Arquivos de Tag: juca

Rumorejando (Pelo jeito que o futebol está se caracterizando, quem fizer mais falta é que ganha a partida?, perguntando) – por juca (josé zokner) / curitiba

O terror que matura

I

Oriunda de respeitável progenitura:

A mãe, professora de corte e costura;JUCA - Jzockner pequenissima (1)

O pai, escriturário na magistratura,

Era, ela, uma formosura,

Uma pintura,

Digna de figurar numa gravura,

Ou numa xilogravura,

Daquelas com moldura,

Trabalhada em artística ranhura.

Mediana estatura,

Cabelos pretos, sem tintura,

Dentes, perfeitos, uma alvura;

Sorriso, sem amargura,

Franco, aberto, uma quentura;

A mirada, uma brandura,

Muito límpida, muito pura,

De olhos de jabuticaba, uma pretura;

E um poço de ternura!

Ah! E a cintura!

Parecia duma tanajura…

Educação, nem falar. Que finura!

Dada a não pouca leitura,

De sutil e elevada literatura,

E um dedilhar, sem partitura,

Além de se dedicar à feitura

De origami, de dobradura.

E, no jardim, à floricultura,

Onde, às vezes, ouvia o canto da saracura.

II

Ele, era só feiúra,

Como uma caricatura.

Duma lividez, duma transparente brancura

Num monte de ossatura

Como se filho fosse de alguém de média estatura,

Mas de não muita largura.

E do Cavaleiro da Triste Figura

Àquele que, até com moinhos, mostrou bravura

Não tendo como vestidura

A respectiva armadura.

Além disso, morando numa lonjura.

E, mais, um escrachado caradura

De péssima postura,

Ou melhor, somente impostura:

Noites a fio, jogava, com fundura,

Em busca de fácil fartura;

À mão, um copo daquela bebida de lúpulo, de levedura

E um eterno cigarro, alterando, dos lábios, a comissura.

Receitas, infalíveis, de fazer estrago em qualquer criatura.

Tal proceder, sem dúvida, merecia ampla censura.

Não confundir com àquela do tempo da ditadura,

Quando até se usou a indefectível tortura,

Nos governos da chamada linha dura,

Bem antes do que se convencionou chamar Abertura.

O salário, parco, da Prefeitura,

Dum trabalho que exercia com sinecura,

Na base de quem não se apura,

Obviamente, redundava numa apertura.

As dívidas, não poucas, proveniente de mordedura,

Mesmo que firmadas numa caprichada escritura,

Fatalmente seguiam o destino da pendura

Que postergava, com ensaboadura,

Para uma época futura

E que, da memória, apagava com uma varredura.

De inteligência, não era nenhuma cavalgadura,

Daquelas que só falta a ferradura.

Era capaz de se pôr a falar, com desenvoltura,

Sobre, do quadrado, a curvatura

Ou, da circunferência, a quadratura.

E, se porventura,

Cometia alguma outra loucura

De imitar, de alguém, a assinatura,

Perfeita e sem rasura,

Em cheque, promissória ou fatura,

Fruto de condenável urdidura,

Resultava, se descoberto, nessa amargura

De ter que conseguir um alvará de soltura,

Alegando, ao delegado, tratar-se duma travessura

E no seu ilibado currículo, uma simples arranhadura;

Que não tinha intenção de viver numa cela escura

E que, afinal, toda a sua vida, agira com extrema lisura.

III

Essa atitude devassa, que o estado físico tritura

E o bolso, a conta corrente do banco, perfura,

Para ele, era adrenalina total, uma aventura,

Que foi obrigado de encerrar, uma fissura,

Quando sua saúde se deteriorou e sofreu uma ruptura.

Logo, ele, que nunca tivera um resfriado, ou uma rasgadura

E, muito menos, alguma forma de rendidura,

Parecendo, tudo, praga, maldição ou esconjura,

De nada adiantando os santos invocados em benzedura.

É que numa amorosa tertúlia, sobreveio uma velhice prematura

Àquela que deixa, um, e a parceira, em desventura,

E provoca na alma e no ego profunda machucadura.

Pouco antes, já vinha sentindo, no estômago, uma queimadura,

Somado a um mal-estar, a uma teimosa tontura,

Que o deixava, por um momento, com a vista obscura

E com a possibilidade de cair e sofrer uma fratura.

O médico, amigo desde a infância, adepto da natura,

Pespegou-lhe um susto, numa sincera e repreensiva secura:

“Não se trata de querer que você viva numa clausura.

No entanto, se dessa vida desregrada não abjura;

Se continuar nessa farra, para você uma gostosura;

Não se livrar do vício, dessa imbecil escravatura,

O teu amanhã nem eu nem ninguém te assegura,

Pois você, bem sabe, está cavando a própria sepultura.

Entretanto, preste atenção, você facilmente se cura:

Primeiro, tem que parar de comer fritura

Que absorve rios de gordura;

Não fumar, nem beber, dormir cedo, nada de diabrura;

Tem que consumir muita verdura,

Muita fibra e fruta não ácida, madura;

Nada de doce tipo quindim ou rapadura,

Se não vai ter – já, já – de usar dentadura”.

Os amigos acharam tudo aquilo uma frescura,

E que a prescrição parecia mais uma absurda propositura,

Ponderando que uma vida, assim, nem santo atura.

De início, o reproche, ele classificou de grossura,

Mas, apavorado, ou como dizem os italianos, numa “paúra”,

Resolveu mudar de vida, para uma mais segura.

Indubitavelmente, foi um tento de bela feitura:

Má alimentação, vícios e toda essa nomenclatura

Foi mudada com força de vontade de quem tem envergadura;

Passou a estudar e ler livros de grossa brochura

E a escutar música clássica e popular de fina tessitura,

Já que havia desenvolvido o bom gosto, por aquela altura;

Optou em fazer uma faculdade, uma Licenciatura,

Visando o almejado canudo, numa cerimônia de formatura.

Chegou até a pensar em Engenharia ou Arquitetura,

Sem descartar Agronomia, dado a discorrer sobre agricultura.

Melhorou o visual, que a gente, a si mesmo, augura:

Cabelo e barba aparados, dois banhos diários, total limpadura;

Entrou numa academia de ginástica para fazer musculatura

Com a intenção de ganhar peso, conforme, por aí, se assegura

E ficar com o tórax como os lutadores na era da gladiatura;

Passou a freqüentar ambientes de pessoas de boa catadura,

Onde o gosto apurado, aliado à boa educação, sempre fulgura;

A usar ternos com tecidos de excelente textura

E gravata, com grife, em camisa de abotoadura;

Pagou os credores, que não desgrudavam como atadura,

E, mais adiante, comprou, do ano, uma possante viatura,

Bem espaçosa, “nada de apertos, nada de miniatura”.

Também, numa pechincha, um apartamento, não de cobertura,

Mas tendo sacada com churrasqueira, para grelhados e assadura.

E suíte com hidromassagem, portaria e tetra-chave na fechadura,

Em imóvel localizado num terreno ajardinado, numa planura.

O pagamento: uma entrada, mais 20 anos, com juros da Lei da Usura,

Aproveitando um desconto graças a famosa Lei da Oferta e da Procura,

Àquela, que político promete revogar ao defender sua candidatura.

Decorou, tudo, com móveis em cedro, com caprichada entalhadura

E tapetes, feitos à mão, de razoável espessura.

IV

Nessa história, em condições normais de pressão e temperatura,

Deveria haver, com a jovem do início, alguma relação ou ligadura.

Mas, não. Ela só foi aqui lembrada por sua beleza, sua candura.

Seu sorriso, seu olhar, sua sensibilidade, sua doçura.

Bem! Cada um seguiu o seu destino, sem se cruzar, sem mistura,

Embora, o mesmo juiz de paz ter efetuado a legal lavratura.

E que passaram, em épocas distintas, a lua-de-mel em Cascadura,

Onde, anos após, retornariam para passar alguns dias em vilegiatura.

Ele, redimido, havia encontrado uma companheira, uma lhanura,

Gentilíssima, amável, cortês, sem um pingo de desmesura.

E ela, um companheiro, muito sério, trabalhador, uma polidura,

Um estudioso aplicado, um autodidata em matéria de cultura.

Obviamente, de todos as partes envolvidas, de amor eterno, muita jura,

Que, nesses casos, quase sempre, ao pé de ouvido se murmura

E, com ardor, se realizam num colóquio de extrema fervura.

Hoje, vivem felizes, com filhos, produto duma fértil semeadura

Numa paixão que, mesmo com a crise econômica, ainda perdura.

Rumorejando (Como muitos,com a vitória do Rio de Janeiro vibrando, mas com os super-faturamentos se preocupando…) – por juca (josé zokner) / curitiba

JUCA - Jzockner pequenissima (1)

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Ficou

Arrebatado

De alegria

Parecia

Estar

Num mar

De rosas.

Havia

Acertado

Numa milhar

E passou

A ganhar

A atenção

Das formosas

Atendentes

Do balcão

Que antes sequer

Nele notavam

Nem mostravam

Os dentes.

Vá alguém

Procurar

Entender,

Compreender

O desdém

De uma mulher.

Constatação II [Chuvas no Paraná e nos demais estados do sul do Brasil (I)]

No céu cinzento,

Kafkiano,

O curitibano,

Sentiu-se bolorento,

Fossético,

Patético,

Amuado,

Torvado,

Perturbado.

Coitado!

Constatação III [Chuvas no Paraná e nos demais estados do sul do Brasil (II)].

Um sol atrevido,

Que já havia desaparecido

Despontou

Entre nuvens carregadas

De imagens

Como desenhadas.

Soprou um vento,

Naquele momento

Trazendo

Frescas aragens

Tal deixou

Ele, um quatrolho*,

De humor horrendo,

Com o sobrolho,

Antes carregado,

Desanuviado.

Descoitado!

* De sobrancelhas brancas (Houaiss).

Constatação IV [Chuvas no Paraná e nos demais estados do sul do Brasil (III)].

Ela fez uma desfeita.

Não compareceu

Ao encontro marcado,

O que levantou nele,

Um apaixonado romeu,

Uma incômoda suspeita

De que estava sendo corneado.

Tinha ficado

Debaixo de um aguaceiro

E logo quando ele

Ia pedir a ela algum dinheiro.

Coitado!

Constatação V

Uma imagem vale mil palavras. Se for das sogras vale mil palavras, relacionadas com medo, susto e sobressaltos.

Constatação VI (De uma dúvida crucial).

O Michael Jordan viria a ser o Pelé do basquete e/ou o Pelé ante viria a ser o Michael Jordan do futebol?

Constatação VII (“Poesia” meio forçada).

Foi o clarinete

Que disse pro fagote

Que o oboé

Ao andar de trotinete*

Escorregou ao dar 

E deu um trompaço na trompa,

Que até pareceu abraço de tamanduá,

Quando retornava de ,

Das bodas de fígaro, com pompa,

Mas sem circunstância

Já que não houvera dote

E se fora um casamento

De muita retumbância.

Aí,

Num certo momento,

O noivo descuidado,

Talvez ofuscado

Pelo sol,

Meio fora de si

Tropeçou num fami…gerado

Penetra que não tinha sido convidado,

Já que os convivas só

Era gente de escol

E se machucou de dar .

Coitado!

*Trotinete = patinete (Houaiss).

Constatação VIII

Rico alcança uma idade avançada; pobre, fica um caco.

Constatação IX

Rico cria mitos; pobre, é macaca de auditório.

Constatação X

Chamou o idoso, seu tetraneto, de fedelho.

E passou a lhe dar um sermão, além de conselho.

Era sua tataravó que sempre armava uma querela

Quando ele disse que ia pela nona vez se casar com uma donzela.

Constatação XI

Rico é impetuoso; pobre, vagaroso.

Constatação XII (Via pseudo-haicai).

Seu verso-de-seis-pés*

Ninguém se dispôs a ler

De lés-a-lés**.

*Sextilha (Aurelião).

**De um lado a outro (Aurelião)

Constatação XIII

Rico fica indignado; pobre p. da vida.

Constatação XIV

O jogador paranaense Alex, que foi revelado na equipe de base do Coritiba merecia estar no livro Guiness de recordes por ter sido o único jogador que fez dois gols olímpicos numa mesma partida. O goleiro que levou tais gols também…

Constatação XV

E já que falamos em futebol, vale lembrar e/ou assinalar que o meu time, o Paraná, não tem necessidade de estar mudando frequentemente de técnico. O Paraná precisa, apenas, mudar a Diretoria, os jogadores da defesa, do meio de campo e do ataque. Elementar…

Constatação XVI (“Poesia” quase trágica).

Traição em dobro

Saiu correndo pela rua em trajes de Adão,

Mostrando, entre outros, seu tralalá.

O guarda lhe deu voz de prisão:

“Vosmecê vai tê que me “acompanhá”

O Delegado perguntou a razão

De ele estar andando desnudo.

Ele não quis dar explicação

Daí, ficou todo o tempo mudo.

“Você vai ficar no xilindró

Até que eu telefone pra sua consorte”.

Apavorado, ele falou: “Por favor, tenha dó.

Não faça isso. Se não, será minha morte”.

“Não entendo porque tanto temor

Que mal que ela poderá te fazer?”

“É que eu estava com outro amor

Aí, o marido chegou e eu tive que correr”.

Constatação XVII

Rico sofre de oclofobia*; pobre, almeja a oclocracia**.

*Oclofobia = “medo mórbido da multidão, da plebe” (Houaiss).

**Oclocracia = “exercício do poder ou do governo pela multidão, pela plebe” (Houaiss).

Constatação XVIII

Quem anda no fio da navalha

Não pode nem deve ter uma escorregadela

Porque lhe pode sair caro essa falha

Pois poderá machucar a bun, digo, a costela.

RUMOREJANDO (27/09/09) por juca (JOSÉ ZOKNER) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Rico ganha abastança*; pobre, perde a esperança.

*Abastança =  substantivo feminino

1 provimento satisfatório ou suficiente

2 excesso de provimentos e haveres; abundância, riqueza.

3 vida segura, confortável, sem privações ou problemas de subsistência (Houaiss).

Constatação II

Um otimista sempre vai achar que o Paraná volta para a Primeirona do Brasileirão; o pessimista, que ele cai para a Terceirona; o realista que ele deverá continuar na Segundona. Esta, parece ser a  mais provável. Triste sina…

Constatação III

Não se pode confundir provisão com profissão, muito embora muitos políticos fazem de seus cargos uma profissão, recorrendo a alguma provisão de numerário, não necessariamente honesta, independentemente de seus estratosféricos salários.

Constatação IV

Não se pode confundir colunável (Quem aparece nas colunas sociais [e/ou policiais]) com colimável (passível de se ter em vista; pretenso), até porque nem sempre é possível obter o objeto, pessoa ou coisa que se deseja por meios lícitos ou não com o fito de passar a ser colunável. A recíproca é como é e tá acabado. Tenho democraticamente dito!

Constatação V

Parcos pode ser substantivo ou adjetivo; porcos, também. Mas nem por isso deve-se confundir uns com os outros.

Constatação VI

Eu achei o pedido da ministra incabível”, disse a ex-secretária da Receita Federal Dilma Vieira se referindo a Ministra Dilma Roussef. Taí mais uma expressão sendo inaugurada em depoimento. E a sua utilização, embora soe estranha, está correta. Igualmente como foi a de um outro ministro que usou o “imexível”. A utilização de ambas é infrequente (epa…).

Constatação VII

Esse pessoal do PT que votou a favor do Sarney agora tenta justificar o voto (“Obedeci ordens porque sou homem do partido”), para estar bem com todos. Os nazistas também, segundo eles, obedeciam a ordens. Tá na hora desse pessoal do PT se dar conta de quem bate o córner não consegue também cabecear. A falta de caráter virou pandemia…

Constatação VIII

Disse a mulher na praia para o marido: “Pare de olhar para essas meninas todas”.

Disse o marido: “Não sou eu que estou olhando pra elas. São elas que estão olhando pra mim. Como você já deve ter se dado conta, no meu caso específico, charme não se compra em farmácia”.

Contestou a mulher: “Mas xarope tem de todas as marcas”.

Constatação IX

Uma livraria cá de Curitiba colocou junto a sua placa indicativa uma máxima, atribuindo sua autoria ao grande escritor gaúcho Mário Quintana: “Livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas; os livros mudam as pessoas”. A autoria da frase é contestada. Segundo os entendidos ela foi proferida pelo romano do século II a.C. Caio Graco. Rumorejando gostaria de receber informações dos seus leitores a respeito. Obrigado.

Constatação X

Travado

Pelo zagueiro,

De gol com gana e sede,

O artilheiro

Chutou-o e também a bola.

Esta, quicou

Como se tivesse cola

E ficou

Ali ao lado.

O coitado do zagueiro,

Ao ser chutado,

Voou

Raspando o travessão.

Acabou

Estatelado

Na rede

Onde se emaranhou

Na maior contusão.

Coitado!

Constatação XI

Nada de ladainha!

A credibilidade

Da Situação

E da Oposição

Tá um caco.

Na realidade,

Eles sempre foram farinha

Do mesmo saco.

Constatação XII

Se o Homem foi criado à semelhança de Deus, como se propaga por aí, a Sua imagem como é que fica?

Constatação XIII

Rico dispõe de tudo; pobre, eventualmente do entrudo.

Constatação XIV

Deu na mídia: “Presidente da Inguchétia retorna dois meses após atentado”. E Rumorejando que achava que seus conhecimentos de gografia estavam em dia. Inguchétia?

Constatação XV

E como dizia o obcecado para a solteirona convicta, parodiando o antigo partido União Democrática Nacional – UDN (“O preço da liberdade é a eterna vigilância”): “O preço da ignorância é a eterna vigilância. E o preço da vigilância é a eterna ignorância”.

Constatação XVI

E já que falamos no assunto da incompreendia liberdade, o livro Poemas para a Liberdade, do escritor Manoel Andrade, catarinense radicado em Curitiba, publicado em vários países da América do Sul, saiu em português, pela editora Escrituras de São Paulo, numa edição bilíngue. Leitura obrigatória , como diriam os críticos.

RUMOREJANDO (20/09/09) por juca (josé zokner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Não se pode confundir Maradona com maratona, até porque vai ser uma maratona, Maradona armar um time JUCA - Jzockner pequenissima (1)para enfrentar o Brasil e os demais para se classificar para o mundial.

Constatação II

A execrável censura contra o Estadão lembra a fábula de Esopo (Phaedrus) O lobo e o cordeiro, ou o indefectível “O senhor sabe com quem está falando” e coisas desse jaez. Pena!

Constatação III

“Na gafieira,

Segue o baile calmamente”,

Diz a canção.

No Senado,

Por todo o lado,

Só se ouviu, recentemente,

Uma profusão de besteira

Entremeada de palavrão.

Constatação IV (De velhos tempos quando a gente costumava abotoar o cabelo atrás e deixar um topete como o Elvis Presley e mais tarde como um presidente da República do nosso país).

O barco descia

Na corredeira

Do rio Iguaçu.

Dava tanto solavanco

Que a gente se sacudia

No banco

E tanto molhava

A cabeleira,

Da água que espirrava,

Que até não adiantaria

O uso de “glostora” e xampu.

Constatação V

Deu na mídia: “Casa Branca prevê déficit de US$ 9,05 trilhões em 10 anos”. Este assim chamado escriba que trabalhou boa parte da sua vida – que nem por isso deixará de ser eternamente curta – no Banco de Desenvolvimento do Paraná S.A. – Badep, antiga Codepar, acostumado a ouvir falar de repasses, investimentos e financiamentos de expressivas cifras, confessa que não sabe contar até lá. Mas que é um baita* número, isso lá deve ser.

*Usamos a expressão “baita” porque somos educados como é sobejamente reconhecido por nossos prezados leitores.

Constatação VI (Pseudo-soneto da série Ah, o amor…)

Lábios nem sempre carnudos

Também são feitos para beijar

Os casais, nessa hora, ficam mudos

Efetivamente não vale a pena falar.

Beijo na bochecha ou selinho

É tênue e rápido demais

Dá impressão de não haver carinho

Entre os desvelados casais.

Beijo que é recomendável

E premonição de algo notável

É o que tira a respiração.

Se for de língua melhor ainda

Nessa benfazeja hora infinda

Que não enseja anúncio de solidão…

Constatação VII

Não se pode confundir sanefa, que o dicionário Houaiss, entre outros, dá comolarga tira de tecido que se coloca na parte superior da cortina ou reposteiro, nas vergas das janelas etc., geralmente rematada com franja ou galão” com safena, a veia que se usa para substituir por alguma outra que esteja entupida, para se fazer uma ponte, “by-pass”, etc. Até porque uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, como já foi propalado por aí.

Constatação VIII

E também não se pode confundir loquacidade com louca cidade, até porque a loquacidade dos prefeitos, visando melhorar o tráfego nunca é posto em marcha e transitar ou atravessar as ruas fica difícil, pois se tem a impressão que se vive numa louca cidade.

Constatação IX

E ainda não se pode confundir libertinagem, que o dicionário Houaiss dá como “licenciosidade de costume, conduta de pessoa que se entrega imoderadamente a prazeres sexuais; a prática do libertino” com libidinagem, que o mesmo dicionário, dentre outros, define como “qualidade, condição ou comportamento próprio do que ou de quem é voluptuoso, lascivo, sensual”, até porque o referido dicionário ainda define libertinagem, no sentido figurado, como “insubmissão, indisciplina”. Elementar, crianças!

Constatação X

Disse o obcecado para o amigo, mostrando uma foto da playboy duma “poupança” de uma gatona: -“preferência multinacional”. Respondeu o amigo: -“Por que multinacional se a turma define como nacional?” –“Porque eu sempre procuro ser original. E, além disso, depois da globalização, ainda existe empresa nacional no nosso país?”

Constatação XI

“Desprazerosa

A tua companhia”,

Disse a sogra pro genro

Nada amorosa.

Numa cantilena

Sem melodia,

Fazendo cena.

