Arquivos de Categoria: fotopoema

RUDI BODANESE e LIRIA PORTO em fotopoema / ilha de santa catarina

RUDI BODANESE e sua arte / ilha de santa catarina

 

 

 

RUDI BODANESE e sua arte fotopoética / ilha de santa catarina

.

.

.

.

 

ELEIÇÕES 2010 – FOLHA de SÃO PAULO – 20/10/2010 – 19h58 Ibope mostra Dilma com 56% dos votos válidos e Serra com 44% – A candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, tem 56% das intenções de votos válidos, enquanto José Serra (PSDB) está com 44%, segundo pesquisa Ibope divulgada nesta quarta-feira. Pelos votos totais, a petista tem 51% das intenções de votos totais contra 40% de José Serra (PSDB).

RUDI BODANESE e suas fotos e poemas V / ilha de santa catarina

RUDI BODANESE e parceiros:”FOTO-POEMAS” / ilha de santa catarina

.

RUDI BODANESE e seus fotopoemas / florianópolis

.

.

.

FOTOPOEMA 147 – de rudi bodanese / florianópolis

FOTOPOEMA 146 – de rudi bodanese / florianópolis

RUDI BODANESE e WILLIAM SHAKESPEARE em fotopoema 142 / florianópolis / londres

dedicado a WESLEY COLLYER e  LUZ CARPIN

RUDI BODANESE e DRUMMOND DE ANDRADE, fotopoema 143 / florianópolis

RUDI BODANESE - poema&foto143

FOTOPOEMA 141 de rudi bodanese e ferreira gular / florianópolis e rio de janeiro

fotopoema 141

O MUNDO É UMA FESTA…fotopoema de rudi bodanese / florianópolis

RUDI

FOTOPOEMA 138 de rudi bodanese e paulo leminski / florianópolis

RUDI BODANESE - fotopoema 138

FOTOPOEMA 19 de rudi bodanese e drummond / florianópolis

RUDI poema&foto19

Para começar a Semana – de tonicato miranda / curitiba


TONICATO MIRANDA - Semana de Julho

para todos amigos

(e espero ainda preencher uma barca de Noé com eles)

.

Ainda não fui.

Ainda trabalho desesperadamente.

E ainda não totalmente amei ninguém, não matei ninguém.

Ainda não consegui deixar de gostar de “My funny Valentine“.

Ainda me extasio com a música, com o sax e os trompetes.

E sinto muito frio.

Ainda morro de amores pelos amigos.

Ainda estou preso ao Rio de Janeiro, seus morros, meus parentes.

Deslumbro-me com as barcas cruzando a Baía de Guanabara.

Das barcas miro o Cristo, e ele mira o Pão de Açúcar que mira Copacabana e Botafogo.

Ainda continuo torcedor do Fluminense.

Ainda o Pico do Papagaio, há todo um Grajaú dentro de mim.

Saudades do bonde, da Borda do Mato, dos tamarindos estalando na língua.

Ainda Lúcio Alves cantando “Valsa de uma cidade“.

Ainda fiel a Curitiba, ao Rio Marumbi do Cardoso.

Fiel ao Bife Sujo, ao Bar da Mara, ao Metrô, ao Stuart e ao Hermes.

Ainda o Passeio Público de outrora, seus macacos e os pés de amora.

Ainda que viva mais do que Matusalém, que dizem viveu 300 anos, não serei rei.

Mesmo que viva como ele, não encontrarei palavras mais fortes do que a música, eu sei.

Ainda que seja gentil, tomarei porradas, sentirei dores.

Ainda que pense em todas mulheres, não terei seus amores.

Mesmo que viva ou não viva, a vida passará na estrada.

E mesmo que não vá com ela, serei testemunha do vento que ela faz.

Ainda que não vá ao Barigüi, sei do bem que a paisagem me faz.

Ainda que a palavra seja forte, ela não trina no bico do passarinho.

Tenho carinhos na caixinha, dedos gentis sob a luva

E mesmo que goste mais do vinho, aceito mordiscar a uva.

E sendo apaixonado por pães, aceito um chá quente com cuca.

Ainda gosto mais do calor, peitos expostos, dos corpos seminus.

Ainda gosto de Gauguin, Toulouse Lautrec e Dalí.

Estou morrendo por aqui, voando em palavras a Parati.

Ainda admiro Bashô, Whitman, Maiakovski, Pessoa e Gerson Maciel.

Ainda me transporto com Neruda, Chico, Lorca e Mallarme.

Ainda “Yesterday“, “Summertime“, Joplin, Hendrix, Coltrane, “My favourite things“.

Não queria terminar, mas o amargor do trabalho diz muitos sins.

Ainda me despeço com Valentine, Bill Evans e Chet Baker na agulha.

Ainda desejo a você um Bom dia!

E um dia será mais do que bom, será terno.

Ainda vestirei um terno e casarei com o dia, com a noite e a madrugada por testemunhas.

Ainda cortarei os cabelos e a barba, totalmente careca de pelos e unhas.

Deixarei “Angel eyes” me acompanhar ao inferno dos sentimentos.

Wynton Marsalis me devolverá a ilusão.

Ainda tomarei com prazer um chimarrão.

Ainda irei preferir a amizade de um cão.

Serei dos tolos e tordos um simples irmão.

Ainda me despedirei de todos ou não.

Ainda prefiro as conversas durante a sobremesa.

sempre prefiro sair da reunião à francesa…

Ainda…

.

ilustração do autor.

FOTOPOEMA de rudi bodanese, silvio caldas e orestes barbosa / florianópolis / riode janeiro

RUDI poema&foto22

FOTOPOEMA de RUDI BODANESE e RAMON SANTOS

RUDI poema&foto25

WILLIAN SHAKESPEARE e RUDI BODANESE em FOTOPOEMA

RUDI poema&foto20

FOTOPOEMA de sören kierkegaard e rudi bodanese

RUDI poema&foto17