Arquivos de Categoria: videos

JOÃO BOSCO E YAMANDU COSTA

” SENTIR-SE JOVEM” – de juca chaves / rio de janeiro.rj

UM clique no centro do vídeo:

 

O BLUES NASCENDO…

O BLUES NASCENDO!

O blues é filho africano em terras americanas – nasceu do grito vindo dos campos, nasceu da dor, do movimento sincronizado do trabalho pesado, nasceu, sobretudo, pela necessidade de se libertar, de se fazer ouvir… entre os anos 20 e 30, Charley Patton, Blind L. Blake e Robert Johnson ajudaram no parto, fizeram-lhe as honras da casa e saíram em digressão por todo o sul, para apresentarem a mais nova criação. E os bons ventos encarregaram-se de o transportar a Chicago e Detroit, onde foi muito bem recebido. Nos anos 40 e 50, identificado e registrado já tinha um nome, conhecido nacionalmente. Muddy Waters, J.Lee Hoocker, Howlin Wolf e Elmore James confraternizam a passagem do ilustre visitante no Mississipi Delta Blues, acrescentando-lhe um cadenciado que o tornam irresistível. A corrente blues continua, a viagem prossegue – em Houston, T-Bone, abraça a mais nova paixão. Já robusto, formoso e bem dotado, a chegada a Memphis foi triunfal – alguém, ansiosamente, o esperava. Emocionado, diante de BB King, o jovem Blues deposita-lhe uma guitarra nos braços e diz – esta é minha casa, agora tu és Rei!

 

UM clique no centro do vídeo:

EL CONDOR PASA em quechua e espanhol

UM clique no centro do vídeo:

 

MELODÍA COMPUESTA POR EL GRAN COMPOSITOR Y ADEMAS FOLCLORISTA PERUANO DANIEL ALOMIAS ROBLES EN 1913.

Esta melodía en ritmo DE \”CASHUA\” aparece en la Zarzuela el CONDOR PASA. En 1970 el estadounidense Paul Simon con el grupo Los Incas realizó una versión de la canción con letra en inglés, escrita por Simon bajo el nombre de \”El Condor Pasa (If I Could)\”. la presente interpretacion es del grupo peruano WAYNAPICHU en Alemania, las letras y melodia son de la obra original pero modificado con el toque andino con los instrumentos andinos característicos y en quechua. Nota: La CASHUA es una danza similar al HUAYNO y es legado de los INCAS y es musica andina del Peru parte de su floclore. Notese 5:35 minutos

Robin Gibb (Bee Gees) Words (1968) Death 20.05.2012 – relembrando

UM clique no centro do vídeo:

.

PRESIDENTA DILMA ROUSSEFF dá posse a COMISSÃO da VERDADE (vídeos, foto, texto) / brasilia.df

UM clique no centro do video:

.

Integrantes falam na posse da COMISSÃO:

.

O Brasil e as novas gerações merecem a verdade, afirma presidenta Dilma

Presidenta Dilma Rousseff durante cerimônia de instalação da Comissão Nacional da Verdade, no Palácio do Planalto. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

A presidenta Dilma Rousseff afirmou hoje (16), no Palácio do Planalto, ao dar posse aos integrantes da Comissão da Verdade, que o Brasil e as novas gerações merecem a verdade. Segundo Dilma, a comissão, que terá prazo de dois anos para apurar violações aos direitos humanos ocorridas no período entre 1946 e 1988, que inclui a ditadura militar (1964-1985), não será pautada pelo revanchismo e pelo ódio.

“O Brasil merece a verdade, as novas gerações merecem a verdade e, sobretudo, merecem a verdade factual aqueles que perderam amigos e parentes e que continuam sofrendo como se eles morressem de novo e sempre a cada dia. É como se disséssemos que, se existem filhos sem pais, se existem pais sem túmulo, se existem túmulos sem corpos, nunca, nunca mesmo, pode existir uma história sem voz. E quem dá voz à história são os homens e as mulheres livres que não têm medo de escrevê-la.”.

Segundo a presidenta, a criação da Comissão da Verdade não foi movida pelo desejo de reescrever a história. Para Dilma, a instalação da comissão é a celebração da transparência da verdade de uma nação que vem trilhando seu caminho na democracia.

“Ao instalar a Comissão da Verdade não nos move o revanchismo, o ódio ou o desejo de reescrever a história de uma forma diferente do que aconteceu, mas nos move a necessidade imperiosa de conhecê-la em sua plenitude, sem ocultamentos, sem camuflagens, sem vetos e sem proibições”.

Dilma afirmou que os sete integrantes da Comissão da Verdade – Cláudio Fonteles, Gilson Dipp, José Carlos Dias, João Paulo Cavalcanti Filho, Maria Rita Kehl, Paulo Sérgio Pinheiro e Rosa Maria Cardoso da Cunha – foram escolhidos pela competência e pela capacidade de entender a dimensão do trabalho que vão executar.

“Ao convidar os sete brasileiros que aqui estão e que integrarão a Comissão da Verdade, não fui movida por critérios pessoais nem por avaliações subjetivas. Escolhi um grupo plural de cidadãos, de cidadãs, de reconhecida sabedoria e competência. Sensatos, ponderados, preocupados com a justiça e o equilíbrio e, acima de tudo, capazes de entender a dimensão do trabalho que vão executar. Trabalho que vão executar – faço questão de dizer – com toda a liberdade, sem qualquer interferência do governo, mas com todo apoio que de necessitarem”, disse a presidenta.

Na cerimônia, a presidenta também falou sobre a Lei de Acesso à Informação, que passa a vigorar a partir de hoje, junto com a Comissão da Verdade.

“A nova lei representa um grande aprimoramento institucional para o Brasil, expressão da transparência do Estado, garantia básica de segurança e proteção para o cidadão. Por essa lei, nunca mais os dados relativos à violações de direitos humanos poderão ser reservados, secretos ou ultrassecretos”.

ANDRÉ RIEU e o BRASIL / londres

Surpresa no Concerto de André Rieu em Londres… 


Desenvolvia-se o concerto de música clássica no refinado Royal Albert Hall, em Londres, sob sua regência . E de repente ele surpreende. Espetacularmente. Bravíssimo!!!

UM clique no centro do vídeo:

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE concede entrevista a LEDA NAGLE /são paulo.sp

 

UM clique no centro do vídeo:

EDIR MACEDO, o bispo profano, fala das suas intenções: OUÇA-O

UM clique no centro do vídeo.

BEN GAZZARA: CRÔNICA DE UM AMOR LOUCO / los angeles.eua

UM clique no centro do vídeo:

O BRASIL SE LEVANTA EM DEFESA DE ELIANA CALMON! /editoria / ilha de santa catarina

as associações dos magistrados, na maioria dos estados, estão dirigidas pelos “bandidos togados” a que se referiu a ministra ELIANA CALMON. por isso reagiram com “manifestos” contra as denúncias. o sistema judiciário brasileiro está podre! desde o início da república. guarda-se poucas e honradas exceções que mantém a chama da justiça acesa.

UM clique no centro do vídeo:

ASSIM DEVE AGIR A HUMANIDADE – editoria / ilha de santa catarina

UM clique no centro do vídeo:

ETTA JAMES interpreta seu sucesso AT LAST

UM clique no centro do vídeo:

 

WALL STREET: 700 PRESOS nos protestos contra o desemprego e a corrupção. VEJA OS VÍDEOS / eua

Mais de 700 manifestantes foram detidos neste sábado nos Estados Unidos, durante um protesto que bloqueou a ponte do Brooklyn, em Nova York, na 15ª jornada promovida pelo movimento Ocupar Wall Street, que mantém um acampamento no Zucotti Park, no centro de Manhattan.