”Você não é tenro

Com a tua mulher

Trata, a pobre,

Como uma qualquer.

Não trata como o finado

Me tratava

Como se eu fosse nobre.

O tempo todo ele me paparicava.

Você não dá a ela atenção.

Só fica vendo televisão,

Ou fica no computador.

E as tuas juras de amor?

Seu vento virado*.

Coitado!

*Vento-virado = “prisão de ventre, constipação” (Houaiss).

Constatação XII

Rico, quando fala, usa estrangeirismo; pobre, caipirismo.

Rumorejando (Com a vitória de Rubinho Barrichello vibrando. Só por ele. Tal esporte continuo não apreciando. Esporte?) por juca (josé zokner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

O livro do meu grande amigo Valdir Izidoro Silveira, Escritos de Resistência – Quatro Décadas de Reflexão é leitura obrigatória para quem quer tomar conhecimento de nossa história e da luta do escritor em defesa das injustiças sociais. Rumorejandorespeitosamente recomenda.JUCA - Jzockner pequenissima (1)

Constatação II (De uma dúvida crucial).

Se a fórmula química da água é H2O, a fórmula do fogo é 1/H2O (Um sobre H2O) ?

Constatação III (De outra dúvida crucial).

A Progressão Aritmética decrescente é parente da Ordem e Progresso que consta na nossa bandeira, como os positivistas apregoaram?

Constatação IV

E a Progressão Geométrica é comadre da euclideana, analítica e da espacial?

Constatação V

A Pílula de Vida do Dr. Ross morreu?

Constatação VI

O médico mandou

Ela fazer uma dieta,

Mas ela se revoltou.

Ao invés de obedecer

Desbragadamente passou

A comer

O triplo da meta

Recomendada.

Finou.

Coitada!

Constatação VII (Quadrinha para ser recitada pelas mamães).

Vai dormir menino sapeca

Amanhã tem que ir à escola

E no recreio jogar bola

Pra não ser um Juca, digo, Jeca.

Constatação VIII

Não se pode confundir açulou que o dicionário Houaiss dá como 1 incitar (cão) para que morda, ataque ou se porte agressivamente (contra).

transitivo direto e bitransitivo

2 Derivação: por extensão de sentido.

provocar em (alguém) irritação, agastamento (contra); enfurecer, exasperar

Ex.: <ruídos muito agudos o açulam> <a. a torcida contra o time adversário> com azulou, que o mesmo dicionário diz, dentre outros3 Regionalismo: Brasil. Uso: informal.

pôr-se em fuga, retirar-se em debandada; fugir, escapar, até porque se um cão, açulado ou não vier em sua direção com ares indistintos e, se der no jeito, a melhor coisa é azular.

Constatação IX

“A tua prima escorregou

Quando me encontrou

E na bochecha me beijou”,

O marido explicou

Quando a mulher encontrou

Baton na sua gravata.

“Deixe-se de lorota!

Prefiro que você me conte

Alguma bravata.

Afinal, é inesgotável tua fonte

E a marca da bochecha não se nota.

Seu mentiroso,

Metido a talentoso

Seu descarado,

Seu safado!”

“Se eu não a tivesse segurado,

Ela teria se esborrachado

Na calçada”.

Coitada!*

Coitado!

*Não ficou devidamente esclarecido à qual das duas se refere o termo “coitada”. Tão logo Rumorejando tome conhecimento dará ciência aos seu prezados leitores.

Constatação X

O septuagenário não conseguia entender porque os atendentes esboçavam um sorriso – quando não, um riso – e iam falar com o gerente, pedindo esclarecimentos, quando ele estacionava no posto de gasolina e pedia: “Me encha o tanque com um hectolitro de gasolina comum”; quando no armazém pedia um decagrama de queijo e mais ou menos um decímetro de salame e um galão de manteiga. E, na casa de tecidos, 100 polegadas de determinado tecido. Coitado!

Constatação XI (Pseudo-soneto, da série Ah, o amor…).

Ternura

Olhos nos olhos e de mão dadas

O casal idoso senta na praça.

Será que ele diz piadas?

Ela ri. De alguma graça?

Súbito, ficam sérios

Se beijam como antigamente

Afinal, não há mistérios

Em se beijar de modo ardente.

Agora, ela apóia a cabeça no seu ombro.

E ele beija os seus brancos cabelos

Para quem passa, nenhum assombro.

Os vizinhos já estão habituados

Com essa sucessão de doces desvelos

Só os de fora ficam com olhos arregalados.

Constatação XII

Com a absolvição do ex-ministro e atual deputado federal Antonio Palocci pelo Supremo Tribunal Federal, deu na mídia: O ex-presidente da Caixa Econômica Federal Jorge Mattoso será o único a responder a ação penal por suspeita de participação na quebra do sigilo bancário e na divulgação dos dados do caseiro Francenildo dos Santos Costa”. Data vênia, como diriam nossos juristas, masRumorejando acha que o ex-presidente da Caixa quis fazer média, na época, com o então ministro Antonio Palocci. Ver a constatação seguinte.

Constatação XIII

Não se pode confundir costura com postura, até porque quando o garotão costura no trânsito, porque tem pressa em não ter nada a fazer, pondo em risco a sua vida e de outros, e porque assistiu a vitória do Rubinho na Fórmula I, está tendo uma postura digna de ser enquadrado como qualquer simples mortal, obviamente exceto deputados, senadores, ministros, juízes e desembargadores de um país de alhures.

RUMOREJANDO -PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES. por juca ( josé zokner) / curitiba


Constatação I

Não se pode confundir acata com ataca, até porque quem acata quem te ataca quer dizer que você é um bunda-mole que o dicionário Houaiss define como:

1 Regionalismo: Brasil. Uso: informal, pejorativo.

Pessoa fraca, covarde; pusilânime.

Ex.: agora vamos ver quem é homem e quem é b.JUCA - Jzockner pequenissima (1)

2 Regionalismo: Brasil. Uso: informal, pejorativo.

Pessoa pouco ativa, desanimada.

Nota de Rumorejando: Os deputados e senadores são pessoas de muita atividade. Lamentavelmente, em seu próprio benefício…

Constatação II

Deu na mídia: “O Banco católico Pax Bank pediu desculpas por investir em armas, cigarros e pílulas anticoncepcionais”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejando acha que banqueiro é banqueiro, sem distinção de raça, cor ou religião. Aliás, a religião do banqueiro é o dinheiro. E, em certos países, sempre visando lucros estratosféricos e, consequentemente, pornográficos… Não é à-toa que o irlandês George Bernard Shaw disse que “o pecado do ladrão é a virtude do banqueiro”.

Constatação III (e já que falamos no assunto…)

Ela era toda circunspeta

Inclusive sua bunda,

Pouco rotunda,

Que tava mais para atleta.

A dita, nunca mostrava os dentes

Foi a única que conheci assim

As demais, sempre sorridentes,

Como costumam ser

As bundas femininas,

Pela manhã, à tarde e ao anoitecer.

Sejam de meia-idade,

Da longínqua mocidade

Ou de meninas;

Sejam brancas, morenas ou carmesim.

Será que, além dos glúteos, os músculos,

Das bundas que abrigam algum biquíni,

Grandes ou minúsculos,

Possuem também o músculo Risório de Santorini*?

*que ou o que se localiza na proximidade dos lábios (diz-se de pequeno músculo).  (Houaiss). Músculo do riso.

Constatação IV (Pseudo-soneto da série Ah, o Amor…)

Meus sensíveis pontos erógenos

Ela, irritada, me ponderou,

São os que mexem com meus estrógenos

E você mais uma vez se enganou.

Você foi muito pro lado e acima

E, como sempre, muito depressa.

Você só pensa na tua superestima,

Você ainda não aprendeu, ora essa!

Me diga, então, os pontos exatos

To cansado de ouvir teus desacatos.

Preciso reaprender com exatidão.

Meu nariz, meu pulso e meu cotovelo;

Meus cílios, minhas unhas e meu tornozelo,

As bochechas, o cabelo e o metatarso do dedão.

Constatação V (De diálogos matrimoniais intelectualizados).

Sugeriu à mulher

Um “ménage à trois”.

Ela, como quem nada quer,

Esnobou no francês:

-“Ce serait bon, tu crois?

Você vai convidar

Teu amigo javanês?”

-“Não. Queria que você convidasse

A mulher dele”.

-“Aí, vamos ficar

Num baita impasse.

A javanesa,

Que, reconheço, é uma beleza,

Apenas topa ir com ele.

No ménage que eu participei

Com os dois

Eu só fiquei

No feijão com arroz”*

*Não ficou claro o que ela quis dizer com o “feijão com arroz”. Quem souber, por favor, cartas a este assim chamado escriba, pelo correio eletrônico, para podermos esclarecer aos nossos prezados leitores. Obrigado.

