Arquivos de Categoria: convites

“1964 – Um golpe contra o Brasil” estreia no sábado / são paulo

Lançamento acontece no Memorial da Resistência de São Paulo, às 14h

O documentário “1964 – Um golpe contra o Brasil”, de Alipio Freire, será lançado no próximo sábado, 2 de março, no Memorial da Resistência de São Paulo (Largo General Osório 66, próximo ao Metrô Luz).

Feito a partir de depoimentos de personagens que viveram, como militantes, aquele período, o filme discute as razões que levaram ao golpe civil e militar que derrubou o governo do presidente João Goulart.

Almino Affonso, à época deputado federal e ministro do Trabalho do governo Jango, Rafael Martinelli, dirigente do Comando Geral dos Trabalhadores (CGT), a socióloga Maria Victoria Benevides, o médico Reinaldo Murano, o então presidente da UNE (União Nacional dos Estudantes), Aldo Arantes, e o coordenador nacional do MST João Pedro Stedile estão entre os personagens ouvidos.

A sessão começará às 14 horas, no auditório do Memorial da Resistência de São Paulo. Após a exibição do docuemntário será realizado um debate com o diretor.

O filme é uma produção do Núcleo de Preservação da Memória Política e da TVT – Televisão dso Trabaladores, com apoio do Memorial da Resistência de São Paulo e da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo.

ROSA DE SOUZA e FUNDAÇÃO CATARINENSE DE CULTURA convidam: ilha de santa catarina

Oito_Cães_e_uma_vida

DANTE MENDONÇA e LIVRARIAS CURITIBA convidam: curitiba.pr

Curitibas 2

DANTE MENDONÇA e BOX 32 convidam: ilha de santa catarina.sc

FERNANDO KOPROSKI convida: curitiba.pr

 

Helena Kolody: Biblioteca Pública promove atividades pelos 100 anos

Biblioteca Pública do Paraná (BPP) promove, de segunda (8) a quinta-feira (11), a Semana Helena Kolody 100 anos, com atividades grátis para celebrar o centenário do nascimento da autora, comemorado em 12 de outubro. No hall térreo e nas escadarias do prédio, até o dia 26, estarão expostas fotografias, poemas e depoimentos da autora. Durante toda a semana, o elenco do Grupo Delírio Cia de Teatro fará leituras de poemas da autora em diversas salas da biblioteca, em horários variados.

Serviço: Semana Helena Kolody 100 anos. De 8 a 11 de outubro. Diversas atividades com entrada franca. Biblioteca Pública do Paraná – Rua Cândido Lopes, 133. Curitiba. Horário: 2.ª a 6.ª, das 8h30 às 20 horas. Sábado, das 8h30 às 13 horas. Mais informações: (41) 3221-4900 ou

Impressionistas no Centro Cultural do Banco do Brasil / são Paulo.sp

DE 04 de agosto a o7 de outubro de 2012.   ENTRADA FRANCA.

De Terça a Domingo das 10:00 as 22:00

4 Andar – Paris é uma Festa – Paris Cidade Moderna

James Tissot – Noite ou O Baile

Andre Devambez – Concerto Colonne

Felix Vallotton – Terceira Galeria do Teatro Chatelet

Johan Bartold Jongkind – Sena e Notre Dame

Monet – Os Carvoeiros

Monet – A Garçonete e as Cervejas

Gauguin – Tempo de Neve

Albert Andre – Sacre Coeur Visto do Atelier do Artista

Santiago Rusiñol y Prats – Sacre Coeur em Construção

Stanislas Lépine – Rue Saint Vincent em Montmartre

James Wilson Morrice – Quai des Grands Augustins

Maximilian Luce – O Cais Saint Michel e Notre Dame

Pissarro – O Sena e o Louvre

Giovanni Boldini – O Conde Rubens de Montesquiou

Giovanni Boldini – Moulin Rouge

Degas – Dançarinas Subindo Escadas

3 andar A Vida Parisiense e seus Atores. Paris Cidade Moderna.

Henri Ottman – Estação de Luxemburgo em Bruxelas

Monet – Gare Saint Lazare

Monet – Tuilleries

Toulouse Lautrec – Mulher com Boa Preto

Toulouse Lautrec – Mulher de Luvas Brancas

Louis Anquetin – Mulher na Rua

Renoir – Gabrielle et Jean

Renoir – Mulher com Jabô Branco

Charles Angrand – Casal na Rua

Jean Beraud – A Espera

Theophile Steinlen – A Rajada de Vento

George Garen – Iluminação da Torre Eiffel

Louis Welden Hawkins – A Torre Eiffel

2 andar – A Vida Parisiense e seus Atores. Fugir da Cidade.

Renoir – Retrato da sra Georges Hartmann

Renoir – Retrato de Ferdinand Halphern

Renoir – Moças ao Piano

Renoir – Paisagem Argelina

Renoir – A Porta da Estrada de Ferro em Chatou

Renoir – Sra Darras

Pissarro – Jovem Camponesa Fazendo Fogo

Pissarro – Centro de Jardim no Hermitage

Pissarro – Estrada de Ennery

Pissarro – Os Telhados Vermelhos,Recanto de Aldeia,Efeito de Neve.

Pissarro – A Colheita

Seurat – O O Pequeno Camponês de Azul

Monet – O Lago das Ninféias

Monet – Igreja de Vetheuil

Monet – Regatas em Argenteuil

Monet – Argenteuil

Monet – O Tocador de Pífaro

Sisley – Sob a Neve

Sisley – Caminho da Máquina em Louveciennes

Frederic  Bazille – O Vestido Rosa

Frederic Bazille – Floresta de Fontainebleau

Paul Guigou – Lavadeira

Theodore Rousseau – A Manhã

Camile Corot – A Charrete – Lembrança de Marcoussis

Charles-François Daubigny – Colheita

Cézanne – Retrato do Artista com Fundo Rosa

Carolus-Duran – Retrato de Manet

Leon Bonnat – Autorretrato

Courbet – Homem do Cinto de Couro

Berthe Morisot  ( A Única Pintora ) – O Berço

Alfred Stevens – O Banho

Henri Fantin Latour –  A Família Dubourg

Sub Solo

 

Pierre Bonnard – Sob a Lâmpada

Maurice Denis – Noite de Setembro

Maurice Denis – O Minueto d Princesa Maleine

Maurice Denis – A Criança de Calça Azul

Ker-Xavier Roussel – O Terraço

Edouard Vuillard – O Armário de Roupas Brancas

Edouard Vuillard – Depois da Refeição

Edouard Vuillard – Depois da Refeição

Edouard Vuillard – Na Casa de Maurice Denis

Edouard Vuillard – O Café da Manhã

Gauguin – Camponesas Bretãs

Gauguin – As Medas Amarelas

Gauguin – Les Alyscamps

Paul Serusier – A Barreira Florida

Emile Bernard – As Bretãs de Guarda Chuva

Rene Seyssaud –  As Oliveiras

Cézanne – Rochedos Perto das Grutas Acima de Chateau Noir

Cézanne – Natureza Morta com Sopeira

Van Gogh – O Salão de Dança em Arles

Adolphe Monticelli – Natureza Morta com Jarro Branco

Courbet – Ramo de Macieira em Flor

Manet –  Hastes de Peônia e Tesoura de Poda

Henri Fantin Latour –  Rosas em um Vaso

Paul Sérusier – Natureza Morta – O Atelier do Artista

Paul Signac – O Castelo dos Papas

.

Colaboração de OMAR DE LA ROCA/sp

ANA DECKER e o QUINTETO NOVO convidam: WONKA BAR em CURITIBA

ANA DECKER convida: curitiba.pr

“NÚCLEO MEMÓRIA” convida para o “SÁBADO RESISTENTE”: são paulo capital / sp

Governo do Estado de São Paulo
e Secretaria da Cultura apresentam
no Memorial da Resistência de São Paulo
Largo General Osório, 66 – Luz
Auditório Vitae – 5º andarSÁBADO RESISTENTE 
Dia 11 de agosto 2012, das 14h às 17h30

Palestra de Almino Affonso marca os 50 anos da mobilização social em favor do Plebiscito

Um dos fatos da história brasileira que esteve na origem da deflagração e articulação do Golpe Civil-Militar de 1964 foi a intensa luta da sociedade pela antecipação do Plebiscito para decidir se o regime político brasileiro seria o Parlamentarismo ou o Presidencialismo. Este movimento tinha como objetivo a devolução do poder ao presidente João Goulart, que foi obrigado a aceitar o parlamentarismo como condição para sua posse após a renúncia de Jânio Quadros, em agosto 1961.

Conscientes da irregularidade constitucional que este tipo de regime significou para o País, as forças progressistas – os partidos de esquerda, sindicatos de trabalhadores urbanos e rurais, assim como estudantes organizados – constituíram a força motriz desta mobilização, inclusive com o apoio de alguns comandos militares. A palavra de ordem foi a antecipação das datas do Plebiscito que, inicialmente fixada na Emenda Constitucional para o ano de 1965, finalmente se deu em 6 de janeiro de 1963. Neste dia, num eleitorado de quase 18 milhões (quase 12 milhões compareceram às urnas) o presidencialismo obteve mais de 80% (9.457.448) dos votos contra menos de 20% (2.073.082) dos votos concedidos pelos adeptos do parlamentarismo.

O Sábado Resistente deste mês terá o privilégio de ouvir Almino Affonso, ex-Ministro do Trabalho e da Previdência Social de João Goulart, uma das pessoas que teve um papel de primordial importância neste processo. Sua palestra será um documento histórico, pela riqueza em detalhes e informações a respeito dessa luta pelo Presidencialismo, contra a direita golpista e os bastidores do Golpe que este fato originou.

PROGRAMAÇÃO

14h: Boas vindas – Caroline Menezes (Memorial da Resistência de São Paulo)
Coordenação – Alípio Freire (Núcleo de Preservação da Memória Política)

14h30: PALESTRAS

– Almino Affonso (Advogado, Ministro do Trabalho e Previdência Social em 1963, Secretário de Negócios Metropolitanos do Governo Franco Montoro em São Paulo, Vice-governador de São Paulo na gestão Orestes Quércia, ex-Deputado Federal e Conselheiro da República na gestão do Presidente Lula)
16h00: Debate

Os Sábados Resistentes, promovidos pelo Memorial da Resistência de São Paulo e pelo Núcleo de Preservação da Memória Política, são um espaço de discussão entre militantes das causas libertárias, de ontem e de hoje, pesquisadores, estudantes e todos os interessados no debate sobre as lutas contra a repressão, em especial à resistência ao regime civil-militar implantado com o golpe de Estado de 1964. Os Sábados Resistentes têm como objetivo maior o aprofundamento dos conceitos de Liberdade, Igualdade e Democracia, fundamentais ao Ser Humano.

Informações à imprensa
– Memorial da Resistência de São Paulo
coliveira@pinacoteca.org.br
– Secretaria de Estado da Cultura
Giulianna Correia – 2627-8243 gcorreia@sp.gov.br
Renata Beltrão – 2627-8166 rmbeltrao@sp.gov.br

JUAREZ MACHADO na Ilha de Santa Catarina dia 19 de julho de 2012.

LOTA MONCADA convida: curitiba.pr

BAGÉ convida:

” C A S L A ” convida para III CEPIAL – curitiba.pr

Mostra exibe cinema latino-americano em São Paulo

 O novo cinema autoral da América Latina estará em cartaz a partir de quinta-feira 12 em São Paulo durante o sétimo Festival de Cinema Latinoamericano. Os filmes serão apresentados (com entrada franca) no Memorial da América Latina, no Cinesesc, no Cinusp e na Cinemateca Brasileira.

Até 19 de julho serão exibidos mais de 70 filmes produzidos em 12 países. Parte é inédita, mas muitos já chegam premiados após a exibição em festivais como os de Berlim, Cannes e Havana.

Cena de Um Mundo Secreto, longa-metragem do mexicano Gabriel Mariño Foto: Divulgação

O destaque fica para Um Mundo Secreto, longa-metragem de Gabriel Mariño que teve sua estreia mundial na Berlinale, em fevereiro, na mostraGeneration Special. O filme narra de forma lírica a viagem de iniciação de uma garota. No último dia de escola, antes da graduação, ela deixa seu mundo para trás e parte numa viagem de autodescoberta.

Mas o longa de Mariño não é o único representante dos road movies na mostra. O festival também terá O Garoto que Mente, da venezuelana Marité Ugas. O filme conta a jornada de um garoto que procura pela mãe desaparecida nos deslizamentos de terras que atingiram o departamento de Vargas após a grande chuva de 1999.

Da produção brasileira, o festival traz Hoje, de Tata Amaral, vencedor do Festival de Brasília no ano passado, e Histórias Que Só Existem Quando Lembradas, de Júlia Murat. A mostra também vai exibir o filme Augustas, que se passa todo na Rua Augusta, em São Paulo, e é dirigido por Francisco Cesar Filho, curador do festival.

Na sexta-feira 13, o festival programou uma sessão especial, à meia-noite, do filme Juan de los Muertos, do diretor Alejandro Brugués. No filme, Brugués apresenta a cidade de Havana destruída e dominada por zumbis, em uma sátira política à situação cubana. O longa conquistou o prêmio do público no Festival de Leeds.

A edição deste ano do festival vai premiar com 99,4 mil reais o melhor filme sul-americano feito em coprodução. A importância da coprodução no cinema latino-americano também será discutida em uma mesa de debates que ocorre no último dia do evento, na Cinemateca Brasileira.

PALAVRAS, TODAS PALAVRAS é pré selecionado e indicado pelo segundo ano consecutivo !

Chico Pereira, escritor catarinense, morre aos 79 anos / ilha de santa catarina

Ele será supultado no cemitério do Itacorubi, em Florianópolis

O escritor Francisco José Pereira, ocupante da cadeira número 5 da Academia Catarinense de Letras, morreu nesta segunda-feira, aos 79 anos, após uma vida dedicada à literatura de Santa Catarina. Ele será sepultado às 10h de terça no Cemitério Municipal do Itacorubi, em Florianópolis.

Chico Pereira, como era chamado pelos amigos, nasceu em Florianópolis. Começou a escrever em 1957, quando cursava Direito. Formado, advogou na área trabalhista. Foi preso durante a ditadura militar, quando teve de se exilar na América Latina e na África. Dois de seus três filhos ( Rodrigo, Francisco e e André) com a companheira da vida inteira, Natália, nasceram no exílio.

Um dos momentos mais importantes da vida do escritor  foi dia 30 de junho de 2005, quando entrou para a Academia Catarinense de Letras (ACL), na vaga deixada por Teobaldo da Costa Jamundá. Coincidentemente, a cadeira tinha como patrono o jornalista Crispim Mira, que dá nome à rua, no centro de Florianópolis, na qual Pereira passou a infância e que foi tema de seu livro As Duas Mortes de Crispim Mira. Ele também era um dos editores da Editora Garapuvu.

GINGA do MANÉ convida: lagoa da conceição / ilha de santa catarina.sc

 

Cantor, ritmista e reconhecido pesquisador de música brasileira, Barão do Pandeiro nasceu e foi criado no meio do Choro e do Samba. Desde então passou a tocar o instrumento que incorporou seu nome aos cinco anos de idade, tendo por inspiração o grande João da Baiana. Conviveu e acompanhou grandes nomes da música popular brasileira, com destaque para Nelson Cavaquinho, Cartola, Clementina de Jesus, Zé Kéti,  e Cristina Buarque de Holanda – sua atual parceira de musicais.

 Pesquisa e arte condicionam a trajetória desse músico, cujo repertório, extremamente cultivado, ressalta o universo do Samba e do Choro. E considerado exímio pandeirista, foi e continua sendo componente de representativos grupos de Choro e Samba, acompanhando velhas e novas gerações.

UNIVERSIDADE do PORTO lança livro do “Movimento da Educação Nova” / portugal

Lançamento do livro “O Movimento da Educação Nova”

A Universidade do Porto apresenta hoje 13 de junho, pelas 18h30, na Feira do Livro do Porto o livro O Movimento da Educação Nova e a reinvenção da Escola. Da afirmação de uma necessidade aos equívocos de um desejo, da autoria de Rui Trindade, obra editada pela U.Porto editorial. A apresentação será feita por Carlinda Leite, professora da Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto.

A obra pretende refletir sobre os discursos originais de alguns dos pedagogos mais emblemáticos que se relacionam com o “Movimento da Educação Nova”, considerados como discursos matriciais do campo das pedagogias da aprendizagem. Um campo que enfatiza a necessidade de se reconhecer, quer a centralidade pedagógica dos alunos no âmbito dos projetos de intervenção educativa que têm lugar no seio das escolas, quer a valorização do ato de aprender, em detrimento do ato de ensinar, como condições necessárias à afirmação das escolas enquanto contextos educacionais mais humanos e cultos.

Rui Trindade é professor na Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto e investigador do Centro de Investigação e Intervenção Educativas da mesma faculdade, lecionando, pesquisando e intervindo em domínios como os da gestão e organização do trabalho pedagógico, dos estudos sobre aprendizagem e da pedagogia no ensino superior.

A sessão realiza-se no auditório da Feira do Livro do Porto, a decorrer na Avenida dos Aliados. A entrada é livre.

CAPA DO LIVRO.

jorn. AROLDO MURÁ, MANOEL DE ANDRADE e DANTE MENDONÇA, CONVIDAM: Curitiba.pr

SERGIO CAMARGO: ‘PERCURSO ESCULTÓRICO’ no MON / curitiba.pr

Lançamento do livro “O Lugar do Olhar – a cianotopia no ensino em artes visuais” – de joaquim jesus / port.pt

U.Porto Editorial / Universidade do Porto

23 de fevereiro, às 18h00

Fnac de Santa Catarina (Porto)

 

 

 

“Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara”. É com estas palavras de José Saramago em “Ensaio sobre a Cegueira” que Joaquim Jesus inicia a obra “O Lugar do Olhar. A cianotipia no ensino em artes visuais”, na qual propõe “uma reflexão crítica sobre os processos de aprender a ver” no âmbito do ensino das artes visuais. O livro, editado pela U.Porto editorial vai ser apresentado no próximo dia 23 de fevereiro, às 18h00, na Fnac de Santa Catarina, no Porto, por José Alberto Correia, diretor da Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, e Catarina Martins, professora na Faculdade de Belas da U.Porto.

Considerando que os mecanismos de visão moldam a perceção daquilo que vemos e a nossa compreensão do presente, Joaquim Jesus convida-nos, neste livro, a pensar criticamente a maneira como olhamos para as coisas. O convite dirige-se particularmente aos alunos de artes visuais para os quais é essencial entender criticamente os fenómenos da visão e da perceção.

“O Lugar do Olhar” resulta de uma experiência em contexto de estágio numa escola secundária: a partir do diálogo entre uma fotografia com câmara e uma fotografia sem câmara (cianotipia) constrói-se uma alegoria que faz pensar criticamente a construção da visua­lidade do aluno e do professor no ensino em artes visuais, bem como os efeitos desta na produção de subjetividades. Para esse efeito, a Cianotipia (procedimento fotográfico monocromático que permite obter uma cópia em cor azul) enquanto instrumento concetual deste discurso, permite abordar, através de um olhar crítico sobre o ensino das artes visuais, algumas questões “permanentes” em educação.

Joaquim Jesus (1980) é licenciado em Artes Plásticas-Pintura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e mestre em Ensino das Artes Visuais pela Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação e Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Expõe regularmente conta já com diversos prémios na área da pintura. Atualmente é professor de Artes Visuais no Ensino Básico e Secundário, e Investigador colaborador do I2ADS — Instituto de Investigação em Arte, Design e Sociedade da Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto.

 

 

U.Porto editorial

Reitoria da Universidade do Porto

Praça Gomes Teixeira, 4099-002 PORTO

Tel.: 220 408 196  Fax: 220 408 186

URL: editorial.up.pt/

BRDE convida para SHOW RURAL / curitiba

A ARTE DE ALMANDRADE É TEMA DE EXPOSIÇÃO NA CAIXA CULTURAL DE SÃO PAULO


 

Mostra documenta cerca de 40 anos de arte do artista plástico baiano


Entre os dias 03 de dezembro de 2011 e 26 de fevereiro de 2012 estará em exposição na Caixa Cultural SP a mostra “Almandrade – esculturas, objetos, pinturas, desenhos, instalação e poemas visuais”. Esta exposição tem caráter comemorativo e documenta cerca de 40 anos de arte do artista plástico Almandrade. A entrada é franca.

Esta exposição é um recorte do seu trabalho elaborado em mais de três décadas de utilização do objeto de arte para estimular o pensamento e provocar a reflexão, segundo critério fundamentados na racionalidade, na materialidade e, não por acaso, na economia de dados, sem deixar que conceitos sobreponham ao fazer artístico. Almandrade compromete-se com a pesquisa de linguagens artísticas que envolve artes plásticas, poesia e conceitos. No percurso do artista, destaca-se a passagem pelo concretismo e a arte conceitual, nos anos 70, o que contribuiu fortemente com a incessante busca de uma linguagem singular, limpa, de vocabulário gráfico sintético. De certa forma, um trabalho que sempre se diferenciou da arte produzida na Bahia.

O trabalho de Almandrade, tanto pictórico quanto linguístico, vem se impondo, ao longo de todos esses anos, como um lugar de reflexão, solitário e à margem do cenário cultural baiano. Depois dos primeiros ensaios figurativos, no início da década de 70, conquistando uma Menção Honrosa no I Salão Estudantil, em 1972, sua pesquisa plástica se encaminha para o abstracionismo geométrico e para a arte conceitual. Como poeta, mantém contato com a poesia concreta e o poema/processo, produzindo uma série de poemas visuais. Com um estudo mais rigoroso do construtivismo e da Arte Conceitual, sua arte se desenvolve entre a geometria e o conceito. Desenhos em preto-e-branco, objetos e projetos de instalações, essencialmente cerebrais, calcados num procedimento primoroso de tratar questões práticas e conceituais, marcam a produção deste artista na segunda metade da década de 70.

 

Redescobre a cor no começo dos anos 80 e os trabalhos, quer sejam pinturas ou objetos e esculturas, ganham uma dimensão lúdica, sem perder a coerência e a capacidade de divertir com inteligência.

 

Um escultor que trabalha com a cor e com o espaço e um pintor que medita sobre a forma, o traço e a cor no plano da tela. A arte de Almandrade dialoga com certas referências da modernidade, reinventando novas leituras.

 

ALMANDRADE

(Antônio Luiz M. Andrade)

Artista plástico, arquiteto, mestre em desenho urbano e poeta. Participou de várias mostras coletivas, entre elas: XII, XIII e XVI Bienal de São Paulo; “Em Busca da Essência” – mostra especial da XIX Bienal de São Paulo; IV Salão Nacional; Universo do Futebol (MAM/Rio); Feira Nacional (S.Paulo); II Salão Paulista, I Exposição Internacional de Escultura Efêmeras (Fortaleza); I Salão Baiano; II Salão Nacional; Menção honrosa no I Salão Estudantil em 1972. Integrou coletivas de poemas visuais, multimeios e projetos de instalações no Brasil e exterior. Um dos criadores do Grupo de Estudos de Linguagem da Bahia que editou a revista “Semiótica” em 1974. Realizou cerca de vinte exposições individuais em Salvador, Recife, Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo entre 1975 e 1997; escreveu em vários jornais e revistas especializados sobre arte, arquitetura e urbanismo. Prêmios nos concursos de projetos para obras de artes plásticas do Museu de Arte Moderna da Bahia, 1981/82. Prêmio Fundarte no XXXIX Salão de Artes Plásticas de Pernambuco em 1986. Editou os livretos de poesias e/ou trabalhos visuais: “O Sacrifício do Sentido”, “Obscuridades do Riso”, “Poemas”, “Suor Noturno” e Arquitetura de Algodão”. Prêmio Copene de cultura e arte, 1997. Tem trabalhos  em vários acervos particulares e públicos, como: Museu de Arte Moderna da Bahia e Pinacoteca Municipal de São Paulo.

 

SERVIÇO:

Exposição: A Arte de Almandrade

Abertura e visita guiada pelo artista: dia 03 de dezembro, a partir das 11h

Visitação: de 03 de dezembro de 2011 a 26 de fevereiro de 2012

Horário de visitação: de terça-feira a domingo, das 9h às 21h.

Local: CAIXA Cultural São Paulo (Sé) – Praça da Sé, 111 – Centro – São Paulo/SP

Informações, agendamento de visitas mediadas e translado (ônibus) para escolas públicas:            (11) 3321-4400      

Acesso para pessoas com necessidades especiais

Entrada: franca
Recomendação etária: Livre
Patrocínio: Caixa Econômica Federal

——————————————-

AS ESCULTURAS DE ALMANDRADE


Cada uma das peças compõem-se de duas placas encaixadas que foram colocadas diretamente sobre o chão. As placas são recortadas e vazadas e não se empregam pregos, colas ou emendas.


Para se traçar um paralelo dentro da arte contemporânea dessas peças com objetos de outros artistas, seria interessante dizer que as esculturas de Almandrade mantém uma certa identidade com as de Franz Weissman e Amílcar de Castro. O construtivismo, a economia material e a escolha de cores simples são conceitos presentes na obra dos três artistas. No entanto, há elementos de distinção. Franz Weissman e Amílcar de Castro usam solda ou dobra na confecção de seus objetos.


Almandrade usa como procedimento de montagem o encaixe direto, onde os planos de madeira laminada se interpenetram e se apoiam mutuamente.


O fato de não haver dobra nas peças de Almandrade é um índice importante para a análise de sua obra. Almandrade intencionalmente mantém uma distância do barroquismo, do expressionismo e de outras tendências do tipo sensual muito recorrentes na arte baiana e brasileira.


O barroco tem muitas seduções. A dobra que vai ao infinito é um artifício barroco que ultrapassa sua própria moda e seus limites históricos (ver Deleuze em A Dobra, Leibnitz e o Barroco). Com a dobra, a escultura ganha uma vibração especial, estendendo-se à arquitetura e alcança espaços cada vez mais amplos. Trata-se de uma ilusão de ótica que realmente abre um campo de significados.


As peças de Almandrade não possuem a dobra, evitando o seu ilusionismo. A dobra na escultura permite a mudança de plano sem rupturas de continuidade. O olhar que acompanha um plano ao passar pela dobra aceita a mudança de direção e é convidado a avançar sucessivamente até deslizar em uma outra dobra. A dobra provoca um despistamento que, se por um lado seduz, por outro distrai o expectador. Pode-se dizer, além disso que a ambivalência da dobra percorre uma espiral que vai do desejo à melancolia. Ao suprimir a dobra Almandrade parece estar procurando evitar a dispersão intelectual e o efeito de superfície.


Curiosamente, nos retábulos barrocos brasileiros, no entanto, as peças de madeira que sustentavam as dobras e curvas das superfícies ornamentadas, eram montadas com encaixes. Esses encaixes tinham que ser perfeitos em sua geometria. O barroco recorreu em suas bases construtivas a técnica do ensamblamento. Ensamblar significava, no dicionário de arquitetura e ornamentação, reunir, juntar, encaixar peças de diversos materiais. Um glossário do barroco mineiro traz uma referência documental, datada de 1771, referente à construção de uma igreja em Sabará, de um “ensamblamento” de pedras, com ferro e chumbo.


As peças reunidas nos retábulos de madeira das igrejas barrocas deviam ser ensambladas, quer dizer, encaixadas uma nas outras, sem a necessidade de recorrer-se a pregos ou colagens.


Nesse sentido as peças de Almandrade contém um ar clássico que, pode-se afirmar, continua atravessando até hoje, energicamente, o mundo material das artes plásticas. Esse trabalho parece estar respondendo a pergunta fundamental, o que assegura a expansão expressiva infinita (da arte, da imaginação, das dobras) em relação ao portador finito (a madeira, o ferro, a pedra)? Qual é estrutura construtiva, quais são os encaixes e as articulações que permitem a realização de uma obra?


Francisco Antônio Zorzo

——————————————————————————–

Bibliografia

Ávila, Affonso et. Al. Barroco Mineiro Glossário de Arquitetura e Ornamentação

JORGE LUIZ BALBYNS e JORGE LESCANO conviadam: em São Paulo

 

O   C A N T O   D O   C I S N E

 

 

O canto do cisne é uma das peças curtas de Anton Tchekhov escrita em 1897.

 

No desenrolar do texto, surgem os dois únicos personagens: Vânia e Nikita, ator e o ponto do teatro, respectivamente. Vânia, ator-personagem de 68 anos, traz em si questionamentos que revelam profunda solidão e angústia humanas. Por outro lado, como uma visão “sobrenatural”, surge o ponto, personagem esse que reforça a metalinguagem teatral, servindo de apoio para os devaneios histriônicos e autobiográficos da personagem central, Vânia.

 

Do camarim, embriagado, surge o personagem Vânia, em conflito com sua própria história de ator de 68 anos, mergulhado na sua realidade decadente e vil. A chegada de Nikita (o ponto) instiga (o ator) Vânia, carente e desiludido, abandonado a sua própria sorte, a representar, de maneira eloquente sua vida através de trechos de espetáculos e personagens supostamente vividos por ele em sua trajetória, tais como Rei Lear, Hamlet e Otelo e recita trechos de poesia de Boris Godunov, obra prima do maior poeta romântico russo, Alexander Puchkin. Esses momentos se confundem e tornam o texto cada vez mais denso e intrigante.

 

“Testar” a atualidade do teatro de Tchekhov através da leitura segundo Brecht e Beckett. O distanciamento do alemão e a identificação da decrepitude, característica dos personagens do irlandês. Seria possível esta leitura? Tal o desafio proposto.

 

A pesquisa sobre o texto incluiu o reconhecimento do momento histórico em que a obra foi escrita. Tratava-se de um momento de transição tanto estética quanto política na Rússia tzarista. Em verdade, a mudança estética retratava o momento político. Nesse contexto surgem os personagens decadentes, niilistas, anarquistas, e também os humilhados e ofendidos, os marginados, os esquecidos, retratados tanto por Tchekhov quanto por Turgueniev, Dostoievski, Tolstoi e Máximo Gorki, último escritor russo e primeiro soviético. Todos eles, nas palavras de Dostoievski, surgidos do Capote de Gógol, texto fundador da literatura russa associada ao realismo.

 

Talvez a característica que diferencie Tchekhov dos seus contemporâneos seja o humor particular, irônico e melancólico a um só tempo. Esta característica o aproxima dos vagabundos e despojados de Beckett, espécie de clowns sem circo. Seres exilados da vida sem sair do palco da realidade cotidiana. Também a permanência dos seus problemas permite que sejam representados e assimilados pelo público com a mesma atualidade de sua estréia no século XIX.

 

Parece não haver contradição ou traição ao autor ao relacioná-lo com as atuais poéticas teatrais. Antes, trata-se de atualizar também a pesquisa, que no momento da estréia obrigava Stanislavski a criar novos métodos de atuação. A pertinência desta escolha fica clara pelo resultado obtido.

DANTE MENDONÇA e ALIANÇA FRANCESA convidam: / curitiba.pr

TEATRO AUGUSTA convida para “A CASA DOS DADOS” / são paulo.sp

CARAVANA ANTINUCLEAR parte para o Sertão nesta quinta-feira – 27/10/11 – recife.pe


 

No período de 28 a 31 de outubro a Caravana Antinuclear estará percorrendo os municípios pernambucanos de Belém do São Francisco, Floresta, Itacuruba e Jatobá. O objetivo é levar para estas cidades sertanejas informações sobre os impactos que ocorrerão com a instalação de uma usina nuclear em Itacuruba. O ônibus conduzindo seus integrantes sairá da frente da Reitoria da UFPE, às 17 horas desta quinta-feira, dia 27. Nele vão embarcar integrantes do MESPE – Movimento Ecossocialista de Pernambuco, do Greenpeace e da Articulação Anti Nuclear Brasileira, acompanhados de professores universitários, jornalistas, artistas e ambientalistas daqui e de outras partes do país, que vieram apoiar essa mobilização.

 

A Caravana terá atividades integradas como exposições, debates, feira de ciências, apresentação de teatro, cantadores e poetas populares, para ajudar a população a compreender os riscos de uma usina nuclear na região, assim como as possibilidades de gerar energia elétrica a partir do sol, dos ventos, de outras fontes renováveis de energia que não destroem a natureza e nem causam danos às pessoas. “A Caravana Antinuclear espera alertar as populações para os riscos da instalação dessa usina. O governo decidiu e planeja instalar a usina nuclear, mas não faz um diálogo com o povo da região para que ele fique ciente dos riscos, principalmente à saúde e ao meio ambiente. A Caravana vem para cumprir esse papel, para isso organizações locais ajudam a mobilizar o maior número de pessoas”, afirma o coordenador da Caravana, físico e professor Heitor Scalambrini Costa.

 

A primeira parada será nesta sexta-feira, em Belém do São Francisco, no sábado a Caravana aporta em Floresta, no domingo em Itacuruba, local onde está prevista a instalação da usina. A última cidade a receber os manifestantes antinucleares será Jatobá, com a programação prevista para segunda-feira. Todas as atividades da Caravana serão gratuitas. Associações, sindicatos, igrejas, escolas e várias outras organizações sociais da região estão se mobilizando para participar do evento, que tem como um dos organizadores o Movimento Cultura de Paz da Diocese de Pesqueira

 

Contato: Heitor Scalambrini Costa – 9964.4366

Jornalista/Assessor de Imprensa: Gerson Flávio – 8649.8759 ou 7812.0080

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO – Campus do Recife convida:

 

GILBERTO SOUTO convida para lançamento de seu livro dia 20/10/11 – ilha de santa catarina

Lançamento do livro “Avaliação em Planeamento Urbano” / Reitoria da Universidade do Porto / portugal


Demonstrar que é possível e desejável avaliar de forma sistemática a atividade de planeamento urbano é o propósito de Vítor Oliveira no livro “Avaliação em Planeamento Urbano”, obra editada pela U.Porto editorial que será apresentada no próximo dia próximo dia 24 de outubro, na Fnac de Santa Catarina. Paulo Pinho, professor da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) e coordenador da Secção de Planeamento do Território e Ambiente e diretor do Centro de Investigação do Território, Transportes e Ambiente daquela faculdade fará a apresentação do livro.

Depois de uma primeira parte, em que faz um enquadramento teórico e metodológico do tema, o autor propõe uma metodologia de avaliação do Plano Diretor Municipal (PDM), o elemento central do sistema de planeamento urbano em Portugal. Aplica a metodologia aos planos diretores atualmente em vigor em Lisboa e no Porto, avaliando cada um destes dois casos em termos de racionalidade do plano, de performance do processo de planeamento e de conformidade dos resultados obtidos. Conclui que é possível aplicar uma metodologia de avaliação de planos diretores que  permita um juízo de valor sobre os documentos e que  contribua, através de um processo de contínua aprendizagem, para melhorar a qualidade desses planos, dos processos de planeamento, e do ambiente urbano das cidades em que intervêm.

