o poeta JAIRO PEREIRA entrevista o artista visual RETTAMOZO / curitiba.pr

os artistas visuais RETTAMOZO (RETTA) e ATTILA trocam idéias sobre novo projeto com o poeta e webeditor J B  VIDAL no bar ARMAZÉN DA ESQUINA. foto do garçon. Curitiba. 2010.

Entrevista para a REVISTA “CLIC MAGAZINE” e para o site “PALAVRAS TODAS PALAVRAS”:

  1. De todos os Rettamozos (pintor, compositor, performer) qual é o que mais te sublima?

Retta: Sou o pior aluno que o polacolocopaca Paulo Leminski jamais teve. E vem dele que se você tiver consciência de linguagem rola muitas línguas. Hoje vejo que incorporo, quando poeta sou um, penso, vivo, brinco poesia. O poema é a maior máquina inventada pelo homem. dEUs ou DeuS. Quando desenho faço o contorno, viro um contornador, quando pinto faço preenchimentos. Nestas horas eu só sei uma coisa de cada vez. Rsss…muitas almas num só corpo é muito baicon prum porco.

  1. Na tua pintura, vê-se obras onde a visão do artista focou os objetos de cima pra baixo, tipo cinco mil metros de altura? È muito difícil esse olhar distanciado dos objetos, na realização da obra?

R. – Nosso olhar é de quem está pendurado em um galho de árvore a girar nesse planeta maluco a não sei quantos mil quilometros por hora em direção ao buraco negro…ou seja ao cair antes de dar de cara no chão. Nossa visão é de topo. Assim minha tribo kaigang conta em uma lenda a criação do mundo.

Nhanderú está em cima da primeira árvore (jabuticabeira?) quando quase caiu…nesse momento o chão se abriu e dali sairam 2 irmão. E como tal qual sairam brigando. Um muito rápido e o outro muito lento. Até esse dia sétimo tudo sobre a face da terra era cor de barro…inclusive os irmãos.

Quando Nhanderú gritou “ Olha o lagarto! “ o irmão mais rápido que agora não lembro o nome – imediatamente pintou o lagarto só com listrinhas…e

Quando Nhanderú pediu silencio “ Shsss…olha a onça!” o mais lento pintou uma bolinha nela e esperou. Segundo essa bela lenda tudo sobre a face da terra ou é listrado ou manchado. É isso que a gente pinta. Paisagens do tamanho natural.

  1. A arte como sagração do homem, tem o espaço e respeito merecido nos dias de hoje? É possível se viver de arte?

R. É impossível viver sem arte.

  1. Existe grande dotação do homem Rettamozo na sua arte? Ou seja, tua arte se confunde com você até que ponto?

R. O trabalho que faço é com um coletivo. ComoVer nossa terra. Começa com um encontro depois um passeio para reconhecer o terreno. Depois catamos terra e fazemos a tinta do suporte sobre tela. Caminhamos e contamos histórias com os pés-de-chinelos que podem ser crianças ou adultos. Depois pintamos uma flor verdinha e sua sombra com um barro mais escuro. Pela posição da sombra temos o horário da obra. 3 horas da tarde, por exemplo, neste horário as formiguinhas carregam folham que as cortadeiras cortaram de manhã. Pintamos uma carreirinha de pedaços de folhas e assim cada um vai fazendo isso e aquilo. 30 crianças, 30 folhas em 30 segundos…pintamos no tempo da via ao vivo.

  1. Toda arte reflete além de outros elementos do real, uma dose de indignação. A tua arte com forte presença do lúdico, traz que indignação do sujeito criador?

R. Bom…eu já fui da Vanguarda do Século Passado, agora sou da Rettaguarda do milênio entrante…

  1. O Rettamozo que fez já marcou e muito pra artistas e público em geral. E o hoje? E o amanhã? Quais seus planos de realização pictórica e artística?

R. Pois é de quebrar paradigmas acabei inventando um pra mim. Pensava que ser autodidata era não freguentar a academia, hoje descubro que autodidata é o cara que inventa uma academia. No caso da pintura. Que é um jogo de RPG com o resultado final uma imagem, que parece fotográfica, mas ao contrário das cameras que tem um olho só, esses trabalhos são feitos com 40 olhares…rsss

  1. Sente-se na sua pintura que há uma busca pelo novo, o anárquico em ato, a arte que se impõe por si só, fugindo um pouco da razão do artista/criador. Isso realmente acontece?

R. Sim acontece vida durante o trabalho. Só pela dúvida vale a vida, duvida?

  1. Qual o seu processo básico de criação, focando-se mais a pintura?

R.Trabalho em oficinas pelo interior…Agora sexta-feira, dia 29/30 e 1º vou pra Porto Belo Santa Catarina. Numa oficina de onde resultam trabalhos que ficam no local do evento. Tipo assim ó: http://pintando7empontal.com.br/Pintando_o_7/Pintura.html

  1. A tinta traz a responsabilidade dos séculos, por si só ela tem o compromisso de fazer alguma coisa. Ou você acha que não, que tudo depende do artista como gestor majoritário dos signos/símbolos na composição?

R. Obra de arte se aprende na escola, obra prima além da esquina…rsss

  1. Duas numa só: Existem as ditas “vanguardas” ou tudo não passa de antecipação de formas e conteúdos que o próprio tempo brinda a alguns artistas? Qual sua visão da arte contemporânea?

R. Vanguarda, segundo um sábio banqueiro, plantador de soja é quando você planta uma “vanguarda” de milho em redor, pras pragas se fartarem com o milho enquanto a soja dá frutos.

 

“o artista visual RETTAMOZO tem uma página, exclusiva, neste site. veja acima.”

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: