Arquivos Diários: 18 novembro, 2011

ONU pede julgamento de violadores dos direitos humanos no Brasil / brasilia.br

France Presse

Alta comissária saudou a sanção da lei da Comissão da Verdade.

Mas disse que medida deveria incluir a revogação da Lei de Anistia.

Do G1, com AFP

A alta comissária dos Direitos Humanos da ONU, Navi Pillay, pediu nesta sexta-feira (18) “medidas adicionais para facilitar o julgamento dos supostos responsáveis por violações dos direitos humanos” durante a ditadura militar que governou o Brasil entre 1964 e 1985.

Pillay saudou a sanção pela presidente Dilma Rousseff, nesta sexta-feira, de uma comissão para investigar os crimes cometidos durante os governos militares, mas afirmou que essa medida “deveria incluir a promulgação de uma nova legislação para revogar a Lei de Anistia de 1979 ou para declará-la inaplicável por impedir a investigação e levar à impunidade (…) em desrespeito à legislação internacional de direitos humanos”.

Em comunicado, Pillay lembrou que começou a defender a necessidade dessa comissão em 2009, quando fez visita oficial ao Brasil.

“Eles e suas famílias estão esperando compensação pelas violações que sofreram por mais de quatro décadas, e têm direito a ver a justiça sendo feita”, disse Pillay sobre as vítimas da ditadura. “Além de iluminar a verdade sobre incidentes particulares, essas comissões investigam o padrão das violações no passado, suas causas e consequências.”

Ela acrescentou que o trabalho da comissão deve ajudar os brasileiros a entender e reconhecer sua própria história, que, até agora segundo ela, foi frequentemente contestada ou negada.

“Comissões da verdade também buscam evitar novos abusos, fazendo recomendações específicas sobre reformas institucionais e políticas públicas”, disse.

A presidente Dilma discursa em cerimônia de sanção da lei da Comissão da Verdade (Foto: Roberto Stuckert / Presidência)A presidente Dilma discursa em cerimônia de sanção da lei da Comissão da Verdade (Foto: Roberto Stuckert / Presidência)

Comissão
A Comissão da Verdade irá apurar violações aos direitos humanos entre 1946 e 1988 – período que inclui a ditadura militar – e terá dois anos para produzir um relatório com conclusões e recomendações sobre os crimes cometidos.

A Lei de Acesso à Informação acaba com o sigilo eterno de documentos públicos e estabelece prazo máximo de 50 anos para que as informações classificadas pelo governo como ultrassecretas sejam mantidas em segredo.

AI WEIWEI: China investiga dissidente por pornografia on-line / pequim.ch

China investiga dissidente Ai Weiwei por pornografia on-line

 

 DAS AGÊNCIAS DE NOTÍCIAS

 

O artista chinês Ai Weiwei afirmou nesta sexta-feira que foi iniciada uma investigação por parte das autoridades chinesas sobre acusações de que ele teria ajudado a divulgar pornografia na internet. As novas suspeitas recaem sobre o dissidente após semanas de campanha contra uma multa milionária que o regime quer que ele pague.

Segundo Ai, policiais convocaram o cinegrafista Zhao Zhao, um dos assistentes do artista, para interrogatórios na quinta-feira. Ele foi questionado sobre fotos artísticas que tirou de Ai e quatro mulheres, nas quais todos apareciam pelados. A obra foi intitulada “Um tigre, oito seios”, em tradução livre.

As investigações parecem reacender uma acusação levantada contra o dissidente quando ele foi detido em abril. Havia relatos de que ele era investigado por evasão fiscal, bigamia e divulgação de pornografia on-line.

“Se eles entendem nudez como pornografia, então a China ainda está na dinastia Qing (1644-1911)”, disse Ai. As autoridades chinesas não se manifestaram sobre o assunto.

Zhao contou que policiais lhe disseram que procurariam acusações contra ele por conta das imagens caso elas fossem amplamente divulgadas por considera-las obscenas. Ele afirmou acreditar que as investigações fazem parte da empreitada chinesa em difamar Ai e calar suas críticas ao regime.