UM clique no centro do vídeo:

==

Milhares saem às ruas na Europa e EUA em protesto contra mercados financeiros

Na manhã deste sábado (17/09), centenas de pessoas se concentraram nas imediações da Bolsa de Valores de Madrid para protestar contra o mercado financeiro do país. A reivindicação faz parte da iniciativa conhecida como “Occupy Wall Street” (Ocupar Wall Street, em tradução livre) que mobilizou protestos semelhantes em frentes às bolsas de valores de 74 cidades pelo mundo. 

Leia mais:
França prepara pacote de medidas para reagir à crise econômica mundial
Banco Central dos EUA mantém juros perto de zero até 2013
Crise pode resultar em maior regulação das agências de risco, dizem especialistas
EUA podem demorar quase 10 anos para recuperar qualificação de AAA, diz S&P

Como o nome indica, a ação foi iniciada nos Estados Unidos, onde um protesto deverá tomar a Wall Street, símbolo do mercado financeiro do país, na noite deste sábado. O ponto de encontro entre os manifestantes é a estátua do Touro da Wall Street, que simboliza a agressividade do mercado financeiro norte-americano.

Embora semelhantes, cada cidade impõe suas demandas em protestos que deverão durar, pelo menos, até o próximo domingo (18/09). Em Nova York, os manifestantes demandam uma economia a serviço das pessoas, a regulação dos mercados financeiros, a limitação da influência desses mercados na vida política, a criação de um banco público e uma partilha justa e equitativa da riqueza.

Em Madrid, a manifestação foi convidada pelo movimento 15-M, conhecidos como “indignados”, que foram às ruas do país nos últimos meses para exigir reformas políticas, econômicas e sociais.

No protesto, iniciado às 12 de Madrid (07h no horário de Brasília), os manifestantes trazem faixas com dizeres como “FMI, deixe-nos viver”, “Ditadura dos mercados”; “A Bolsa ou a vida”, “Cuidado com a carteira, você está na Bolsa”, “Bancos sim; públicos e para sentar-se”, entre outras em protesto com o sistema financeiro do país.

Vídeo divulgado na Espanha para convocar o protesto

Em meio à crise econômica que afeta países europeus e também os Estados Unidos, diversas manifestações ainda deverão ocorrer neste final de semana em nações como Alemanha, Holanda, Portugal, Grécia, França, entre outras, reunindo milhares de pessoas.

*Com informações do jornal El Mundo e da emissora CNN

PRESIDENTA DILMA dá um PITO na atrevida jornalista da TV GLOBO (Fantástico de 11/09/2011)

UM clique no centro do vídeo.

PALOMA SAN BASILIO interpreta ” NO LLORES POR MI ARGENTINA” / madri

UM clique no centro do vídeo:

PLÁCIDO DOMINGO interpreta “EL CÓNDOR PASA” / madri

Yaw kuntur (El Cóndor Pasa – Kuntur phawan)
El Cóndor Pasa is a wonderful song from the zarzuela El Cóndor Pasa by the Peruvian composer Daniel Alomía Robles written in 1913 and based on traditional Andean folk tunes.

Guajira Guantanamera – de joseito fernandez e jose marti / havana

GUANTANAMERA Original music by Jose Fernandez Diaz Music adaptation by Pete Seeger & Julian Orbon Lyric adaptation by Julian Orbon, based on a poem by Jose Marti

Estribillo:
Guantanamera,
guajira guantanamera
Guantanamera,
guajira guantanamera

Con los pobres de la tierra
quiero yo mi suerte echar:
el arroyo de la sierra
me complace más que el mar.
Denle al vano el oro tierno
que arde y brilla en el crisol:
A mí denme el bosque eterno
cuando rompe en él el sol.
Estribillo:

Yo quiero salir del mundo
por la puerta natural:
en un carro de hojas verdes
a morir me han de llevar.
No me pongan en lo oscuro
a morir como un traidor:
yo soy bueno y como bueno
moriré de cara al sol.
Estribillo:

Tiene el leopardo un abrigo
en su monte seco y pardo:
yo tengo más que el leopardo
porque tengo un buen amigo.

Estribillo y fin

UM clique no centro do vídeo:

JOHN LENNON in “IMAGINE” / nova iorque

John Lennon and Yoko Ono Playing “Imagine” In Madison Square Garden.

 

UM clique no centro do vídeo:

 

MORRIS ALBERT in FEELINGS / são paulo

MORRIS ALBERT, fez parte de um fenômeno dos anos 70, brasileiros compondo e cantando em inglês usando pseudônimos, foram vários que participaram dessa fase.

UM clique no centro do vídeo:

AÉCIO NEVES cai do cavalo, quebra a clavícula e cinco costelas. Veja o vídeo da assessoria.

dê UM clique no centro do vídeo:

Os vídeos do kit anti-homofobia incentivariam a homossexualidade? PARTICIPE:

Assista às produções e deixe a sua opinião sobre a polêmica

Vazados na internet, vídeos do kit anti-homofobia do Ministério da Educação (MEC) causam polêmica entre grupos conservadores e os defensores dos direitos dos homossexuais.
Antes de qualquer divulgação oficial, anonimamente, uma pessoa postou na rede os três vídeos, que contêm mensagens sobre transexualidade, bissexualidade, e homossexualidade. Assista às produções e deixe a sua opinião:

UM clique no centro do vídeo:

.

.

.

a postagem acima foi realizada ao mesmo tempo em que era noticiada a retirada desse material do programa educacional do MEC por ordem da Presidenta DILMA ROUSSEFF, que quer discutir sobre o assunto.

“O GURI” na brilhante interpretação de CESAR PASSARINHO, acompanhado por BORGHETTINHO / porto alegre

UM clique no centro do vídeo:

McDonalds, do que são feitas essas batatas?

UM clique no centro do vídeo.

TRINDADE, letra, música e interpretação de ELIANE BASTOS / curitiba

Letra/Música/Voz: Eliane Bastos

Teclado: Nelson Serrato

Não estamos sozinhos no processo de criação….precisamos estar atentos, pois ela pode surgir na madrugada e acordar você e não permitir que durma até que se registre a mensagem a ser transmitida pela arte. Esta veio pronta, letra e música. Compartilhe com todos que puderem.

dê UM clique no centro do vídeo:

“OUTRO LUGAR”, “CAÇADOR de MIM” e “AMIGO” (Canção da América) de milton nascimento / Brasil

UM clique no centro do vídeo.

.

.

‘O DIA QUE DUROU 21 ANOS’ na TV BRASIL

Série de 3 episódios revela imagens e depoimentos históricos sobre o Golpe de 64

Robert Bentley, assistente de embaixador Lincoln Gordon, dá depoimento exclusivo
Robert Bentley, assistente de embaixador Lincoln Gordon, dá depoimento exclusivo

Os que viveram a ditadura militar brasileira, os que passaram por ela em brancas nuvens e os que nasceram depois que ela acabou. Todos podem conhecer melhor e refletir sobre esse período, a partir da nova série “O Dia que durou 21 anos”, que a TV Brasil exibiu nos dias 4, 5 e 6 de abril, às 22 h.

Em clima de suspense e ação, o documentário apresenta, em três episódios de 26 minutos cada, os bastidores da participação do governo dos Estados Unidos no golpe militar de 1964 que durou até 1985 e instaurou a ditadura no Brasil. Pela primeira vez na televisão, documentos do arquivo norte-americano, classificados durante 46 anos como Top Secret, serão expostos ao público. Textos de telegramas, áudio de conversas telefônicas, depoimentos contundentes e imagens inéditas fazem parte dessa série iconográfica, narrada pelo jornalista Flávio Tavares.

O mundo vivia a Guerra Fria quando os Estados Unidos começaram a arquitetar o golpe  para derrubar o governo de João Goulart. As primeiras ações surgem em 1962, pelo então presidente John Kennedy. Os fatos vão se descortinando, através de relatos de políticos, militares, historiadores, diplomatas e estudiosos dos dois países. Depois do assassinato de Kennedy, em novembro de 1963, o texano Lyndon Johnson assume o governo e mantém a estratégia de remover Jango, apelido de Goulart. O temor de que o país se alinharia ao comunismo e influenciaria outros países da América Latina, contrariando assim os interesses dos Estados Unidos, reforçaram os movimentos pró-golpe.

Peter Korneluh - O Dia que durou 21 anos
Peter Korneluh

A série mostra como os Estados Unidos agiram para planejar e criar as condições para o golpe da madrugada de 31 de março. E, depois, para sustentar e reconhecer o regime militar do governo do marechal Humberto Castelo Branco. Envergando uma roupa civil, ele assume o poder em 15 de abril. Castelo era chefe do Estado Maior do Exército de Jango.

O governo norte-americano estava preparado para intervir militarmente, mas não foi necessário, como ressaltam historiadores e militares. O general Ivan Cavalcanti Proença, oficial da guarda presidencial, resume: “Lamento que foi um golpe fácil demais. Ninguém assumiu o comando revolucionário”.

Do Brasil, duas autoridades americanas foram peças-chaves para bloquear as ações de Goulart e apoiar Castelo Branco: o embaixador dos Estados Unidos, Lincoln Gordon; e  o general Vernon Walters, adido militar e que já conhecia Castelo Branco. As cartas e o áudio dos diálogos de Gordon com o primeiro escalão do governo americano são expostas. Entre os interlocutores, o presidente Lyndon Johnson, Dean Rusk (secretário de Estado), Robert McNamara (Defesa). Além de conversas telefônicas de Johnson com George Reedy Dean Rusk; Thomas Mann (Subsecretário de Estado para Assuntos Interamericanos) e George Bundy, assessor de segurança nacional da Casa Branca, entre outros.

Foi uma das mais longas ditaduras da América Latina. O general Newton Cruz, que foi chefe da Agência Central do Serviço Nacional de Informações (SNI) e ex-comandante militar do Planalto, conclui: “A revolução era para arrumar a casa. Ninguém passa 20 anos para arrumar uma Casa”.

Em 1967, quem assume o Planalto é o general Costa e Silva, então ministro da Guerra de Castelo. Da linha dura, seu governo consolida a repressão. As conseqüências deste período da ditadura, seus meandros políticos e ideológicos estarão na tela. Mortes, torturas, assassinatos,  violação de direitos democráticos e prisões arbitrárias fazem parte desse período dramático da história.

O jornalista Flávio Tavares, participou da luta armada, foi preso, torturado e exilado político. Através da série, dirigida por seu filho Camilo Tavares, ele explora suas vivências e lembranças. E mais: abre uma nova oportunidade de reflexão sobre o passado.

O Dia que durou 21 anos é uma coprodução da TV Brasil com a Pequi Filmes, com direção de Camilo Tavares. Roteiro e entrevistas de Flávio e Camilo.

Plínio de Arruda Sampaio
Plínio de Arruda Sampaio

Primeiro Episódio:

As ações do embaixador dos Estados Unidos, Lincoln Gordon, ainda no governo Kennedy, são expostas neste primeiro capítulo. O discurso do presidente João Goulart pregando reformas sociais torna-se uma ameaça e é interpretado pelos militares como uma provocação. Nos quartéis temia-se uma movimentação de esquerda e a adoção do comunismo, que poderia se espalhar por outros países latinos. Entrevistas e reportagens da CBS são reproduzidas, bem como diálogos entre Gordon e Kennedy.

O documentário expõe a efervescência da sociedade brasileira naquele período. Para evitar que Goulart chegasse forte às eleições de 1965, foi criado o IBAD (Instituto Brasileiro de Ação Democrática), que teria dado cobertura às ações dos Estudos Unidos para derrubar João Goulart.

Segundo Episódio:

Cenas da morte de John Kennedy e a posse de Lyndon Johnson abrem este capítulo, dando sequência à estratégia dos Estados Unidos de impedir ao que o ex-presidente americano chamou de “um outro regime comunista no hemisfério ocidental”. “Vamos ficar em cima de Goulart e nos expor se for preciso”, diria Jonhson.

Imagens focam no discurso de Jango na Central do Brasil, em 13 de março de 1964,  que foi considerado uma provocação pelos arquitetos do golpe. Os americanos já preparavam o esquema, enviando suas forças militares para o “controle das massas”, como se refere um dos entrevistados. Paralelamente, articulações para levar Castelo Branco ao poder estavam sendo engendradas.

As forças americanas não precisaram entrar em campo. João Goulart pegou o avião, foi para Brasília e depois para o sul do país. Por que Jango não reagiu”? É uma questão posta na tela. O general Cavalcanti, oficial da guarda presidencial, resume: “Lamento que foi um golpe fácil demais. Ninguém assumiu o comando revolucionário”.

Os Estados Unidos estavam mobilizados para, em caso de resistência, fazer a intervenção militar pela costa e assim ajudar os militares.  As correspondências de Lincoln Gordon com o primeiro escalão da Casa Branca são mostradas ao público, explorando as ações secretas junto às Forças Armadas, a reação da imprensa e dos grupos católicos no Brasil. Os Estados Unidos reconhecem o novo governo e imagens da vitória e manifestações de rua entram em cenas.

James Green
James Green

Terceiro Episódio:

O cargo de presidente é declarado vago pelo presidente do Senado, Auro Moura de Andrade. O presidente da Câmara, Ranieri Mazzilli, é empossado.

No dia 15 de abril, o chefe das Forças Armadas, marechal Castelo Branco, toma posse.

Castelo tinha relações amistosas com Vernon Walters, adido da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil. Depois de suas conversas com Castelo, ele se ocupava em enviar telegramas para os Estados Unidos, relatando o teor da conversa.  Os textos dos telegramas são revelados no episódio.

O governo Castelo Branco recrudesce e dá início aos atos institucionais. O de número 2 extingue os partidos políticos e torna as eleições indiretas. E mais: prorroga o seu mandato. Em 1967, ele é substituído pelo general Costa e Silva, da chamada linha dura do Exército. O AI 5 é decretado no ano seguinte, e o Brasil entra no caos, “O AI5 foi uma revolução dentro da revolução”, declara o general Newton Cruz.

A repressão e a tortura dominavam o país. Militares e estudiosos falam desse período. O brigadeiro Rui Moreira Lima, da Força Aérea Brasileira, declara: “Eu conheci um coronel, filho de um general, que veio de um curso de tortura no Panamá. Ele chegou e disse: agora estou tinindo na tortura, pega aí um cara pra eu torturar”.

Os Estados Unidos continuam em campo e Lincoln Gordon pede para o governo fortalecer ao máximo o regime militar brasileiro. O orçamento da embaixada cresce, como registra o historiador Carlos Fico, da UFRJ, um dos entrevistados de Flávio Tavares.

UM clique no centro do vídeo:

OBAMA começou campanha para 2012 e fala do Brasil, do petróleo, de Lula e da Presidenta DILMA

Vejam o viral que o Obama lançou agorinha, na web, nos Estados

Unidos, por mais 4 anos na Casa Branca…o petróleo do Brasil é uma

das promessas dele, com direito a Dilma e Lula…

confira:

UM clique no centro do vídeo:

 

do JJ

CIDINHA CAMPOS denuncia dep. JOSÉ NADER / rio de janeiro

.

UM clique no centro do vídeo:

ANDREA BOCELLI e Anna Netrebko interpretam “BRINDISI” – LA TRAVIATA

dê UM clique no centro do vídeo:

Senador Magno Malta sugere convocação dos donos da RBS/SC para explicar preconceito e racismo

 

UM clique no centro do vídeo:

O discurso da senadora Ideli Salvatti, de Santa Catarina, foi aparteado pelo senador Magno Malta.

Falavam a respeito do comentário, abaixo, na RBS de Santa Catarina:

 

 

MAESTRO WAGNER TISO faz arranjo para clip de DILMA PRESIDENTE

UM clique no centro do vídeo:

DEMOCRACIA por MARILENA CHAUÍ, é imperdível / são paulo

DÊ UM CLIQUE NO CENTRO DOS VÍDEOS:

PARTE  1

PARTE  2

PARTE  3

PARTE 4

FHC afirma que SERRA, seu ministro do planejamento, “EXIGIA PRIVATIZAÇÕES”

VEJA NO VÍDEO A “PRIVATARIA”:


UM clique no centro do vídeo:

ZÉ SERRA por CIRO GOMES: PONTO FINAL!

UM clique no centro do vídeo:


 

gilmar mendes, ministro do stf, QUE ONTEM, 29/09/2010 PEDIU VISTAS DO PROCESSO QUANDO A VOTAÇÃO PARA NÃO EXIGÊNCIA DE DOIS DOCUMENTOS PARA VOTAR JÁ ESTAVA 7X0 , PORTANTO, MATÉRIA ENCERRADA, GILMAR MENDES TOMOU ESSA ATITUDE APÓS RECEBER TELEFONEMA PESSOAL DE JOSÉ SERRA.

REPUGNANTE.

========================

Quinta, 30 de setembro de 2010, 11h12  Atualizada às 12h01

Líder do PT: Espero que Mendes não tenha atendido Serra

Eliano Jorge


Serra, no momento em que teria telefonado para Gilmar Mendes
(foto: Rodrigo Coca/ Fotoarena/ Especial para Terra)

Líder do PT na Câmara, Cândido Vaccarezza prefere acreditar que não foi por interferência do presidenciável tucano José Serra que o ministro Gilmar Mendes interrompeu julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quarta-feira (29), sobre a necessidade de apresentação de dois documentos para votar em 2010.

Ele mede as palavras para não criar problemas com o STF:
– Temos muito cuidado em fazer uma guerra contra o Supremo. A esperança que tenho é que o ministro Gilmar Mendes não tenha tomado esta decisão por conta de um pedido do candidato Serra – afirmou, em conversa com
Terra Magazine.

Afirmando que aguarda a conclusão do julgamento nesta quinta-feira, Vaccarezza imagina que será confirmada a permissão para se votar apenas apresentando um documento com foto, algo visto como favorável ao PT, por incluir a participação de pessoas mais pobres.

Leia a entrevista.

Terra Magazine – Como o PT reagiu à notícia de que o ministro Gilmar Mendes interrompeu o julgamento do Supremo Tribunal Federal após telefonema do candidato do PSDB, José Serra? O partido tomará algum providência sobre isso?
Cândido Vaccarezza –
Nós temos muito cuidado em fazer uma guerra contra o Supremo. A esperança que eu tenho é que o ministro Gilmar Mendes não tenha tomado esta decisão por conta de um pedido do candidato Serra. Acho que o ministro Gilmar Mendes vai devolver o voto dele hoje (quinta-feira, 30) e está resolvido o problema.

Há possibilidade de a votação, que estava em 7 a 0, ser modificada. Os ministros podem mudar seus votos.
Não, os votos podem ser modificados, mas vamos aguardar o voto hoje do ministro Gilmar

O senhor acredita que a votação seguirá do jeito que estava, sem interferência?
Eu acho que seguirá do jeito que estava porque o fundamental que a Constituição garante é o direito do eleitor votar.

DEBATE NA TV RECORD. PRESIDENCIÁVEIS. – por idelber avelar / são paulo

Notas sobre o debate da TV Record

O debate de ontem à noite, na TV Record, mostrou quão equivocados estavam os estrategistas tucanos que imaginavam que José Serra daria surras de argumentação em Dilma Rousseff nos confrontos ao vivo. Bastou aparecer uma equipe de jornalistas que não faz entrevista combinada para que Serra perdesse a compostura e, mais uma vez, saísse reclamando das perguntas que lhe foram feitas. Creio que é possível discutir se a maior vencedora do debate foi Dilma Rousseff ou Marina Silva. Mas acho que dificilmente um tucano acreditaria, de boa fé, que José Serra ganhou pontos ontem na TV Record. Também acredito que nenhum tucano de boa fé diria que a TV Record favoreceu Dilma. Ela também enfrentou perguntas questionadoras e duras. A diferença é que Serra também teve que enfrentá-las. Dilma está mais que acostumada a isso. Serra, não.

O debate da Record foi o mais importante até agora, por motivos óbvios. Ele teve lugar em rede nacional de TV, chegou a marcar 14 pontos de audiência (a média total do programa foi 9) e aconteceu uma semana antes da eleição. Na minha avaliação, Serra foi muito mal, Plínio fez um papel bisonho, Marina mostrou uma melhora considerável em relação aos debates anteriores (e pode ter ganhado pontos de quem já decidiu não votar em Dilma ou Serra) e a candidata do PT, encarando tarefa difícil, saiu-se muito bem. Como o empate lhe favorece e ela claramente prevaleceu nos dois embates diretos com a outra figura de destaque da noite, Marina, o campo dilmista comemorou vitória, a meu modo de ver, com razão.

O debate teve três grandes momentos de sacode-Iaiá: um de Marina em Plínio, outro de Ana Paula Padrão em Serra, o terceiro de Dilma em Marina. Estes eu achei que foram os três sacode-Iaiá incontestáveis, de claros nocautes sem apelação. No primeiro, Marina lembrou a Plínio o seu abuso dos rótulos. Falou firme e com altivez acerca do respeito ao outro. O recado foi dado de maneira claríssima e, pela própria reação da plateia, ficou nítido o nocaute. No segundo, Ana Paula Padrão lembrou a Serra o uso da imagem de Lula e a desesperada insistência do candidato do PSDB em esconder Fernando Henrique. Para piorar a situação de Serra, Ana Paula mencionou a recente declaração de FHC, feita no exterior, de que a vitória de Dilma já estaria garantida. A resposta do candidato misturou ataques à jornalista, coisa que é bem do seu feitio (já terá pedido a cabeça dela à Record?), com algumas frases que devem ter feito a equipe de Dilma vibrar: acusações ao PT de ser “ingrato” com Fernando Henrique. A acusação pode até ser verdadeira. É fato que existem setores do petismo que se recusam a dar a FHC o seu quinhão de méritos na estabilização da economia. Mas a veracidade da acusação não faz com que ela deixe de ser, eleitoralmente, um tiro no pé. Do ponto de vista do PT, quanto mais o nome de FHC for mencionado, melhor. Sim, é injusto. Quem disse que política tem a ver com justiça?

O terceiro sacode-Iaiá foi categórico e ocorreu no único momento em que Marina decidiu repetir a cantilena da qual havia abusado no debate anterior: a retórica udenista sobre a corrupção. Ao interpelar Dilma a respeito do caso de nepotismo na Casa Civil, ouviu a resposta de que a investigação estava sendo feita e que tanto em 2005, quando Dilma assumiu o cargo, como agora, à raiz do caso Erenice, ela tomara medidas para coibir os malfeitos. Marina replicou que era inaceitável que isso se repetisse e que pelo jeito as medidas não estavam surtindo efeito. Com certeza, não esperava a tréplica que veio: Dilma lembrou que tomou as mesmas medidas da própria Marina quando vieram à tona casos de corrupção no Ministério do Meio Ambiente comandado por ela. Lembrou-lhe, com elegância, que ninguém tem monopólio sobre a moral. De forma implícita, nocauteou o argumento tantas vezes usado por Marina nesta campanha, o de que ela supostamente seria mais limpa ou ética que o governo do PT – do qual ela fez parte durante sete anos e que só resolveu abandonar às vésperas da eleição.

Os camaradas do PSOL sabem do meu respeito por e de minha interlocução com o partido. Inclusive, a partir de algumas conversas com psolistas no Twitter, quero oferecer o espaço do Biscoito, a partir de novembro, para que façamos uma ampla discussão sobre os rumos do partido. Poderíamos armá-la a partir de um texto meu e dois ou três textos de militantes do partido que queiram contribuir, publicando todos os textos num mesmo post e, a partir daí, usando a caixa de comentários para a conversa. Esta é uma promessa do blog, caso interesse, é evidente.

DÊ UM CLIQUE NO CENTRO DO VÍDEO:

No entanto, o meu respeito não me impede de dizer que o papel de Plínio ontem foi grotesco, bisonho. Esqueceu-se de que ele não saiu do PT quando estouraram casos de corrupção, mas quando perdeu a eleição para presidente do partido. Mostrou estar desinformado sobre o ProUni. Chamou Dilma de Marina. Teve a oportunidade de uma tréplica e não a usou, pois não sabia o que estava acontecendo. Falou da União Soviética como se ela existisse. Fez uma infantil correlação entre o aumento das investigações sobre a corrupção e um suposto aumento da própria, como se o Brasil nunca tivesse tido um Engavetador-Geral da Repúbilca. Repetiu a cantilena sobre salário mínimo de R$ 2.000, 10% do PIB para a Educação e uma série de outras promessas pouco factíveis, respondendo, quando perguntado sobre de onde sairia o dinheiro, com o chavão da ruptura com os banqueiros—sem nos dizer o que faria o Brasil em estado de isolamento ante o sistema financeiro internacional.

Vejamos como se comportam os jornalistas da TV Globo no próximo debate, o último. Para os que gostam de contrapor, às críticas à parcialidade da Globo, alusões a uma suposta parcialidade da Record para o lado oposto, fica o lembrete: ontem, todo mundo encarou perguntas duras dos jornalistas. Mas só Serra saiu reclamando delas.

UM SHOW DE MÚSICA PELO PLANETA – editoria

Um show imperdível!

Basta clicar e assistir a uma coisa absolutamente impressionante, técnica e musicalmente.Trata-se de um grupo de pessoas, que não se conhecem entre si . É aqui que entram os técnicos de som e imagem voluntários e sem remuneração, que se ocuparam de captar o som de cada um dos “cantores”, individual e mundialmente (são atuações ao ar livre e isso é extremamente difícil de fazer sem “ruídos exteriores”). Posto isto e remixado, atingindo um nível de pureza musical notável, chegamos a esta maravilha musical conseguida através de alta tecnologia, e que num instante, junta as pessoas de todo o mundo, fazendo-as sentir e falar ao mesmo tempo a mesma linguagem universal… a música. Momentos como este, de grande dedicação e generosidade, fazem-nos ainda ter alguma esperança na “raça humana”.

CLIQUE : SHOW

“Nosso Lar”, baseado no livro de Chico Xavier, longa acompanha a jornada do médico André Luiz após sua morte

Uma história sobre evolução e segunda chance, Nosso Lar apresenta a trajetória pelo mundo espiritual de André Luiz (Renato Prieto), um médico bem-sucedido que acorda em um lugar desconhecido – um ambiente escuro e tenebroso, com gritos e seres que vivem à sombra. Ele sabe que não está mais vivo, mas continua sentindo fome, frio, dor e sede.

Após o sofrimento nas zonas purgatórias, é levado para a cidade que dá nome ao filme, onde aprende como é a vida em outra dimensão, coisa que ele sequer supunha existir. Entre lições sobre conhecimento e momentos ainda marcados por dor e angústia, André Luiz vê que a vida na Terra continua, inclusive para sua família que ele tanto ansiava reencontrar.

de UM clique no centro do vídeo.

O longa-metragem de Wagner de Assis é baseado no best seller do médium Chico Xavier. Em sua 60ª edição, o livro vendeu cerca de 2 milhões de cópias no Brasil e foi traduzido para outras dez línguas. Renato Prieto se preparou durante seis meses e emagreceu 18 quilos para viver o personagem. As gravações foram feitas no Rio de Janeiro e em Brasília entre agosto e setembro de 2009. Com um orçamento de R$ 20 milhões, a película teve o maior gasto com produção da história cinematográfica nacional. Hoje nos cinemas (3/9/10).

VEJA DILMA ROUSSEF na TV hoje à noite (17/08/10)

UM clique no centro do vídeo:

UM ANIVERSÁRIO PARA SER COMEMEMORADO – por tonicato miranda ( pelos palavreiros da hora.)

Estivesse vivo Vladímir Vladímirovitch Maiakovski estaria hoje completando 117 anos. É muito? Pelo menos nos tempos modernos, não. O brasileiro mais ilustre, Oscar Niemeyer, completou ainda este ano 101 anos. A “nossa” brasileira mais idosa faleceu no início de Julho com 130 anos. A longevidade tanto é o tempo cronológico, mas também aquela que dura nos corações e na gente do povo e na memória da cultura humana. Ao povo russo, ao menos ao longo de duas décadas após 1930, Maiakovski permaneceu vivo, ainda que a muitos do governo revolucionário russo sua genial poesia parecesse obscura e inatingível às massas populares do seu país.

Mas tudo isto tem importância menor. Devemos agora render uma homenagem a este grande homem. E ele foi grandioso duas vezes. Na estatura, com quase 1,90m, e na grandeza da sua literatura, a maior parte dela: poemas. Pois neste dia especial a Equipe dos Palavreiros quer lembrar um pouco da vida e obra deste magnífico artífice da palavra.

Maiakovski nasceu em Bagdadi, ou Baghdati, segundo o Google, na Geórgia, em 7 de Julho de 1893, 19 de Julho pelo calendário ocidental. Naquela época a Geórgia era russa, e Maiakovski, teve seu início de envolvimento com a poesia e com a revolução quando foi preso, em 29 de Março de 1908. A tipografia onde habitualmente passava horas da sua juventude e que pregava os ideais revolucionários foi fechada e o bardo que se locomovia próximo ao local foi revistado, sendo com ele encontrada caderneta com importantes nomes de ativistas contrários ao regime imperial vigente. Ficou preso por dois anos, saindo da prisão aos 16 anos. Falando do seu tempo de prisão deixou escrito:

Eu, no entanto,

aprendi a amar no cárcere

…………………………………….

me enamorei da janelinha da cela 103

da “oficina de pompas fúnebres”

……………………………………..

então

por um raiozinho de sol amarelo

dançando em minha parede

teria dado todo um mundo.

Na prisão escreveu poemas e textos diversos, tendo organizado um conjunto de poemas que pretendia ver transformado em livro, mas os originais foram apreendidos quando ganhou a “liberdade”. Aspeamos a palavra porque saiu da prisão para cumprir um período de degredo, que somente não se materializou por influência de amigos e companheiros apaziguados pelo sistema.

Matriculou-se na Escola de Belas-Artes, conviveu com o Príncipe Lvov, que tentou mudar sua vontade de “crítica e agitação”. Conselho não seguido, evidentemente, dado seu espírito irrequieto e ideais fortemente arraigados, inclusive em sua poesia. Ao seguir nos estudos, se opõe à linguagem acadêmica de muitos professores, aos quais chamava de decadentes e simbolistas. Costumava dizer sobre os conservadores e seguidores dos clássicos na literatura da sua época: eles “continuam a atirar ananases ao céu”.

Chegou a afirmar:

“…Que posso opor às estéticas antiquadas que me rodeiam? Por acaso a revolução não exigirá de mim que passe por uma escola séria? Fui visitar um camarada, Medvédev, que era então para mim um camarada do Partido. “Quero fazer uma arte socialista”. Meu amigo se pôs a rir às gargalhadas: “Tens os olhos maiores que a barriga”. Interrompi o trabalho de militante e me pus a estudar.”

Procurou depois completar sua instrução, de forma independente, com outros mestres, tendo se tornado amigo íntimo de Gorki. Logo funda o grupo futurista e busca, através de publicações regulares colocar suas posições e a de companheiros sobre a arte, a literatura e as ideias partidárias, sempre atacando a literatura conservadora.

Por não pretendermos repetir aqui toda a sua trajetória, contida na excelente tradução e estudo biográfico realizado por Emílio C. Guerra, 2ª  Edição, 1983, da Editora Max Limonad, a Equipe dos Palavreiros vai apenas pontuar poucas passagens constantes no livro citado e colocar seu mais conhecido poema. Vale dizer, entretanto, que nenhum antes dele, e mesmo depois, levou a poesia engajada às lutas operárias e à vontade de melhores dias dos cidadãos simples do povo e do campesinato. Esta sua ação aguda não tem paralelo na história cultural da humanidade.

Maiakovski além da poesia, dos textos para teatro e artigos voltados à propaganda do partido da revolução. realizou inúmeras palestras e conferências. Ficou conhecido o seu sarcasmo que ele dizia ele ser uma das suas armas mais certeiras e eficientes. Tinha mania de colecionar bilhetes e perguntas escritas por pessoas das platéias que lotavam para assisti-lo, nas diversas cidades em que visitava. Mas muitas vezes respondia as perguntas após a conferência, onde os poemas declamados sempre ficavam para o final. Foi grande declamador, com uma capacidade de improviso na resposta sem igual.

Certa feita, foi questionado por alguém na platéia que lhe disse:

__ Maiakovski, suas piadas não atingem meu entendimento.

__ É que você é uma girafa! – exclamou o poeta. – Somente uma girafa pode molhar os pés na segunda-feira e só ficar resfriada no domingo.

Na mesma sessão um jovem mais atrevido o desafiou:

__ Maiakovski, você nos toma a todos como idiotas, não?

__ Bem, bem… – responde Maiakovski – Por que a todos? Por enquanto só vejo um diante de mim.

Assim era o bardo. Não sabemos dizer – e os estudiosos da sua vida e obra até hoje não sabem dizer, as razões do seu suicídio. Mas certamente muito teve a ver com seus amores (ele um apaixonado, tendo convivido com três grandes amores), e com o desgosto de ver muitos dos seus ideais serem apartados das lutas e campanhas partidária após a morte de Lênin, por quem nutria grande admiração.

Os palavreiros recomendam a leitura do livro Maiacovski (esta a grafia colocada pelo autor), da importante tradução realizada por Emílio C. Guerra e, também, a tradução realizada por Haroldo de Campos, da Record.


A plenos pulmões

Vladímir Maiakóvski

Primeira introdução ao Poema

Caros

camaradas

futuros!

Revolvendo

a merca fóssil

de agora,

perscrutando

estes dias escuros,

talvez

perguntareis

por mim. Ora,

começará

vosso homem de ciência,

afogando os porquês

num banho de sabença,

conta-se

que outrora

um férvido cantor

a água sem fervura

combateu com fervor. (1)

Professor,

jogue fora

as lentes-bicicleta!

A mim cabe falar

de mim

de minha era.

Eu — incinerador,

eu — sanitarista,

a revolução

me convoca e me alista.

Troco pelo “front”

a horticultura airosa

da poesia —

fêmea caprichosa.

Ela ajardina o jardim

virgem

vargem

sombra

alfrombra.

“É assim o jardim de jasmim,

o jardim de jasmim do alfenim”.

Este verte versos feito regador,

aquele os baba,

boca em babador, —

bonifrates encapelados,

descabelados vates —

entendê-los,

ao diabo!,

quem há-de…

Quarentena é inútil contra eles —

mandolinam por detrás das paredes:

“Ta-ran-ten-n-n…”

Triste honra,

se de tais rosas

minha estátua se erigisse:

na praça

escarra a tuberculose;

putas e rufiões

numa ronda de sífilis.

Também a mim

a propaganda

cansa,

é tão fácil

alinhavar

romanças, —

Mas eu

me dominava

entretanto

e pisava

a garganta do meu canto.

Escutai,

camaradas futuros,

o agitador,

o cáustico caudilho,

o extintor

dos melífluos enxurros:

por cima

dos opúsculos líricos,

eu vos falo

como um vivo aos vivos.

Chego a vós,

à Comuna distante,

não como Iessiênin,

guitarriarcaico.

Mas através

dos séculos em arco

sobre os poetas

e sobre os governantes.

Meu verso chegará,

não como a seta

lírico-amável,

que persegue a caça.

Nem como

ao numismata

a moeda gasta,

nem como a luz

das estrelas decrépitas.

Meu verso

com labor

rompe a mole dos anos,

e assoma

a olho nu,

palpável,

bruto,

como a nossos dias

chega o aqueduto

levantado

por escravos romanos.

No túmulo dos livros,

versos como ossos,

Se estas estrofes de aço

Acaso descobrirdes,

vós as respeitareis,

como quem vê destroços

de um arsenal antigo,

mas terrível.

Ao ouvido

não diz

blandícias

minha voz;

lóbulos de donzelas

de cachos e bandos

não faço enrubescer

com lascivos rondós.

Desdobro minhas páginas

— tropas em parada,

E passo em revista

o “front” das palavras.

Estrofes estacam

chumbo-severas,

Prontas para o triunfo

ou para a morte.

Poemas-canhões,

rígida corte,

apontando

as maiúsculas

abertas.

Ei-la,

a cavalaria do sarcasmo,

minha arma favorita,

alerta para a luta.

Rimas em riste,

sofreando o entusiasmo,

eriça

suas lanças agudas.

E todo

este exército aguerrido,

vinte anos de combates,

não batido,

eu vos dôo,

proletários do planeta,

cada folha

até a última letra.

O inimigo

da colossal

classe obreira,

é também

meu inimigo figadal.

Anos

de servidão e de miséria

comandavam

nossa bandeira vermelha.

Nós abríamos Marx

volume após volume,

janelas

de nossa casa

abertas amplamente,

mas ainda sem ler

saberíamos o rumo!

onde combater,

de que lado,

em que frente.

Dialética, não aprendemos com Hegel. Invadiu-nos os versos

Ao fragor das batalhas,

Quando,

sob o nosso projétil,

debandava o burguês

que antes nos debandara.

Que essa viúva desolada,

— glória —

se arraste

após os gênios,

merencória.

Morre,

meu verso,

como um soldado

anônimo

na lufada do assalto.

Cuspo

Sobre o bronze pesadíssimo,

cuspo

sobre o mármore, viscoso.

Partilhemos a glória, —

entre nós todos, —

o comum monumento:

o socialismo,

forjado

na refrega

e no fogo.

Vindouros,

Varejai vossos léxicos:

do Letes

brotam letras como lixo —

“tuberculose”,

“bloqueio”,

“meretrício”

Por vós, geração de saudáveis, —

um poeta,

com a língua dos cartazes,

lambeu

os escarros da tísis.

A cauda dos anos

faz-me agora

um monstro,

fossilcoleante.

Camarada vida,

vamos,

para diante,

galopemos

pelo qüinqüênio afora. (2)

Os versos

para mim

não deram rublos,

nem mobílias

de madeiras caras.

Uma camisa

Lavada e clara,

e basta, —

para mim é tudo.

Ao

Comitê Central

do futuro

ofuscante,

sobre a malta

dos vates

velhacos e falsários,

apresento

em lugar

do registro partidário

todos

os cem tomos

dos meus livros militantes.

[Dezembro, 1929/janeiro, 1930]


dê UM clique no centro do vídeo.

Notas

1 — Maiakóvski escreveu versos de propaganda sanitária.

2 — Alusão aos Planos Quinquenais soviéticos.

Este é um dos poemas mais conhecidos do poeta.

A tradução é de Haroldo de Campos.

Veja também:

http://www.xenia.com.br/jornal/maiakovski.htm

http://www.revistabula.com/posts/livros/revolucao-russa-de-stalin-devorou-maiakovski

NOSSA CASA: PLANETA TERRA, SOCORRA E CUIDE

UM clique no centro do vídeo:

Parte I:

Parte II:

Parte III:

Parte IV:

Parte V:

Parte VI:

Parte VII:

Parte VIII:

Parte IX:

Parte X:

Parte XI:

CARMEN MONARCHA e ANDRÉ RIEU : AVE MARIA DE GOUNOD / paris

UM clique no centro do video:

.

Composição: Johann Sebastian Bach/ Charles Gounod

.

Ave Maria, gratia plena
Dominus tecum
Benedicta tu in mulieribus
Et benedictus fructus
ventri tui Jesus.
Sancta Maria
Ora pro nobis peccatoribus
Nunc et in hora mortis
nostrae. Amen.

Fifa divulga vídeo de apresentação da Copa 2010

O clipe traz imagens das 32 seleções que irão disputar o Mundial deste ano em diversos momentos marcantes, como gols, defesas e festas proporcionadas pela torcida. Além disso, traz a cantora colombiana Shakira interpretando a canção “Waka Waka (This times for África)”. G1.

O vídeo apresenta uma carga de emoções bem grande para quem gosta de futebol. Mescla imagens de peladas disputadas em campos de terra, com a de grandes astros do milionário mundo do futebol em ação. Mostra apresentações folclóricas tradicionais do país, tendo a letra motivadora da canção ao fundo e também em legendas.

A seleção brasileira, única pentacampeã do mundo, recebe destaque especial na gravação. Aparecem, entre outras estrelas, Cristiano Ronaldo, Messi, Kaká, Nistelrooy, Peter Chech e Ribery. Também são “homenageados” no vídeo grandes jogadores que não vão para a Copa, como Ronaldo (fininho) e David Beckham.

UM clique no centro do vídeo:

CIRO GOMES arrasa com ZE SERRA – sao paulo

Serra ao ser descoberto “que detesta pobre porque e burro” processa Ciro Gomes.

VEJA  AQUI

PACO DE LUCÍA: Concierto de Aranjuez Part2

UM clique no centro do vídeo

CIDINHA CAMPOS, deputada estadual no RIO DE JANEIRO, faz depoimento GRAVÍSSIMO e seus pares seguem rindo. é o regime da CANALHOCRACIA. / rio de janeiro

a deputada estadual do Estado do Rio de Janeiro CIDINHA CAMPOS faz um pronunciamento contundente sobre a corrupção na assembléia legislativa e outros órgãos. vale assistir até o final. o povo brasileiro agradece.

UM clique no centro do vídeo:

WE ARE THE WORLD por 57 artistas amadores, dos estados unidos, já somam mais de 1.200.000 visualizações em 10 dias de exposição na internet

este vídeo foi gravado com equipamento para amadores, nos quartos, salas e garagem dos participantes e posteriormente editado pelos mesmos.

UM clique no centro do vídeo.

MÚSICA DA IDADE MÉDIA

UM clique no centro do vídeo:

A GRIPE SUÍNA e ZÉ SERRA, o presidenciável

o governador de são paulo, zé serra, que foi ministro da saúde do fhc, o culto, que privatizou as empresas brasileiras, assim se expressou sobre a gripe suína, assunto que domina sobremaneira:

UM clique no centro do vídeo:

REENCARNAÇÃO: “VOCÊ JÁ SABE DISSO ou AINDA IGNORA?” – enviado por léo chaves / porto alegre

UM clique no centro dos vídeos.

PARTE  I:

PARTE  II:

.

Para se inteirar do que se trata você deve ler : O LIVRO DOS ESPÍRITOS de Allan Kardec, se achas que possuis uma alma, caso contrario aguarde o tempo necessário.

Léo Chaves.

Neurocirurgião.

“GURI de ACAMPAMENTO” – composição e interpretação de luiz carlos borges / música gaúcha / porto alegre

UM clique no centro do vídeo:

SAUDAÇÃO A CHE GUEVARA – de manoel de andrade / curitiba

Este poema, Saudação a Che Guevara, escrito em outubro de 1968, para comemorar o primeiro ano da morte do CHE, na Bolívia, teve suas 3.000 cópias panfletadas em ambientes estudantis e sindicais, no fim daquele ano, de Curitiba. O poema,colocando liricamente a sua imagem de Comandante no centro de todos os movimentos revolucionários do continente, convocava a luta armada e saudava a sua imortalidade como uma consigna triunfante na conquista de um mundo novo. Alguns panfletos foram aprendidos pelo DOPS (Delegacia de Ordem Política e Social) e seu autor, passou a ser procurado. Em razão disso deixou o Brasil em março de 1969 iniciando sua trajetória poética ao longo de 15 países da América Latina. Em outubro de 1969 a Federación Universitária de Cochabamba, na Bolívia, publica o poema em centenas de exemplares de um cartaz anônimo, ilustrado com a arte de Atílio Carrasco. Só agora, 40 anos depois, é que este poema, que correu o Continente, nas várias edições, em espanhol, do seu livro POEMAS PARA A LIBERDADE, aparece no Brasil editado este ano pela Escrituras. Este site, registrando os 42 anos da morte do grande guerrilheiro, publica em primeira edição virtual o poema do palavreiro Manoel de Andrade.

O EDITOR.

SAUDAÇÃO A CHE GUEVARA


No sonho da liberdade

onde cada mártir renasce,

onde não há homem sem terra

onde não há povo sem face,

num tempo, gesto de sangue

no sangue, gesto de amor,

no amor de quem se deu

como um perfume de flor

e nessa flor de montanha

aberta pro continente

nesta beleza tamanha

na minha fé deslumbrante

tu estás meu Comandante

numa saudade bem clara

dos que morrem e que renascem

contigo, Ernesto Guevara.

.

No nosso ódio indigesto

na voz da conspiração

na passeata de protesto

em cada homem sem pão

em cada cidadão livre

que é metralhado na rua

no seio de cada greve

no salário de quem sua

na opressão e na fome

nesse mal que nos consome

como farol claro e forte

surge tua imagem, teu nome

teu braço de guerrilheiro

como um fuzil justiceiro

nos apontando o roteiro

em busca da liberdade.

.

Nas pátrias negociadas

desta América sofrida

na ditadura instalada

na terra não repartida

em toda prisão injusta

em todo estudante morto

em cada homem sem rosto

de quem outro vive à custa

no estômago agonizante

nos punhos que desabrocham

pra rubra flor do combate,

tu estás, meu Comandante.

.

Enquanto a noite se escorre

na garganta da ampulheta

as gerações se preparam

para a estação da colheita.

A semente está brotando

na flor da revolução

e a consciência do povo

vai tomando posição.

Tu semeaste a bom tempo

os grãos dos frutos por vir

que levados pelo vento

no estampido dos metais

brotam nos campos ao sul

das terras continentais.

.

Adios, adios, hasta siempre

meu imortal Comandante,

na terra há flores se abrindo

no peito a fé triunfante

no tempo um caminho aberto

e nele os homens sorrindo

num largo gesto de hermano

na busca de um mundo novo

da pátria purificada

para a alegria do povo.

Curitiba, Outubro de 1968

saludo a Che Guevara

o poema, em espanhol,  publicado em cartaz  da Federacion Universitaria Local (Cochabamba) na Bolívia, em outubro de 1969, ilustrado por Atílio Carrasco.

PARA ERNESTO “CHE” GUEVARA – de eduardo galeano / montevideo.ur

Por que será que o Che
tem esse perigoso costume
de seguir sempre renascendo?
Quanto mais o insultam,
o manipulam o traicionam,
mais renasce.
Ele é o mais renascedor de todos!
Não será porque o Che
dizia o que pensava,
e fazia o que dizia?
Não será por isso,
que segue sendo
tão extraordinário,
num mundo
em que as palavras
e os fatos
raramente se encontram?
E quando se encontram,
raramente se saúdam,
porque não se reconhecem?

– 1967, La Higuera, assassinaram Che, que ainda nasce,
a cada dia nasce.

UM clique no centro do vídeo.

SABICAS, O MAESTRO ESPANHOL toca: “FANTASIA”

para atender ao pedido do amigo e poeta MANOEL DE ANDRADE feito no post do PACO DE LUCÍA.

UM clique no centro do vídeo:

.

PACO DE LUCÍA: “ENTRE DOS AGUAS”

dê UM clique no centro do vídeo:

VÍRUS H1NI (A) desenvolvido em laboratório /vídeo / usa

dê UM clique no centro do vídeo:

“il pleure dans mon coeur” PAUL VERLAINE / frança

JOÃO DE ALMEIDA NETO declama o poema ” O MEU PAÍS” / porto alegre

UM clique no centro do vídeo:

.

Um país que crianças elimina;
E não ouve o clamor dos esquecidos;
Onde nunca os humildes são ouvidos;
E uma elite sem Deus é que domina;
Que permite um estupro em cada esquina;
E a certeza da dúvida infeliz;
Onde quem tem razão passa a servis;
E maltratam o negro e a mulher;
Pode ser o país de quem quiser;
Mas não é, com certeza, o meu país.

Um país onde as leis são descartáveis;
Por ausência de códigos corretos;
Com noventa milhões de analfabetos;
E multidão maior de miseráveis;
Um país onde os homens confiáveis não têm voz,
Não têm vez,
Nem diretriz;
Mas corruptos têm voz,
Têm vez,
Têm bis,
E o respaldo de um estímulo incomum;
Pode ser o país de qualquer um;
Mas não é, com certeza, o meu país.

Um país que os seus índios discrimina;
E a Ciência e a Arte não respeita;
Um país que ainda morre de maleita, por atraso geral da Medicina;
Um país onde a Escola não ensina;
E o Hospital não dispõe de Raios X;
Onde o povo da vila só é feliz;
Quando tem água de chuva e luz de sol;
Pode ser o país do futebol;
Mas não é, com certeza, o meu país!

Um país que é doente;
Não se cura;
Quer ficar sempre no terceiro mundo;
Que do poço fatal chegou ao fundo;
Sem saber emergir da noite escura;
Um país que perdeu a compostura;
Atendendo a políticos sutis;
Que dividem o Brasil em mil brasis;
Para melhor assaltar, de ponta a ponta;
Pode ser um país de faz de conta;
Mas não é, com certeza, o meu país!

Um país que perdeu a identidade;
Sepultou o idioma Português;
Aprendeu a falar pornô e Inglês;
Aderindo à global vulgaridade;
Um país que não tem capacidade;
De saber o que pensa e o que diz;
E não sabe curar a cicatriz;
Desse povo tão bom que vive mal;
Pode ser o país do carnaval;
Mas não é, com certeza, o meu país!

JB VIDAL INTERPRETA SEU POEMA “OFERTÓRIO-OLFATO” – VÍDEO

o poeta interpreta seu poema OFERTÓRIO-OLFATO na segunda noite do evento PRIMEIRA SEMANA DA POESIA PARANAENSE promovida pelo ESPAÇO CULTURAL ALBERTO MASSUDA na primavera de 2008. em Curitiba.

.

DÊ UM CLIQUE NO CENTRO DO VÍDEO:

NOSSA HOMENAGEM NA “SEMANA DO AMIGO”

quero através dessas duas músicas e do modo mais simples agradecer a amizade, dos companheiros da EQUIPE PALAVREIROS DA HORA e dos colaboradores, que nunca faltou na construção deste espaço que tem por objetivo divulgar nossa arte e nossa cultura, feita por aqueles que não se curvaram à produção oficialesca nem ao criminoso “mercado editorial”. também agradecer aos amigos colaboradores de outros países, da nossa américa latina tão sofrida e mesmo assim esperançosa de um melhor porvir; aos nossos amigos de além mar, europa e áfrica, não menos sacrificados e aos nossos leitores (amigos virtuais) que,  com sua presença, atestam a qualidade das nossas publicações incentivando, assim, a sua continuidade e aperfeiçoamento.

MUITO OBRIGADO.

jb vidal

Editor

.

CLIQUE UMA VEZ NO CENTRO DO VÍDEO:

.

DR. SERGIO FELIPE DE OLIVEIRA – VÍDEO PALESTRA: CIÊNCIA E ESPIRITISMO – DOENÇAS E MEDIUNIDADE / são paulo

palestra do professor dr.sérgio felipe de oliveira, clínico, neuro cientista,  e pesquisador da glândula pineal. duração da palestra completa 1h:10, sendo o tempo de cada parte de 00:08 a 00:10 minutos.

A CIÊNCIA A CADA INSTANTE NOS REVELA DESCOBERTAS SURPREENDENTES QUE NOS ACOMPANHAM POR MILÊNIOS.

PARA ASSISTIR CLIQUE UMA VEZ NO CENTRO DO VÍDEO:

PARTE 1:

PARTE 2:

PARTE 3:

PARTE 4:

PARTE 5:

PARTE 6:

PARTE 7:

.

LEIA ENTREVISTA COM O DR. SÉRGIO FELIPE DE OLIVEIRA : AQUI

PARA ENTRAR EM CONTATO COM O DR. SÉRGIO FELIPE DE OLIVEIRA:

CLÍNICA PINEAL MIND

Rua Paulo Orozimbo, 916

FONE: 11.3209-5531

Próxima ao Parque da Aclimação / SÃO PAULO. CAPITAL.

ISABEL GUERRA a monja pintora / zaragoza.esp

TAINHA enche as redes da ILHA DE SANTA CATARINA

OS VIGIAS A POSTOS OBSERVANDO A CHEGADA DOS CARDUMES:

José Ercílio Gonçalves, o Piranha, é um dos mais experiêntes vigias do Pântano do Sul. Nascido no Campeche há 54 anos , ele está na pesca desde os quatorze. De sóli parido a sóli murrido ele está lá na vigia, concentrado nos cardumes e de olhos fixos no infinito. Hoje, é um dos poucos camaradas que vivem exclusivamente da pesca. É um pescador profissional. Sem decuidar do mar, ele explica como é que vê os peixes.

SEXTA-FEIRA, 5 DE JUNHO DE 2009

NOS INGLESES!  40 toneladas de tainha!!

PESCA DA TAINHA - INGLESES

OS VIGIAS, do alto dos morros,  observam a chegada dos cardumes e avisam seus companheiros que se lançam ao mar.

PESCA DA TAINHA - VIGIAS vigias03

Fernando alexandre jorn poeta

Fernando Alexandre é jornalista, poeta, editor e autor do “Dicionário da Ilha – Falar & Falares da Ilha de Santa Catarina” e “Dicionário do Surf – A Língua das Ondas“.

Também é o autor da matéria acima e editor do blog: ÚÚÚÚ!!! A PESCA DA TAINHA

MUSEU NACIONAL DO PRADO – ESPANHA

DÊ UM CLIQUE NO CENTRO DO VÍDEO