Arquivos de Tag: composição

SOBRE NÓS E ELOS de marilda confortin / curitiba

Acontece,

que somos elos de uma corrente

feita por um desses deuses dementes

que se divertem com a desgraça da gente.

Acontece,

que estamos sempre a procura

de uma corrente segura

pra nos encaixar.

Mas, acontece

que essa maldita corrente

sempre arrebenta no mesmo lugar.

Acontece,

que existem elos perdidos

que vieram ao mudo

só para serem partidos.

Elos órfãos,

que vivem sós,

que se amam,

mas não se atam,

como nós.

As vezes me pego sonhando

com um universo paralelo,

cheínho de elos,

todos sem par.

Quem sabe é por lá

que nossos chinelos

vão se encontrar.

AMOR FINA – de marilda confortin / curitiba

(composição musical de Gerson Bientinez)

O que mata,

não é a dor de perder quem se ama.

Enquanto maltrata

ainda há chama

há seiva

há gana

há chance

de reascender.

O que mata,

não é a lembrança,

é a indiferença.

Não é o que se pensa,

é o que se dispensa.

Não, a vida não acaba

quando o mundo desaba

“eu que aprenda a levantar”

A vida fenece

quando anoitece e endiece

na rotina,

nada começa,

nada termina,

o amor desvanece,

neblina.

A vida termina,

quando o coração adormece,

amortece,

amorfina.

QUANDO AS NUVENS FECHAM de jorge barbosa filho – curitiba


quando as nuvens fecham o céu

e meus olhos choram, são chuvas, sempre chuvas

onde você deitou, chorou e escorregou.

em meu peito molhado, ficando carregado

de tantos trovões, com teu amor.

quantos estouros, não sei porque!

queria um beijo que fosse sincero.

não um beijo, mais do que um beijo,

um beijo para ser eterno… e terno.

mesmo no inferno… e mesmo no inferno.

a tempestade do meu ser, acho,

deve te dar algum prazer…

algum prazer! uhunhuhn algum prazer!

o céu está cinza. pra quê tantas chuvas,

se admiro isto distante, distante,

e me molhar no meu amor num instante

apenas por um instante.

apenas por um instante.

os pingos das chuvas me dão o lazer

pra brincar com você, para ser o quer você ser…

o seu ser… as nuvens se fecham,

meus olhos se cerram e as nuvens se fecham

nunca mais verei as luas, as luas…

quando as nuvens se fecham,

e minhas pálprebas também…