Ai Weiwei/France Presse
Fotografia mostra Ai Weiwei sem roupa com quatro mulheres; China investiga artista por pornografia
Fotografia mostra Ai Weiwei sem roupa com quatro mulheres; China investiga artista por pornografia

O artista, de 54 anos e famoso por seu trabalho “Ninho de Pássaro”, no Estádio Olímpico de Pequim, ficou preso sem acusação formal durante 81 dias este ano, medida que provocou críticas de governos ocidentais. Ele foi libertado em junho, após firmar um acordo –que já desrespeitou desde então– de que pararia com as críticas.

Nas últimas semanas, as autoridades chinesas estão cobrando dele uma quantia de 15 milhões de yuans (US$ 2,4 milhões) por suposta evasão fiscal. Ai teve que pagar quase metade desse valor como garantia para poder recorrer da multa.

Simpatizantes vêm fazendo doações ao dissidente. Na segunda-feira, uma voluntária da campanha de arrecadação, Liu Yanping, informou que receberam US$ 1,04 milhão para ajudar a pagar a multa que vence em 15 de novembro.

Ao todo, 24.130 pessoas enviaram quantias, tanto pelo Alipay, um sistema de pagamento on-line, quanto pelo cartão bancário, segundo Liu.

Andy Wong/Associated Press
Artista dissidente chinês Ai Weiwei chega a escritório para pagar garantia contra multa fiscal
Artista dissidente chinês Ai Weiwei chega a escritório para pagar garantia contra multa fiscal


DANTE MENDONÇA: “Nosso novo cidadão” – por adherbal fortes de sá júnior


O título é redundante.

Ninguém é mais curitibano que o Dante, co-fundador do verdadeiro Carnaval Curitibano, sócio atleta do Bar Botafogo e do Ao Distinto Cavalheiro, sem falar no apoio que nunca negou à feijoada do Bar do Pascoale.

Mas o bordão latino determina: quod abundat non nocet, o que abunda não prejudica.

Então ta. As abundâncias são o principal assunto do livro que Dante Mendonça acaba de concluir e está mostrando a alguns amigos.

Finalmente temos uma extensa, confiável e bem humorada pesquisa sobre a cidade, em seus três séculos de libidinagem. De dia e de noite.

Com o título de Maria Batalhão – Memórias Póstumas de uma Senhora Cafetina, o livro acompanha os passos de uma Messalina de dois continentes atravessando a cidade, do Beco do Inferno, atual Travessa Tobias de Macedo, às casas do Parolin, passando pelas bocas da Cabral e pela famosa Casa da Uda.

O romance é uma história sociológica e picaresca da Curitiba, percorrida por Saint-Hilaire e Debret, habitada por Dalton Trevisan, Wilson Martins e Poty Lazzarotto. E também da Curitiba de hoje, porque a Casa da Mile é recente, o Morguenau está lá, o Operario ganhou sobrevida.

E sobram pelas ruas senhores capazes de testemunhar sobre famosas profissionais do sexo que habitaram Curitiba e foram colegas de sua personagem Maria Batalhão. Desde Maria Sem Calça até Avila Quadros, dona de estabelecimento no Parolin e prima do ex-presidente Janio Quadros.

Dante especula sobre os Anais da Mirlei, dona da mal afamada chácara em Colombo. Até hoje nas mãos de um delegado, os Anais contém revelações capazes de derrubar gabinetes e abalar reputações.

Vocês verão que só esse livro justifica todas as homenagens que Dante Mendonça recebe dos vereadores. Adicione-se a isso os anos dedicados ao jornalismo no Estado do Paraná e na Tribuna do Paraná. E os trabalhos que fez pela cidade como escritor, cartunista e figura pública. O crédito é imenso.

Enfim, Dante é mais do que cidadão – é uma personalidade curitibana que merece busto na praça, nome na placa da esquina e samba enredo no próximo desfile da Banda Polaca, que ele ajudou a inventar e ainda há de ressuscitar.

o cartunista e escritor DANTE MENDONÇA com o TITULO DE CIDADÃO HONORÁRIO DE CURITIBA ao lado do ex prefeito e ex governador Jaime Lerner no dia da solenidade na Câmara de Vereadores da cidade, em 17/11/2011.

foto sem os créditos.