A sessão de apresentação terá lugar pelas 18h30, na Fnac de Santa Catarina, no Porto. A entrada é livre.

U.Porto editorial

Reitoria da Universidade do Porto

Praça Gomes Teixeira, 4099-002 PORTO

Tel.: 220 408 196  Fax: 220 408 186

URL: editorial.up.pt/

WILSON RIO APA – VIDA e OBRA: lançamento dia 16/10/2011 no SOLAR DO ROSÁRIO / curitiba

LANÇAMENTO DA FRENTE CONTRA A USINA SUJA EM PERNAMBUCO – CONVITE feito por HEITOR SCALAMBRINI COSTA / recife

CONVITE

LANÇAMENTO DA FRENTE CONTRA A USINA SUJA EM PERNAMBUCO


Dia: 3 de outubro (segunda-feira)
Hora: 19: 30 hs

Local: Auditorio do Sindicato dos Médicos (SIMEPE)
Av. João de Barros, 587 – Boa Vista

VENHA DIZER NÃO  AS FONTES ENERGETICAS SUJAS

VENHA DIZER SIM AS FONTES ENERGETICAS LIMPAS

FUNDAÇÃO CULTURAL FRANKLIN CASCAES convida: / ilha de santa catarina

convite-online-encontro-das-nacoes-final.jpg

ATELIÊ EDITORIAL convida: Eliete Negreiros lê e canta Paulinho da Viola na Livraria da Vila / são paulo

Ateliê Editorial

SEMANA ANTI NUCLEAR na cidade de RECIFE / pernambuco

Neste mês de agosto ocorrerá em Recife a Semana Anti Nuclear, organizada pelo Movimento Ecossocialista de Pernambuco (www.mespe2011.ning.com) com o apoio da Fundação Lauro Campos, Fundação Heinrich Böll, Greenpeace, Centro Cultural Correios, Simples Consultoria e Articulação Anti Nuclear Brasileira.

Na quarta-feira dia 10, as 19 horas, no Centro Cultural Correios haverá o lançamento da Revista Ecoss de Pernambuco com o tema “Reflexões sobre Energia Nuclear”, reunindo textos de autores do mundo acadêmico, político e de organizações sociais. Em seguida ocorrerá o debate Pernambuco: Energia Nuclear e Desenvolvimento, tendo com debatedores o professor Claudio Ubiratan Gonçalves (UFPE), o professor Heitor Scalambrini Costa (UFPE/Mespe) e Roberto Malvezzi, conhecido como Gogó, militante social e escritor.

As 19:30 horas, da sexta-feira dia 12 de agosto, no teatro Hermílio Borba Filho (Teatro Apolo) será apresentado o espetáculo Poético Musical de Educação Ambiental Bicho Homem, com textos de literatura de cordel e músicas de Allan Sales e Trupe. Na ocasião será lançado o cordel “Não queremos usina nuclear em Pernambuco, no Nordeste e no Brasil”, de autoria de Allan Sales.

Serviço:
Lançamento da Revista Ecos de Pernambuco
Debate Pernambuco: Energia Nuclear e Desenvolvimento
Dia: 10 (quarta-feira)
Mês: agosto de 2011
Hora: 19 horas
Local: Centro Cultural Correios, Av. Marques de Olinda-262 (bairro do Recife)
Fones: 3224-5739/3424-1935

Espetáculo Poético Musical de Educação Ambiental Bicho Homem e
Lançamento do cordel “Não queremos usina nuclear em Pernambuco, no Nordeste e no Brasil”
Dia: 12 (sexta-feira)
Mês: agosto de 2011
Hora: 19:30 horas
Local: Teatro Hermílio Borba Filho (teatro Apolo), Rua do Apolo, 121 (bairro do Recife)
Fone: 3355-3320

Movimento Ecossocialista de Pernambuco
site: www.mespe2011.ning.com
e-mail: mespe2011@gmail.com
Twitter: @mespe2011
Facebook: www.facebook.com/mespe2011

ESPAÇO CULTURAL E GASTRONÔMICO “ALBERTO MASSUDA” apresenta: “TRIO D FAVETTI” / curitiba

“ESTÂNCIA DA POESIA CRIOULA” a Academia Xucra do Rio Grande, lançou sua “ANTOLOGIA 2011”, está nas livrarias / porto alegre

ESTRELA LEMINSKI lança o livro “POESIAÉNÃO” na livraria Realejo / santos.sp

Lançamento do livro “Fazer Falar a Pintura” – na UNIVERSIDADE DO PORTO / portugal

“Fazer Falar a Pintura”, o novo livro editado pela U.Porto editorial, organizado por António Quadros Ferreira, será lançado no próximo dia 7 de Julho, na Fundação de Serralves, no Porto. A apresentação da obra será feita por João Fernandes, Director do Museu de Serralves.

 

O livro apresenta testemunhos de 58 professores-pintores de Portugal, Espanha, França e Bélgica, nos quais a produção artística se alia ao discurso na primeira pessoa. Cada autor apresenta uma imagem e um texto que incide sobre a especificidade do objecto da pintura, descrevendo-o. Fazer Falar a Pintura é um projecto de discurso académico sobre a arte, sobre o ensino da arte, sobre a pintura, e o ensino da pintura em particular.

 

A sessão de apresentação realiza-se pelas 18h30, no foyer do auditório da Fundação de Serralves, sita na Rua Dom João de Castro, n.º 210, no Porto. A entrada é livre.

 

O livro está disponível para compra em: http://www.wook.pt/ficha/fazer-falar-a-pintura/a/id/10984463

 

 

U.Porto editorial

Reitoria da Universidade do Porto

Praça Gomes Teixeira, 4099-002 PORTO

Tel.: 220 408 196  Fax: 220 408 186

URL: editorial.up.pt/

Exposição “Máquinas” reúne obras de 16 artistas de vários países

A ação integra a programação paralela da Bienal de Curitiba

CURITIBA, 28/06/2011 – Nesta quarta-feira (29), será aberta ao público a exposição “Máquinas”, em Belo Horizonte (MG). O evento faz parte da programação paralela da 6ª VentoSul – Bienal Internacional de Arte Contemporânea de Curitiba. A exposição apresenta obras de 16 artistas de vários países da Europa, Ásia e Américas e, alguns deles também participarão das exposições da Bienal de Curitiba, a partir de setembro. A ação é uma iniciativa do Oi Futuro, em conjunto com Goethe-Institut, com patrocínio da Oi, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura (MG), e conta com apoio do Instituto Paranaense de Arte e da 6ª Bienal de Curitiba.

 

“Máquinas” tem curadoria de Alfons Hug e Alberto Saraiva e co-curadoria de Paz Guevara. As obras expostas são dos artistas: O Grivo (Brasil), Chico Fernandes (Brasil), Roman Signer (Suíça), Ali Kazma (Turquia), Dinh Q. Lê (Vietnã), Laurent Gutiérrez/Valérie Portefaix (França/ Hong Kong), Zhou Tao (China), Michel de Broin (Canadá), Harun Farocki (Alemanha), Desire Machine Collective (Índia), Chen Chieh-Jen (Taiwan), Libia Posada (Colômbia), Lourdes de la Riva (Guatemala), Arirang (Coréia do Norte) e Chris Larson (EUA).

 

A programação geral da Bienal de Curitiba acontece de junho a dezembro de 2011 e inclui projeto educativo, palestras, mesas-redondas, cursos, oficinas, mostra de filmes, performances e interferências urbanas. As exposições na capital paranaense acontecem de 18 de setembro a 20 de novembro em diversos espaços.

 

Serviço

Exposição Máquinas
De 29 de junho a 21 de agosto

De terça a sábado, das 11h às 21h, domingo, das 11h às 19h

Galeria Oi Futuro BH: Av. Afonso Pena 4001 – Mangabeiras

Entrada franca | Classificação etária: Livre

“LAZANHA DA SÔNIA” ! TODO MUNDO LÁ! dia 18/6/11

na PRAIA dos INGLESES em Floripa.

GLORIA KIRINUS convida: / curitiba

WONKA BAR e VOX URBE apresentam: / curitiba

Vox Urbe 10_05.jpg

LUCIANA CAÑETE e Editora Positivo convidam: curitiba

PAULINHO DA VIOLA e Atelier Editorial convidam:

CAMPANHA CONTRA A VIOLÊNCIA SEXUAL em MULHERES e CRIANÇAS na NICARÁGUA


A ANTROPÓLOGA de zeca nunes pires estréia nos cinemas de Florianópolis

Sobre o longa metragem catarinense ” A ANTROPÓLOGA” e seu diretor ZÉCA NUNES PIRES

O longa A Antropóloga,um filme dirigido pelo ilhéu Zéca Nunes Pires (seus antepassados vieram da Ilha do Faial), filho do ilustre professor Aníbal Nunes Pires,sobrinho-neto dos escritores Eduardo e Horácio Nunes Pires  e neto de Feliciano Nunes Pires,escritor,autor da letra do Hino de Santa Catarina,eminente homem público. Como seus ilustres familiares Zéca Pires é um homem de cultura.Preocupado em salvaguardar os valores culturais de sua terra, de ouvir a sua gente, de ser voz livre a favor da democracia da cultura. Seu filme A Antropóloga representa uma inovação na cinematografia catarinense. Com cerca de 90% das imagens captadas na Costa da Lagoa,comunidade remota de pescadores da Ilha de Santa Catarina,o filme retrata Florianópolis com um novo olhar.O olhar do imaginário insular e bruxólico,da ilha encantada com seus mistérios anímicos cantada em prosa e verso por tantos escritores e,sobretudo,por Franklin Cascaes. Fala da memória coletiva,dos usos e costumes,da vida de uma comunidade localizada junto a Lagoa da Conceição, no mesmo cenário onde há 260 anos chegaramos povoadores açorianos.
O Blog Comunidades cumpre a sua missão de noticiar a realização deste importante projeto cinematográfico de grande relevância para a produção cultural do nosso estado. Principalmente,difundir os andamentos do longa metragem “A Antropóloga”,em fase de finalização,dirigido de forma competente,criativa pelo jovem e talentoso cineasta (realizador) José Henrique Nunes Pires (Zéca Pires). No seu longo caminho,Zéca contou com uma série de apoios institucionais e, sem dúvida, poder contar com a parceria inconteste da RTP-Açores foi fundamental-

Apresenta-se um “release” sobre “A ANTROPÒLOGA”,na certeza de seu grandioso sucesso.

Lélia Pereira da S.Nunes
Fevereiro.2009

 A ANTROPÓLOGA –

1. O Filme

A protagonista Malu (Larissa Bracher), antropóloga açoriana da Ilha do Pico, resgata com grande suspense os mistérios da cultura popular e do folclore da Ilha. É por meio do olhar de Malu que a Costa da Lagoa se transforma em cenário de experiências emocionantes, que unem humanos e espíritos em ambientes de intensa magia. Muitos planos sugerem um olhar de “espreita”, muito comum na comunidade da Costa da Lagoa, seja pela característica da pequena localidade de pescadores ou pelo olhar de um ser estranho presente nas lendas locais e no filme. Esses enquadramentos, segundo Nunes Pires, não correspondem a planos do narrador e sim de alguém que observa esses momentos. 

2.O Enredo

O enredo de A Antropóloga é também uma homenagem às tradições populares de Florianópolis. A obra de Franklin Cascaes, renomado artista plástico e pesquisador da Ilha, inspiram o eixo central da trama que envolve Malu em surpreendentes descobertas.
Oferecendo entretenimento, suspense e conhecimento sobre este estranho aspecto da cultura catarinense, nosso público alvo pretendido é o freqüentador de cinema, acima de 12 anos, morador das grandes cidades

3.Sinopse
A Antropóloga é um longa-metragem de suspense que aborda a relação dos habitantes da Costa da Lagoa, um reduto açoriano em Florianópolis, com o mundo sobrenatural, no tempo presente. Por meio da protagonista Malu, uma antropóloga açoriana, nascida na Ilha do Pico,que vem ao sul Brasil desenvolver uma pesquisa sobre etnobotânica, são vivenciadas experiências que desafiam o limite do entendimento sobre a razão e a imaginação.
Aos 33 anos, Malu realiza na Costa da Lagoa sua primeira pesquisa de campo como antropóloga. Mais do que um marco em sua carreira, a viagem a Florianópolis também representa a chance de evoluir em sua vida pessoal, marcada por relacionamentos difíceis e perdas. É com Dona Ritinha, a benzedeira mais famosa da comunidade, que Malu começa o aprendizado sobre a cultura mística que os descendentes de açorianos preservam no local. Ao acompanhar seu trabalho com as ervas no tratamento de Carolina, filha do médico Adriano, Malu descobre que a menina está sendo empresada por uma bruxa maléfica. O Velho Delano é quem reforça para Malu a necessidade de acreditar no sobrenatural e, mais do que isso, acaba envolvendo-a na cura da menina.
Lila, a amiga e professora que vive nos Açores, encoraja Malu a vivenciar a pesquisa em toda a sua magnitude. Apresenta a ela o trabalho de Franklin Cascaes, famoso artista de Florianópolis que retratou o imaginário popular da Ilha em suas obras. As respostas que encontra no acervo de Cascaes, aliadas ao conhecimento de Dona Ritinha, levam Malu a um caminho inesperado.
Malu sofre conflitos emocionais e singra a verdadeira viagem rumo ao autoconhecimento. 


Foto Cláudio Silva

A VOZ na CANÇÃO POPULAR BRASILERA – de regina machado / são paulo

CANAL DA MÚSICA convida: / curitiba

VINICIUS ALVES, SILVEIRA de SOUZA, Fundação BADESC e BERNÚNCIA Editora convidam: ilha de santa catarina

clique para ampliar:

“CONVERSAS AO PÉ DA PÁGINA”: programação para 2011 / são paulo

CLIQUE PARA AMPLIAR

BRDE e CORECON-PR lançam prêmios para economistas e estudantes / paraná

Com uma palestra do economista Magno Andrioli Bittencourt sobre “O Brasil no contexto mundial”, o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE e o CORECON-PR lançaram nesta sexta-feira a noite (08) na Unioeste, em Francisco Beltrão, o 6º Prêmio BRDE de Desenvolvimento e o 21º Prêmio Paraná de Economia. O Prêmio Paraná de Economia tem como objetivo estimular e valorizar a produção científica, na categoria Monografia de Conclusão de Curso de Graduação em Ciências Econômicas.

O Diretor de Acompanhamento e Recuperação de Créditos do BRDE, Nivaldo Assis Pagliari comentou a escolha do tema desta edição do Prêmio BRDE de Desenvolvimento. ”O banco tem uma ligação histórica com as cooperativas e o tema ‘A Contribuição do Cooperativismo para o Desenvolvimento da Economia Paranaense’ é uma homenagem a esta parceria no ano em que o BRDE completa 50 anos”, comentou. Ao falar para o público formado por professores e estudantes da Unioeste, Nivaldo Assis Pagliari comentou a sua experiência como professor de contabilidade em Pato Branco e incentivou a participação dos estudantes. “Além de auxiliar o Banco no seu processo de análise e concessão de crédito e no planejamento de suas atividades, a pesquisa  traz um impacto muito positivo na carreira profissional dos estudantes”, comentou. Nivaldo Pagliari lembrou também da importância do lançamento e premiação ocorrerem a cada ano em uma cidade diferente como forma de incentivar a participação de profissionais e estudantes de todas as regiões do Paraná.

 

Os prêmios para a edição deste ano do Prêmio BRDE de Desenvolvimento somam R$ 10.000,00, conforme a classificação:

– 1º colocado ………………… R$ 5.000,00

– 2º colocado ………………… R$ 3.000,00

– 3º colocado ………………… R$ 2.000,00

 

Informações: (41) 3336-0701

 

O regulamento completo estará nos sites:

www.brde.com.br

www.corecon-pr.org.br

 

 

 

Suzan Fernanda Thome Speltz
Estagiária / Ascom_PR
Fone: 41 3219-8035
Fax:   41 3219-8020

www.brde.com.br

 

SESC – CULTURA convida: itajaí.sc


CIRCUITO SESC DE MÚSICA – 2ª ETAPA


Grupo Cata-Vento liderado pelo violonista Felipe Coelho, traz um show apresentando a música “aberta”: a música do mundo, sem delineações estilísticas, priorizando somente a beleza do som. Ganhadores do Premio Funarte 2010 de âmbito nacional, do Premio Elizabete Anderle da Fundação Catarinense de Cultura 2009, e com a experiência de 3 turnês nacionais em seu currículo, o grupo também já foi convidado a grandes festivais como as Oficinas de Curitiba (programa oficial), o Joinville Jazz Festival, o Festival Internacional de Flamenco de São José dos Campos SP, entre outros. O quarteto de cordas do CataVento é formado por Ricardo Muller, Frederico Ivan Martins, Marcos Origuella e Tales Custódio, vindos de diferentes estados do Brasil, residentes em Florianópolis e atuantes nas orquestras Filarmônica, e Orquestra da UDESC. Vídeos, música e agenda podem ser vistos em www.myspace.com/felipefcoelho

Quando: dia(s) 12/04, Terça, às 20h

Onde: Teatro Municipal de Itajaí

Quanto: R$0,50 meia e R$ 1,00 inteira.

 

GINGA do MANÉ convida para RODA de CHORO: ilha de santa catarina

RUDI BODANESE convida para noite especial: ilha de santa catarina

TRIO FAVETTI EM FLORIPAemail

UNIVERSIDADE do PORTO convida para a FEIRA do LIVRO NOVO e ANTIGO

 

flyer e mail 3feira livro.jpg

 

A 3.ª Feira do Livro Novo e Usado chega ao edifício da Reitoria da Universidade do Porto, na Praça Gomes Teixeira, nos próximos dias 1 e 2 Abril. Dez livrarias da zona envolvente mudam-se durante dois dias para as arcadas do edifício, juntando-se à Loja da Universidade do Porto, para apresentar à cidade um conjunto diversificado de publicações à venda com preços convidativos.

As livrarias Imprensa Nacional Casa da Moeda, Utopia, Vieira, Lumiére, Poetria, Varadero, João Soares, Moreira da Costa, Candelabro e Paraíso do Livro vão estar representadas no espaço da feira. A Loja da Universidade do Porto participa na iniciativa a partir do seu próprio espaço.

A feira estará aberta entre as 10h00 e as 20h00.

 

U.Porto editorial

Reitoria da Universidade do Porto

Praça Gomes Teixeira, 4099-002 PORTO

Tel.: 220 408 196  Fax: 220 408 186

URL: editorial.up.pt/

 

HERMES BAR convida: / curitiba

Jucamaria e Casa das Máquinas convidam: (ilha de santa catarina)


ENCONTRO de  GAITAS e CORDAS

Um encontro musical inédito que reunirá seis artistas, reconhecidos pela crítica especializada nacional e internacionalmente, e que se juntam em dois  Shows de 70 min cada, onde eles estarão apresentando suas composições e a proposta pela qual se enlaçaram…unindo seus talentos e seus instrumentos:  Alessandro Kramer ( Acordeon) , Gabriel Grossi (  gaita de boca),  Alegre Correa ( Guitarra e percussão)   Guinha Ramires ( violão), Marcoliva ( violão e voz) e Tatiana Cobbett ( voz).

Com formações e experiências diferentes estes músicos compositores, se dividirão em duas apresentações, na primeira que acontecerá no dia 24 de março às 20hs na Casa das Máquinas com foco no público estudantil, Tatiana, Marcoliva, Bebê Kramer e Gabriel Grossi mesclam canções próprias com a música instrumental com o máximo aproveitamento de seus instrumentos,  veias criadoras e interpretativas.

 

No segundo Show que acontecerá  no mesmo espaço às 21hs do dia 25 de março, é a vez dos instrumentistas e compositores Guinha Ramires e Alegre Correa se juntarem à Alessandro Bebê Kramer e Gabriel Grossi para juntos delinear num repertório próprio e totalmente instrumental arranjos especialmente criados para seus instrumentos, Violão, Guitarra, Acordeon e Gaita de Boca.

Dois momentos de exuberância, inventividade  e grande qualidade do que conhecemos por música brasileira


Serviço:

Quinta – dia 24 – 20hs – Encontro de Gaitas e Cordas:  Bebê Kramer, Gabriel Grossi, Marcoliva e Tatiana Cobbett ( gratuito e fechado para escolas)

Sexta – dia 25 –21hs – Encontro Gaitas e Cordas : Bebê Kramer, Gabriel Grossi, Alegre Corrêa e Guinha Ramires ( ingressos, R$ 20,00 – à venda no local ou antecipada via depósito bancário com informações pelo fone 9107-4457 ou e-mail juamplitude@ibest.com.br)

Local: Casa da Máquinas

Henrique Veras do Nascimento nº50 – Praça Bento Silvério –Lagoa da Conceição

Florianópolis – Tel: 48 3232-1514

 

Roda de Choro com “GINGA DO MANÉ”, convida para hoje (17/3/11) e demais quintas:

LIVRARIA CULTURA e ATELIÊ EDITORIAL convidam: /são paulo

WONKA BAR: programação para a semana do carnaval / curitiba

 

 

Wonkarnival:

SEXTA 04 março

 


Duas grandes bandas, uma grande noite indie para abrir o carnaval que tem a cara de Curitiba.
O Wonka abre às 22h
Promoção, pague R$20 e beba à vontade cerveja, vodca e xiboquinha até a meia-noite.
Após a meia-noite R$10

 

SABADO 05 março

ROCK2ROCK

Pra dançar, pra encontrar os amigos, pra curtir um rock cercado de gente bonita, sob o comando dos Djs Claudinha, Bernardo & Georgia.
É ROCK2ROCK!!!
O bar abre às 22h
até meia-noite, garotas FREE, garotos consumação mínima R$8, após todos pagam R$12 de entrada.

DOMINGO 06 março


WOW! POSH! especial de carnaval

Brique, Lúdica, Ledux, Ponnei.com, Lolitas, e deluxe convidam para a maior festa de curitiba,

com os DJs Alexandre Bogus (WOW!), Neto Niggaz (POSH! SP), Gil Riquerme (POSH! SP), André Laface (POSH! SP) eSoundman Pako (Rolldabeetz).

Pix by Ledux CWB

Hostess Anni Barros

O Wonka abre às 22h

Entrada R$8 até meia-noite, após R$12.

SEGUNDA 07 março

Fast Fashion

Aproveite o clima de Carnaval para se montar.

Line up: Karla Gironda (revedemode.blogspot), Giuliana Nunes (like U Like), Débora Mello (Galeria Lúdica), Gil Preto (Gummy) eLuízo Cavet (ivegotyoudancing.com)

Hostess Gabriel Andrade

O Wonka abre às 22h

Entrada R$8 até meia-noite, após R$12.

TERÇA 08 março – FECHADO

QUARTA 09 março – FECHADO

QUINTA 10 março

WONKA JAZZ PROJECT

Jam como nos melhores clubes de jazz do mundo, o Wonka Jazz Project é formado pelo baterista Fernando Rivabem, o baixista Cris Julian e o guitarrista Oliver Pellet.

