Vida, em 2011, totalizam o montante de R$ 4,34 bilhões.”

Fica aí, “de grátis”, um bom slogan para o jornalão do Oligopólio Globo: O Globo escreve hoje o desmentido de amanhã.

WALL STREET: 700 PRESOS nos protestos contra o desemprego e a corrupção. VEJA OS VÍDEOS / eua

Mais de 700 manifestantes foram detidos neste sábado nos Estados Unidos, durante um protesto que bloqueou a ponte do Brooklyn, em Nova York, na 15ª jornada promovida pelo movimento Ocupar Wall Street, que mantém um acampamento no Zucotti Park, no centro de Manhattan.

UM clique no centro do vídeo:

==

ESTOU FICANDO LINDO! – de jorge barbosa filho / campo mourão.pr

ESTOU FICANDO LINDO!

(Heróica parte 1)

Não sei como você agüenta essa coisa de dar satisfação.

Não sei, não! Tudo que queríamos, era pura invenção.

Não sei da tua, como atuas, e disfarças os teus dias-a-dias,

Tuas mágicas são tão pequenas!

Ok! Corro o risco lembrando-me de você,

Quase me tornei um sapo… Bem, agora tou bem Safo!

Mesmo que isto tudo me encha o saco, pago…

Pra ver! Pra ter!  Pra ser!  Pra valer!

 

Todos teus disfarces, teus passes, teus toques sem faces!

Nunca acreditei um instantinho de tuas festinhas

Em nossa cama embolada de amor, amor?

Faço a correria do modo que gosto, e posso.

Vivo do meu talento e detesto quem é lento.

Repare que o mundo roda. Acorda! A corda!

O vento é meu amigo! Quero vê-lo bater no teu tento, agora!

Pra ver! Pra ter! Pra ser! Pra valer!

 

Aposto que de nós não sobrou nada no espelho.

Quando passo por ele, apenas me vejo e me dou um beijo!

Fico cabreiro enquanto percebo alguns fantasmas…

Rezo para o Sempre e digo que isto é uma farsa, e passa

Pelo seu tranquilo metal e líquido, feito mera fumaça!

Sou aquilo que sei, sou, sonho e desejo,

Às vezes me despejo de tudo e de mim mesmo…

Pra ver! Pra ter! Pra ser! Pra valer!

Mas não tenho medo de tentar a sorte, ou a morte.

Sinto-me forte apesar de todo enredo…

Vejo jacus britânicos e caiçaras americanos por todos os lados

Consumirem seus relógios, seus ópios, seus óbvios,

Descansarem sem culpa no interior de seus óbitos!

Deus dê longa vida aos necrológios e aos necromaquiados!

Pois eu vivo, vivo! De cara, na lata! Não finjo, não fujo, não!

Pra ver! Pra ter! Pra ser! Pra valer!