Arquivos Diários: 22 dezembro, 2011

CRÔNICA DO MENINO DEUS – por vera lucia kalahari / lisboa.pt

 

 

Nasceste. Chegaste num dia frio de sol cadente. Dormiras sobre
estrelas e trazias no cabelo o ouro que tiraras delas. Nas mãos, um
tesouro: O peso assustador, esmagador, do mundo… Nos olhos, a pureza
duma açucena, o brilhar de prantos que jamais choraste.
Nasceste. Não vieste para reinar entre pratas, ouro e pedras, como
aqueles que se intitulam teus seguidores.  Chegaste só, com a chuva
que tombava num telhado em ruinas. Agora, dormes num monte de feno
quente, cheirando a campo. Perto, tua ma~e vela docemente com o peso
dum filho que é seu mas que o mundo roubará. Nasceste, menino,
Homem-Deus, mas não ficaste. Encontraste em cada esquina, um Judas
para te trair e uma coroa de espinhos para te ferir com o peso dos
pecados a curvar-te, a enterrar-se até ao fundo do teu coração. Estás
em tudo, Menino-Deus… Pena teres partido. Não teres mantido o teu
reinado, Tua humildade imensa de cordeiro, entre os homens.
Porque então, Menino-Deus, esta não seria a terra de rios entumescidos
de prantos e de gemidos.
E nós, não seriamos estes vermes rastejantes, de olhos suplicantes
virados para Ti, numa ânsia agónica de Te tocar, sem termos forças
para Te alcançar.