O Wonka abre às 21h

Entrada R$5 até meia-noite, após R$8

SEXTA 11 março

SubburbiaAudac

3° Encontro da comunidade brasileira em Dortmund – Alemanha

WONKA BAR, reabre em alto estilo / curitiba

Espaço Cultural BRDE abre inscrições para propostas de exposições de artes visuais / curitiba

BANCO REGIONAL DE DESENVOLVIMENTO DO EXTREMO SUL 


Interessados em participar das exposições do Espaço Cultural BRDE a partir de julho de 2011 já podem inscrever seus trabalhos. As propostas poderão ser encaminhadas até o dia 31 de março. Para inscrever um projeto, o primeiro passo é entrar no site do BRDE (www.brde.com.br) e clicar no banner “Espaço Cultural”. Lá o candidato terá acesso ao regulamento no qual poderá obter todas as informações necessárias sobre a apresentação das propostas.

Uma equipe de funcionários do BRDE, assessorada por um profissional ligado às artes visuais, fará a seleção dos trabalhos. Os projetos escolhidos devem ser divulgados num prazo de 30 dias após o encerramento das inscrições. Mais informações podem ser obtidas através do telefone (41) 3219-8056, das 12:30 às 18:30 h.

Espaço Cultural BRDE – Mantido e coordenado pelo BRDE – Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, o Espaço Cultural já entrou efetivamente no calendário cultural da capital paranaense. O Casarão, como é conhecido, iniciou suas atividades em junho de 2005, no Palacete dos Leões, construção histórica de Curitiba, e desde então já recebeu mostras das mais variadas técnicas e linguagens, tanto de artistas consagrados quanto de iniciantes. Além das exposições de artes visuais, também possibilitou apresentações de grupos musicais e lançamentos de livros. Contabilizando todos os eventos, o Espaço Cultural recebeu um número estimado de 1.500 visitantes em 2010. Considerado pelos artistas como um espaço nobre, o casarão da Rua João Gualberto, no Bairro Alto da Glória, por si só é uma obra de arte. Foi concluído em 1902, para ser residência da família de Ermelino de Leão Júnior, é tombado pelo patrimônio histórico e é testemunho do ciclo da erva mate, um dos períodos mais prósperos da economia paranaense.

Poliana Dal Bosco
ASCOM
Fone: 41 3219.8035
Fax: 41 3219.8153

www.brde.com.br

MAZZA, o Luis Geraldo, é convidado: / curitiba

de noviski.

 

de solda.

LAÍS MANN no KAPELLE PUB dia 05.02.11 / curitiba

ESCOLA NACIONAL FLORESTAN FERNANDES convida :

Banda Foreplay se apresenta no Centro Europeu / curitiba


Curitiba, 18/01/2011 – Nesta quinta-feira, dia 20 de janeiro, o Centro Europeu de Curitiba irá apresentar mais uma atividade da programação especial que conta com atrações musicais, exposições de arte, oficinas e workshops. A banda Foreplay, velha conhecida da noite curitibana, será a atração do dia e comanda um Pocket Show na sede da escola (Rua Brigadeiro Franco – 1700), a partir das 18h. Formada no ano de 2003, a banda é composta pelos músicos Leandro Bandeira (Voz), Julian Barg (Violão), Claudio Jardim (Baixo) e Lucio Trombini (Bateria). A entrada para a apresentação é gratuita. Mais informações pelo telefone (41) 3222-6669 ou no site www.centroeuropeu.com.br.

ATENDIMENTO À IMPRENSA

Lide Multimídia – Assessoria de Imprensa

Eduardo Betinardi

Email: redacao10@lidemultimidia.com.br

Fones: (41) 3016-8083 ou 8803-6070

www.lidemultimidia.com.br

NATAL no BE HAPPY (Porto Alegre) CONVIDA:

SECRETARIA DE DIREITOS HUMANOS DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA convida:

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA-Secretaria de Direitos Humanos e Maurice Politi, CONVIDAM:

 

 

MIRIAM SANTOS convida para “SVEGLIA” / ilha de santa catarina

“Brunch à Moda do Box 32 by Beto Barreiros no Costão Golf” / ilha de santa catarina

Domingo é dia do “Brunch à Moda do Box 32 by Beto Barreiros”, com a equipe de chefs do Costão Golf. É também o dia que Iolanda e Fernando Marcondes de Mattos receberão os amigos para um brinde pela conquista pelo sexto ano consecutivo do melhor Resort de praia do Brasil.  Começa às 12:00 horas. R$ 53,00 por pessoa.   É necessário fazer reserva  pelos telefones 48 3209 1095 e 3269 3606. Rua Dário Manoel da Costa, 2548, Ingleses

O menu degustação terá de entradas:

Presunto espanhol Pata Negra, saladas de folhas crocantes, tomate seco com mussarela de manga, camarões marinados, beringelas marinadas, vinagrete de polvo, capponata italiana, patês de queijo, presunto e tomate seco, pães e torradas.

Pratos principais:

Bacalhau ao forno com tomate seco e bouquet de brócolis, Caldeirada de Frutos do Mar da Costa Catarinense, Carne de Sol de filé com queijo coalho e manteiga de garrafa, Risoto de grãos, Filé de peixe ao bisque de camarão trufado, batatas coradas com ervas e lascas de pecorino e espaguette de legumes com palmito pupunha.

Sobremesas:

Mini Pâtisserie com cinco sabores diferentes e muitas frutas da estação.

“GINGA DO MANÉ” – QUINTA E SÁBADO (lagoa da conceição e centro) / ilha de santa catarina

ALEXANDRE FRANÇA convida para o dia 09 de outubro / curitiba

“GINGA DO MANÉ” na ASTJ = CHORO e SAMBA / são josé.sc

ITAJAZZ hoje / itajaí.sc

“COISAS DE MARIA JOÃO” convida para hoje, 18 e 19.set.10 / ilha de santa catarina

RETTAMOZO expõe no FOLHA SECA / curitiba

“Rettamorfose 1” no Folha Seca

Retta se intitula “gauchibano”. Nasceu em São Tomé, na Argentina e foi registrado três dias depois em São Borja no Rio Grande do Sul. Nasceu gaúcho e diz que vai morrer curitibano.

Autodidata, com vários prêmios de arte contemporânea, já expôs em Macau na China, em Kanagawa no Japão, na UNESCO em Atenas, Santiago do Chile, Bienal de São Paulo, Museu do Olho, entre outros.

Nesta terça-feira, 14, Retta abre a exposição “Rettamorfose 1”, a partir das 19h, no Folha Seca. “Esses desenhos são ‘estudos’ feitos para depois serem pintados. Ideias óbvias”, diz. O artista tem trabalhado com essa visão de topo. Em ângulo de 90º, do alto do campanário ou de cima das árvores. Com isso ele afirma o trocadilho: cada macaco no seu galho.

“O fundo é o chão do planeta terra. Neste ângulo, trabalhando as sombras e os objetos de topo, se consegue uma leitura completa da cena. Conteúdo, significado e forma, integrados em uma só imagem. Rettamorfose 1 também é um caderno de rabiscos, folha a folha”, explica.
Um trabalho bom para ser curtido nas idas e vindas ao banheiro no bar Folha Seca. A exposição fica em cartaz até o dia 9 de outubro. Não perca!

Serviço

Abertura da Exposição “Rettamorfose 1”, de Retta. Dia 14 de setembro, terça-feira. 19h.

Bar Folha Seca. Rua Petit Carneiro, 394 – Água Verde.
Telefone: (41) 3343-5632 –
www.folhasecabar.com.br

Visitação: 14 de setembro a 9 de outubro. De terça a sexta-feira, das 17h às 2h. Sábados, das 12h30 às 2 h.
Entrada: R$ 9,00


“O Cerco do Porto nos nomes das ruas” – conferência com francisco ribeiro da silva e joel cleto / porto.portugal

Lançamento do livro «O Cerco do Porto em 1832 para 1833 – por um portuense»

(U.Porto editorial)

Rua do Cerco do Porto, Rua do Heroísmo, da Bataria, da Bateria da Vitória, Praça do Coronel Pacheco, Rua de Sá da Bandeira, Rua do Marechal Saldanha… ,  nomes que recordam o cerco militar imposto à cidade do Porto pelas tropas absolutistas de D. Miguel em 1832.

No próximo dia 28 de Setembro, pelas 18h00, os historiadores Francisco Ribeiro da Silva e Joel Cleto vão falar sobre os reflexos do Cerco do Porto na toponímia da cidade, numa conferência intitulada “O Cerco do Porto nos nomes das ruas”. A sessão realiza-se no âmbito do lançamento do novo livro da U.Porto editorial intitulado «O Cerco do Porto em 1832 para 1833 – por um portuense» e terá lugar na Reitoria da Universidade do Porto.

O livro «O Cerco do Porto em 1832 para 1833 – por um portuense» é uma reprodução em fac-simile daquela que será a primeira obra escrita em língua portuguesa sobre um dos mais importantes episódios da Guerra Civil que opôs liberais e miguelistas. Foi escrita por um anónimo partidário de D. Pedro IV que nos leva a reviver o período das desajeitadas tentativas liberais de retomar a terra continental, dos desentendimentos e do sofrimento de um povo preso na sua própria cidade. Para o leitor conhecedor do Porto, os locais familiares aparecem, neste livro, investidos num diferente papel: redutos, fortins, baterias e paliçadas eriçavam uma cidade que teimosamente resistia aos bombardeamentos e às tentativas de rompimento das defesas pelas muito superiores forças miguelistas, todavia incapazes de partir a carapaça do exército que a protegia.

A sessão realiza-se na sala do Fundo Antigo da Reitoria da Universidade do Porto, sita na Praça Gomes Teixeira.

Informações:

28 de Setembro, às 18h00

Reitoria da Universidade do Porto – Sala do Fundo Antigo

U.Porto editorial

Reitoria da Universidade do Porto

Praça Gomes Teixeira, 4099-002 PORTO

Tel.: 220 408 196  Fax: 220 408 359

URL: editorial.up.pt/

“COISAS DE MARIA JOÃO” convida para 3 e 4/9 / ilha de santa catarina

WILSON BUENO Curtacine na Subsolo Terça 31/08/ 19:30h / curitiba

A VIDA SE INDO

Wilson Bueno: Meu tio Roseno, a cavalo

audiovisual curta-metragem dvd 15′

(de Ewaldo Schleder)

Curtacine na Galeria Subsolo *

Terça – 31/08 – 19:30h

Av Iguaçu, 2481

3019 8701


* Segue exposição “Arte Postal,Mail art” até 11/09.

Retrospectiva de Alex Cabral, Dario de Souza e Hélio Leites

ALEXANDRE FRANÇA e EDSON FALCÃO convidam: / curitiba

SELO LITERÁRIO DEZOITO ZERO UM CHEGA COM A PROPOSTA DE LANÇAR A NOVA POESIA CURITIBANA.

Dia 2 de setembro a livraria Arte e Letra recebe o lançamento dos livros ‘de doze em doze horas’, de Alexandre França, e a ‘fachada e os fundos’ de Edson Falcão. E no dia 14, no Wonka Bar, será celebrado o lançamento do selo Dezoito Zero Um Cultura e Arte.

O selo Dezoito Zero Um – Cultura e Arte começa as suas atividades lançando dois poetas representativos de Curitiba: Edson Falcão e Alexandre França. É a Coleção Poesia – Dezoito Zero Um que pretende publicar, dentro em breve, mais poetas da nossa cidade, sempre com um apelo visual único, seguindo a tendência de publicações de ponta no Brasil e no exterior. Com a idéia de materializar no objeto livro a idéia central da publicação, os livros da Dezoito Zero Um não possuem texto de contra-capa, logomarcas ou signos que interfiram na apreciação visual de suas concepções: tudo é confeccionado pensando no conceito principal da obra. Na capa do livro do poeta Edson Falcão, por exemplo, temos uma brincadeira com o título “a fachada e os fundos”, quando percebemos que, na contra-capa, este título encontra-se invertido.

