UM POEMA – de gilda kluppel / curitiba.pr

Um Poema

Sou um ser estranho

ando pela cidade

encontro beleza no asfalto

em qualquer esquina,

numa rua, na sarjeta

exalo o cheiro de chuva na relva.

Sou um trovador

em versos e rimas

o motivo para um enredo,

experimento sensações

acalento sonhos, desvelo segredos

não uso disfarces, mas tenho muitas faces.

Sou uma saudade

quando os passos andam em desalento

amenizo as despedidas

entre tantas angústias

encontro o porto de chegada.

Sou um ser contraditório

caminho pela contramão

no sentido oposto da ambição

durmo ao relento

aprecio o brilho das estrelas

ou o céu lacrado, inviolável

canto felicidade, dores e mágoas

alegrias e tristezas da vida

as pequenas e as desmedidas

a perfeição me encanta

e também o mal acabado,

o desleixado, o jogado ao acaso.

Sou um abraço

sem amarras e cobranças

apenas afeto, o argumento convincente

meras palavras me realizam

entre tantas metáforas

tenho a força de um sentimento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: