Arquivos de Tag: joanna andrade

PENSAMENTOS RESIDUAIS de joanna andrade / miami.usa

Momentos que sufocam,

dor no peito, sem cura, o unico remédio é esquecer à conta gotas.

.

Cada  gota  é como chumbo,

tão pesada é a dor.

.

Novo método contra cena  amortecida,

sensação, sem paladar e insonsa.

.

O coração ao chão desenhado,

para nunca ser esquecido ao ser pisado.

.

A  sola do sapato trilha a fama da vida,

vermelho carmim ululante.

.

Rastros cirúrgicos perseguem a sombra das sombras,

criando as cicatrizes históricas.

.

As lágrimas alvejam o caminho,

acionam todos os fantasmas para a super ação.

.

São esses os momentos que sufocam,

quando a chuva lava as almas deixando-as novinhas em folha.

.

Os momentos que sufocam o velho coração,

povoam as aortas com o sódio caustificante dos pensamentos residuais.

.

……… dor no peito, sem cura, o unico remédio é esquecer ao contar as gotas.

PORTA-RETRATO de joanna andrade / miami.usa

Sou o que os olhos podem ver

Minha historia num calice chapiscado com gotas de Chardonnay

No fim

Os albuns de fotografia continuam intocaveis

O balanço da árvore de Cinamomo traz entre um vai e vem os contos todos

Pluralidade em vida singular

Ilhada vida atribulada

Zerada

Todo dia uma disputa comprovada

Às custas de alguém.

THE PRESENT de joanna andrade / miami.usa

I do not know who I am or what I can become

No more

Arrested thoughts by the anguished pain

I render my life to my own dreams of freedom

No more prisoners

No more past

The present loneliness

MANHÃ SEGUINTE de joanna andrade / curitiba

Palavras arquivadas na memoria

Fugazes Faces Flashes

Um momento sem dono

A cada piscar de olhos um blackout

Um tiro Uma facada

Um  Coração Assassinado

Um vale de lagrimas caramelizadas no peito

Uma saudade Um adeus Um comfronto

Uma escapatoria Uma falta

Aleatoria Alegria Algoz

Um sorriso que mata

Em seu sinonimo social

Palavras modelos em perfis anorexicos

Cheios de pose cheios de posse

Gordas atras de suas grades

Finas nos chás da tarde

Intelectuais às 9 da noite

Voluptuosas na madrugada

Ensalivadas em bocas lacradas com o proprio orvalho na manha seguinte

Decoram o ceu das bocas

Ensimesmadas.

SE EU NÃO TIVESSE ALGUÉM PARA AMAR poema de joanna andrade

Se EU não tivesse alguem para amar,

Eu não pararia nem um minuto, continuaria em busca dos objetivos e nao perderia tempo,

Eu não saberia o que é chorar de saudade ou de medo de perder a pessoa tão importante e rara,

Eu só conheceria  a dor.

Se EU não amasse ninguém,

Eu não precisaria deixar de comer o maior pedaço de bife no prato,

Eu  não poderia levar café na cama de manha cedo esperando que o dia, que o ano, que a vida pudesse ser maravilhosa só por esse ato tão simples

 Eu teria ficado estática em minha vida

Se EU não amasse voce,

Eu não tentaria ser mais forte que Hercules para diminuir a distancia que nos separa,

Eu não esperaria ve-lo todas as tardes,

Eu não teria que parar no tempo para ver voce passar,

Eu não pediria tanto, indiretamente, para me incluir em sua rotina,

Eu seria fraca e não teria tido a coragem de lutar pelo que sinto,

Eu não saberia mais o seu telefone de cor e salteado como sei,

Eu não precisaria de sua mão, estendida, pois não amaria voce.

Eu teria todas as horas e minutos e segundos de todos os dias, livres, sem sequer lembrar de sua existência,

Eu levaria em consideração todas as malvadas combinações de palavras lançadas sobre mim

Eu usaria a força que tenho nao para amá-lo e sim para destruí-lo.

Se EU não amasse ninguem……..

Se EU não amasse voce……

Se……

JA/2008