LEPREVOST, J B VIDAL E ALEXANDRE FRANÇA, poetas, músicos, atores, dramaturgos, contistas, compositores e amigos.

“Tudo começou com a idéia de criar um selo de música”, conta Alexandre França, editor e criador do selo. “Até então não tinha um nome, daí me veio a idéia de pegar o mesmo nome da minha companhia de teatro, formando mais um braço de produção cultural”. Apoiada pela lei do mecenato da Fundação Cultural de Curitiba, e com design gráfico assinado por Giovanni Dameto da G de Gato, a Dezoito Zero Um pretende, no futuro, publicar coleções de prosa e dramaturgia. Alguns nomes já estão cotados para futuras publicações, como o escritor Luiz Felipe Leprevost, o poeta Rodrigo Madeira, entre outros. “Queremos no futuro formar um bom painel do que aconteceu na cidade nestes anos”, conta Alexandre. Perguntado sobre o significado do nome Dezoito Zero Um, França explica: “é o número do meu apartamento”.

Sobre os livros

Edson Falcão nos apresenta, nos 44 novos poemas desta obra e nos outros 23 retirados de outros livros e incluídos nesta publicação, uma profunda visão do homem contemporâneo nos seus mais diferentes aspectos. Com uma poética seca, na qual o poeta, a partir de uma análise do próprio fazer poético, e de sua infância vivida no interior do Paraná, Edson tece um painel do individuo no meio urbano. O prefácio ficou por conta do poeta Jaques Brand, em que diz: “ Falcão decididamente não tem aquelas qualidades pessoais que levam, no Brasil de 2010, ao sucesso institucional; não é um alcoolista com algum beatnik na ponta da língua, não fala sempre alguns decibéis acima do normal, não morreu, aliás goza de boa saúde (…) A despeito de lhe faltarem esses trunfos, sendo além de tudo um tímido e um discreto, sobra-lhe contudo legitimidade para interessar o leitor que busca, fora da feira literária das vaidades, o fazer poético mais autentico, que vê como água cristalina, que brota de uma fonte situada no interior.”

Alexandre França apresenta seu ‘de doze em doze horas’, que segundo Márcio Matanna ; “ se abre ao leitor como um convite(…), embora Alexandre França nos ofereça um ciclo de manhã, tarde e noite, há sempre uma sensação meio noturna a brotar de seus versos. A manhã se mistura a madrugada, e quase tudo é vivido dentro de salas e quartos, oscilando entre o sono e a insônia. Se cada cidade madura tem seus mitos, então poderíamos afirmar que Curitiba cultiva em si mesmo o mito da solidão e o mito do suicida, a poesia de França cava um túnel rumo ao fundo dessa mitologia. A solidão é um quarto trancado por dentro. E cada vez que um olhar desvia de outro olhar e se olha para o chão, dá-se mais uma volta na chave.”

Serviço

Lançamento dos livros “a fachada e os fundos” de Edson Falcão e “de doze em doze horas” de Alexandre França


Data: 02/09/2010
Horário: 19h30
Local: Livraria Arte e Letra (Lucca Café)
Endereço: Rua Presidente Taunay, 40
Fone: 30166675

Festa de lançamento do selo Dezoito Zero Um Cultura e Arte

Show com a banda Confraria da Costa – e a presença dos poetas Edson Falcão, Alexandre França e Luiz Felipe Leprevost.

Data: 14/09/2010
Horário: 22h00
Local: Wonka bar
Endereço: Rua Trajano Reis, 326
Fone: 30266272

“COISAS DE MARIA-JOÃO” apresenta neste fim de semana (27 e 28/8/10) – ilha de santa catarina

CINE CULTURA em SANTO ANTONIO de LISBOA /ilha de santa catarina

ATENÇÃO DISTRITO DE SANTO ANTONIO DE LISBOA!

Toda nossa comunidade que engloba o nosso distrito de Santo Antonio de Lisboa (Ponta do Sambaqui, Sambaqui, Barra, Barreira, Cacupé, Caminho dos Açores e o centrinho de S.Antonio), terão a oportunidade de ter um Cine-Clube no Bairro.

A Associação Cultural Baiacu de Alguém depois de ter sido contemplada em 2009 com um Ponto de Cultura, agora em 2010 também foi contemplada com um Cine Clube no Programa Cine Mais Cultura do Ministério da Cultura.

Sua inauguração será na próxima Quinta Feira cfe. cartaz abaixo. A partir daí todas as Quintas Feiras teremos sessão de Cinema  ininterruptamente sempre no horário das 20 horas, aberto a toda a comunidade e completamente GRATUIDO. A programação será a da Produtora Brasil (responsável pela programação do Canal Brasil da TV a Cabo) mais filmes, documentários Catarinenses e de outros países, principalmente do Cinema Latino Americano, além de outras produções que podem ser sugeridas pela Comunidade.

Queremos viabilizar parcerias com as Escolas Públicas, Privadas, Associação de Moradores, Empresas,Clubes Sociais e Esportivos, enfim todas a Entidades da nossa comunidade e a população em geral para viabilizarmos este projeto. O Sucesso dele depende da participação de tod@as!!!!

Então agendem-se, convidem os vizinhos, amigos, ajudem a divulgar e vamos voltar a ter aquele “gostinho”de ver um filme numa tela de cinema….naquele “escurinho”…os filmes e a pipoca estão garantidos para os próximos 3 anos, tempo da duração do Projeto.

Daniela Ribeiro Scnheider

Coordenadora Geral da Associação Cultural Baiacu de Alguem.

Maiores informações no site e fones abaixo:

WWW.baiacudealguem.com.br

pcultura.baiacudealguem@gmail.com

48-3204.9341 e 48- 9162.4298

Nelson Brum Motta

48 32351183  e 91011183

Rua Padre Lourenço Rodrigues de Andrade, 650

88.050.400 – Florianópolis – SC.

POETA EUNICE ARRUDA convida para o LUGAR PANTEMPORÂNEO / são paulo

A escritora Rosa DeSouza CONVIDA para o lançamento de seu livro na BIENAL de são paulo:

BIENAL do LIVRO é aberta em SÃO PAULO


Convidados visitaram o Pavilhão do Anhembi, nesta quinta (12/08/10).
Público poderá visitar o evento a partir de sexta (13/08/10).

A 21ª edição da Bienal do Livro de São Paulo foi aberta oficialmente nesta quinta-feira (12), no Pavilhão de Exposições do Anhembi, na Zona Norte da capital paulista. O acesso do público será permitido a partir desta sexta-feira (13), mas alguns convidados, como grupos de alunos de escolas da cidade, foram convidados para visitar a feira em primeira mão (Foto: Juliana Cardilli/G1)

O prefeito Gilberto Kassab e o governador Alberto Goldman participaram da cerimônia de abertura. A feira terá 350 expositores e 4,2 mil lançamentos. O evento vai até o dia 22 de agosto (Foto: Juliana Cardilli/G1)

G1.

MOBILIZAÇÃO RELÂMPAGO ESTÁ SENDO PLANEJADA PARA A BIENAL do LIVRO DE SÃO PAULO

o site PALAVRAS, TODAS PALAVRAS convida seus amigos e leitores a participarem, com a presença, se possível, e divulgando na rede mundial


Uma mobilização relâmpago está sendo planejada para ocorrer durante a 21ª Bienal do Livro de São Paulo e começa a tomar cada vez mais corpo via Twitter e Facebook

Iniciada no dia 02/08, através das redes sociais Twitter e Facebook, uma mobilização relâmpago (denominação conhecida mundialmente por Flash Mob) começa a adquirir a cada dia mais adeptos, além de apoio de veículos de mídia cultural. Essa mobilização objetiva mostrar aos visitantes da 21ª Bienal de São Paulo, às 15 horas do dia 14/08, como é que as pessoas leem? Respondendo a essa pergunta, por meio de uma ação estática e pacífica, os organizadores – os escritores Claudio Parreira, Homero Gomes e Mauro Siqueira – pretendem chamar “a atenção para a importância da leitura e não apenas da compra de livros” em um dos principais eventos do mercado editorial brasileiro.

Esse flash mob estático que será realizado a partir do corredor H, do pavilhão do Anhembi, terá um formato simples e, diferente de muitos que já foram realizados pelo mundo. Não demanda grande organização, pois não possui coreografia. Seus organizadores afirmam que os participantes não precisam se preocupar, ninguém vai precisar dançar, nem inventar dança, apenas escolher uma posição interessante para ficar imóvel por alguns minutos. Tudo começará com um sinal único de apito, depois as pessoas que participarem dessa manifestação pública, deverão pegar um livro e ficar imóveis em posição de leitura – seja sentados no chão, de pé, ajoelhados ou até deitados, “vai da criatividade e da vontade de aparecer de cada um”, orienta Homero Gomes, escritor curitibano e idealizador do evento. Após um sinal duplo de apito a mobilização deverá encerrar e os participantes devem dispersar como se nada houvesse acontecido.

Os organizadores sabem que ainda há muito para ser feito para que essa intervenção pública chamar a atenção do grande público que é esperado na 21ª Bienal de São Paulo, mas como todo flash mob, essa mobilização é essencialmente uma criação coletiva, descentralizada, que se espalha viralmente em prol de um único objetivo, nesse caso: a leitura. Por isso, os organizadores acreditam que “a mobilização terá repercussão positiva, abrindo um espaço maior ao debate de ideias em torna do leitura no país”, prevê Homero Gomes.

Querendo saber mais, digite #flashmobule ou #bienalSP no “search” do Twitter ou procure por informações junto aos organizadores. Se, por acaso, você não puder estar na Bienal nesse dia, ajude na divulgação dessa ação para quem você conhece. A prática da leitura no país agradece.

Características da mobilização:

Local – pavilhão do Anhembi, com núcleo no corredor H.

Horário de início – 15 horas.

Sinal para ação – um toque de apito dado pelos 3 organizadores: Cláudio Parreira, Homero Gomes e Mauro Siqueira.

Duração – pelo menos 2 minutos, até o toque duplo dos apitos, que indicará o fim da ação.

Ação – após sinal, ficar imóvel em posição de leitura (a escolher).

Encerramento – depois do sinal duplo dos apitos, dispersar com se nada tivesse acontecido.


Serviço:

Organização – Claudio Parreira, Homero Gomes e Mauro Siqueira.

Apoio:


PALAVRAS, TODAS PALAVRAS – ARTE & CULTURA (palavrastodaspalavras.wordpress.com)
O Bule [ http://www.o-bule.blogspot.com ]
Substantivo Plural [ http://www.substantivoplural.com.br ]
Zunái [ http://revistazunai.com/blog ]
Página Cultural [ http://paginacultural.com.br ]
Germina [ http://www.germinaliteratura.com.br ]
Livros e Afins [ http://debolso.livroseafins.com ]
O Mundo Circundante [ http://omundocircundante.blogspot.com ]

Contatos – pelo Twitter: @ClaudioParreira, @sisifodesatento e @maurovss. Pelo Facebook: Claudio Parreira, Homero Gomes, Mauro Siqueira e do blogue O Bule.

.

ilustração deste site:  Livro gigante, foi uma das atrações da 20ª Bienal de São Paulo (Foto: Carolina Iskandarian/ G1 )

GINGA do MANÉ hoje na LAGOA da CONCEIÇÃO/ ilha de santa catarina

POETAS e ARTISTAS MINEIROS se apresentam na ILHA DE SANTA CATARINA / Florianópolis

FLORIANÓPOLIS: população se mobiliza contra emissário submarino !

a população da ilha de Santa Catarina se mobiliza e toma iniciativas como esta que ocorrerá dia 14 de agosto. diante de uma administração indolente, equivocada e incompetente (talvez por outros interesses), os moradores da ilha tomam a dianteira e fecham o cerco à propósitos escandalosos discutindo e apresentando soluções para a sua real preservação.

PARTICIPE VOCÊ TAMBÉM !

CENTRO EUROPEU de CURITIBA, convida para a exposição “SENTIMENTOS”

Mostra fotográfica Sentimentos

Exposição reúne imagens que revelam os principais sentimentos humanos

Entre os dias 06 de agosto e 02 de setembro, o Centro Europeu de Curitiba irá receber a exposição fotográfica Sentimentos, mostra que reúne imagens que retratam os mais variados sentimentos humanos. Captadas por mais uma turma de formandos do curso Fotografia da escola, as 15 fotografias formam um universo de dores, dúvidas, alegrias e paixões responsáveis pelos encantos da vida.

Para a fotógrafa Charly Techio, coordenadora do curso de Fotografia do Centro Europeu, a exposição consegue revelar detalhes comuns das nossas vidas e, ao mesmo tempo, extremamente peculiares para cada individuo. “A mostra Sentimentos se torna curiosa a partir do momento em que analisamos a diferente forma que as pessoas ‘encaram’ os mesmos sentimentos”. Além disso, Charly destaca a qualidade das fotografias. “O resultado destes trabalhos foi muito satisfatório para todos os envolvidos na formação desta turma. Os alunos aproveitaram a liberdade para criação e utilizaram técnicas muito interessantes”, completa.

A abertura oficial da exposição Sentimentos vai acontecer nesta sexta-feira, dia 06 de agosto, a partir das 19h, no Espaço Centro Europeu (Rua Brigadeiro Franco, n°1700). A entrada para a mostra é gratuita e os trabalhos poderão ser visitados de segunda a sexta-feira, das 8h às 22h, e nos sábados, das 8h às 17h. Mais informações pelo telefone (41) 3222-6669 ou no site www.centroeuropeu.com.br.


Serviço:
Mostra fotográfica Sentimentos

Local: Espaço Centro Europeu (Rua Brigadeiro Franco, n°1700)

Data: De 06 de agosto a 02 de setembro

Horário: De segunda a sexta-feira, das 8h às 22h, e nos sábado, das 8h às 17h

Informações: (41) 3222 – 6669 ou www.centroeuropeu.com.br

ATENDIMENTO À IMPRENSA

Lide Multimídia – Assessoria de Imprensa

Eduardo Betinardi

Email: redacao10@lidemultimidia.com.br

Fones: (41) 3016-8083 ou 8803-6070

www.lidemultimidia.com.br

BARBARA KIRCHNER convida para o dia 3 de agosto de 2010:

MÚSICO ANDRÉ MAIA, CONVIDA: dia 29/07/10 as 21 hs no COISAS DE MARIA JOÃO/ sambaqui.ilha de santa catarina

Coisas de Maria João apresenta Café Pequeno:

show intimista  por conta do compositor e contrabaixista André Maia e seus convidados.

Para confraternizar e comemorar seu aniversário em grande estilo, André Maia inova e surpreende trazendo para o público e amigos as suas artes.

Além da música, nesta noite haverá exibição de fotografias de sua autoria e também uma jam session pra finalizar.
Café Pequeno, pra quem ainda não sabe, propõe shows intimistas para pequenos grupos: o número de lugares é limitado.
Adiante-se e faça sua reserva ligando para 9107 4457 ou por e-mail mediante confirmação:
coisasdemariajoao@gmail.com
21h /R$10,00

FEIJOADA NO QUIOSQUE DA BRAHMA COM “GINGA DO MANÉ” / sábado. floripa

JOSÉ ANTONIO DE LIMA abre exposição no CENTRO CULTURAL CORREIOS / RIO DE JANEIRO

Julho, 2010

Rio recebe instalação “Tramas” de artista plástico do Paraná

O Centro Cultural Correios, no Centro do Rio, abre no dia 28 de julho, às 19 horas, a exposição individual do artista plástico paranaense José Antonio de Lima. Sob o título “Traquitramas”, a mostra é composta por objetos de produção recente, que gravitam em torno da instalação “Tramas”, confeccionada por tecidos costurados com cordas e fios de nylon, estruturadas com ferro. O conjunto permanece em exibição até o dia 5 de setembro.

“Tramas” já foi apresentada em espaços internacionais como o Hyogo Prefectual Museum of Art, da cidade de Kobe, capital da província de Hyogo, no Japão, em 2008, em uma parceria com o Museu Oscar Niemeyer, de Curitiba, PR. Foi exposta ainda em Estocolmo, Suécia (2007) e na Finlândia (2010); além de ter tomado o espaço do Memorial de Curitiba e do Museu de Arte Contemporânea, de Joinville (SC), em 2007.

O artista explica que o ponto de partida para as Tramas, agora apresentadas no Rio de Janeiro, são obras anteriores, iniciadas no período de 2001-2002, chamadas de Catedrais Espaciais, realizadas a partir de estruturas de metal retorcido, de forma mais ou menos circular, recobertas por pedaços de tecido cru, amarrado e esticado. “As Catedrais ainda tinham o caráter de uma escultura tradicional, no sentido de constituírem um núcleo estrutural ao redor do qual o espectador transitava para descobrir seus vários ângulos e formas. Nas Tramas este núcleo desapareceu; a obra, então, cresceu em todas as direções, sendo formada por várias peças construídas apenas com corda e tecido esticados, ligadas entre si e à estrutura do espaço em que se inserem”, descreve.

Para o crítico de arte e professor da Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Fabrício Vaz Nunes, “a obra de José Antonio é marcada pela evocação da ação humana e da passagem do tempo sobre materiais crus e rudes, em que elementos como texturas, cores, densidades e resistências tornam-se pontos de partida para a sua poética”. Ele destaca que “ação do artista cria, a partir da matéria bruta, objetos que parecem querer retornar ao estado de natureza, envelhecidos e degradados ou mesmo semelhantes aos objetos naturais; mas trata-se, sempre, de uma construção cenográfica, ilusória”

Vaz Nunes, que foi curador da exibição de “Tramas” em mais de uma ocasião, acrescenta que trata-se de uma obra que se realiza em direta articulação com o ambiente arquitetônico, qualificando-o como um espaço fictício e ilusório, tornado parte de uma obra que é feita para ser vivida, percorrida pelo olhar e também pelo corpo do espectador. A multiplicidade dos módulos e as várias possibilidades de articulação entre as peças criam assim uma obra “mole”, em que cada montagem é diferente da anterior: as Tramas são como um organismo que se adapta de forma diversa a cada ambiente, gerando, propriamente, todo um espaço configurado pela ação artística”. Assim, a instalação aumenta, diminui, cresce ou encolhe em altura e largura, de acordo com o espaço onde é apresentada.

Os objetos, ou “traquitanas”, que complementam a exposição dos Correios, passaram a se denominar “traquitramas”, por serem variantes e giraram em torno da instalação “Tramas”, completando a proposta.

JOSÉ ANTONIO DE LIMA tem uma página exclusiva neste site. CLIQUE AQUI.

Divulgação Institucional

Centro Cultural Correios

Maria José Cardoso

(21)2219-5323/5301-9761-2630

Contato com o artista

José Antonio de Lima

(41) 9193 2754 ou (41) 9227- 6025

jose@joseantoniodelima.com.br

Site:www.joseantoniodelima.com.br

Serviço

Centro Cultural Correios

José Antonio de Lima “Traquitramas”

Abertura: 28 de julho, às 19 horas

Exposição: de 29 de julho a 5 de setembro

De terça feira a domingo, das 12h às 19 h

Local: Rua Visconde de Itaboraí, 20

Centro – Corredor Cultural

CEP 200-10976

Fone: (21) 2253 1580

Patrocínio: Ministério da Cultura

Lei de Incentivo à Cultura

Objetos: chamados Traquitramas e as tramas.

Objetos construídos com tecido, metal e ferro.

Glauco Valença e Fidel Piñero no Café Pequeno em 09 de julho /ilha de santa catarina

O duo, formado por Glauco Valença na guitarra e Fidel Piñero no trompete, interpretam temas instrumentais que vem de suas influências, como Miles Dives, Dizzy Gillespie, Paquito D’Rivera, Dilermando Reis, Baden Powell, BB King, Joe Pass, Rafael Rabello, Toquinho, Heraldo do Monte,Tom Jobim.

GLAUCO VALENÇA Iniciou sua carreira como musico, acompanhando a professora de canto lírico Tereza Simas Aguiar. Já trabalhou em diversas formações de grupo, dividindo o palco com músicos e cantores como: Marcelo Mello, Severo Cruz, Marcelo Frias, Tomka, Júlio Ribeiro, Fidel Piñero, Marco Aurélio, Ney Platt, Felipe Moritz, Verônica Kimura, Luiz Falcão, Edson Moura, Daniel Vasco, Mazinho do Trombone, entre outros. Atualmente, dedica-se a música instrumental com o trompetista Fidel Piñero, onde fazem uma releitura de musicas nacionais e internacionais.

FIDEL PIÑERO Natural do Uruguay, onde iniciou sua vivência musical. Em 1981 estabelece residência em Florianópolis S.C. Atua no mercado de trabalho florianopolitano em diversas áreas, como gravações, bailes, big bands, orquestras, bares e shows. É também bastante solicitado como arranjador, atuando na área de estudios de gravação (produção de CDs) e shows. Músico de grande repercussão no meio jazzístico catarinense. Participou do 1° Floripa in Jazz . . Ja tocou com artistas de renome nacional como o bluesman Nuno Mendelis e a cantora Elza Soares .Atualmente faz parte da Banda El Combo (salsa) , trabalha em trio com Edson Moura, Denise de Castro e Quarteto Bossanossa , a Banda Quebra com Jeito ,Glauco Valença, Chico Alencar, e o Projeto Trumpet House com DJ Thon.

Café Pequeno é o projeto do Coisas de Maria João que propõe, numa programação noturna, shows acústicos intimistas para pequenos grupos com duração determinada.
O Espaço cria , então, um clima de
Teatro com serviço e comida de Boteco.
Para tanto é necessário fazer sua reserva antecipadamente para
garantir seu lugar.
É também recomendado chegar até às 21h para escolher o melhor lugar e fazer seu pedido antes do show começar. Bom Espetáculo!

Sexta-feira, 09 de julho de 2010

21h

Local: Coisas de Maria João, o seu café com cultura!´

Rod Gilson da Costa Xavier, 1172 (Estrada geral para Sambaqui) Sambaqui- Florianópolis

Garanta seu lugar reservando antecipadamente no local ou ligue para 48 9107 4457

Café Pequeno é para poucas pessoas.

Capacidade para aproximadamente 30 pessoas.

Couvert Artístico: R$ 5,00

COISAS de MARIA JOÃO apresenta: ” CHICO PEIXOTO TRIO” / ilha de santa catarina

Café Pequeno recebe Chico Peixoto Trio– 11/06/2010, sexta-feira

O trio é formado por Marcelo Mello, Mateus Costa e Chico Peixoto. Atualmente o repertório é composto por releituras de compositores consagrados e o trio têm se apresentado com versões de clássicos da Música Popular Brasileira e algumas músicas eruditas mostrando arranjos feitos especialmente para a formação de violão, violino e contrabaixo acústico.
Café Pequeno oferece shows acústicos para pequenos grupos. Capacidade para aproximadamente 30 pessoas.
R$10,00