Constatação VI

Não se pode confundir prensado com repensado, mormente no caso da crise do Senado brasileiro, até porque, cada vez que o presidente do Senado é prensado por atos que cometeu e/ou tinha conhecimento sem tomar providencias e a Oposição tenta afasta-lo entram variáveis do tipo “eles também têm o rabo preso” e o caso passa a ser, incontinentemente, repensado

Constatação VII

Pintou e bordou:

Pintou o sete;

Bordou no corpete

A foice e o martelo.

O marido de Direita

Pôs-se amarelo.

Broxou.

Cortou, logo, o elo

E com ela não mais se deita.

E com cara amarrada

Falou muito zangado:

“Quem assim se enfeita,

Por si só se enjeita”.

Coitada!

Coitado!

Constatação VIII

Incorrigível,

O Senado doente

Acertou os ponteiros

Que o seu presidente,

Ainda por muitos janeiros,

À semelhança de anos inteiros,

Parece ser irremovível.

Constatação IX

O coringa ensejou

Que ele batesse

No jogo de canastra.

Aí, ela a roupa tirou,

Conforme combinado

De quem perdesse.

Ela, de tão magra,

Parecia uma pilastra.

Eis que o pai entra na sala

E os dois flagra.

Brande sua bengala.

Em sua direção.

“Seu safado!”

Ele nem se despede,

Se escafede

E na escuridão

Do jardim

Cai numa vala.

E rasga sua túnica

E sua única

Calça de brim.

Coitado!

Constatação X

Rico sempre seus ganhos dobra; pobre, soçobra.

RUMOREJANDO – PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES (16.08.09) por juca (josé zokner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

A torcida do Paraná contra o Bragantino chegou a gritar olé. É. Quem nunca come melado, quando come chega até a esquecer que pode se lambuzar na próxima. Mas, afinal. A gente estava acostumado a apenas levar e não dar olé…

Constatação II (E já que falamos no assunto, vamos externar nossa modesta e abalizada opinião):

A possibilidade do Paraná ser campeão

E ascender pra Primeira Divisão

É inversamente proporcional

A eu encontrar um adversário local,

Nacional ou mundial

Que me ganhe no truco.

Mesmo me deixando maluco.

Enfim, um cara bom…

Constatação III

Deu na mídia: O senador Artur Virgílio, que protocolou ações contra o presidente do Senado José Sarney, admitiu que manteve em seu gabinete um funcionário que estudava na Espanha. O líder do PSDB negociou com a diretoria do Senado o ressarcimento do dinheiro pago, R$ 210 mil em quatro parcelas”.

Moral I: Quem tem telhado de vidro não joga pedra no telhado do vizinho.

Moral II: Em certos países os desonestos são sempre os outros.

Moral III: Aparentemente, os dois não estavam do mesmo lado. A nossa relativa suposta sorte é que eles estavam se degladiando entre eles. Até a hora que sobreveio a tradicional e não surpreendente pizzada: “Eu não mexo com V. Excia.. E V Excia. não mexe comigo”. E viva “nóis” que não somos V. Excias…

Constatação IV (Classe é classe…)

Deu na mídia: “SÃO PAULO – O senador Fernando Collor de Melo (PTB-AL), disse em discurso em plenário dia 10 de agosto estar “obrando” na cabeça do jornalista Roberto Pompeu de Toledo, da revista Veja”. Data vênia, como diriam nossos juristas, masRumorejando supõe que na bacia sanitária seria bem mais cômodo e confortável.

Constatação V (Quadrinha para ser recitada em algum Fórum Mundial, daqueles que não levam absolutamente a nada).

Se eu fosse o presidente

Da República do Burundi

Eu viveria por lá, somente

E não viveria por aqui.

Constatação VI (Dúvida crucial via pseudo-haicai).

Na chuva, foi o amigo Bertoldo

Que, ao invés de guarda-chuva,

Usava um baita de um toldo?

Constatação VII (De outra dúvida crucial via pseudo-haicai).

Inspiro gás carbônico

Sobrevivo assim mesmo.

Será que sou biônico?

Constatação VIII (Quadrinha de cinco estrofes [pentinha?] para ser recitada no Senado ou na Câmara dos Deputados).

Conversa vai, conversa vem

Sempre haverá alguém

Que jamais, na vida, fará um bem.

E, qual um líquido, outro alguém

Tomará a forma do vaso que o contém…

Constatação IX (E já que falamos no assunto…)

Falta pros simples mortais perspicácia

Em se dar conta  que a democracia,

Apregoada por esses políticos, é uma falácia?

Constatação X (Pseudo-soneto da série Ah, o Amor…)

Chegamos no motel rotundo

Fechamos a porta do apartamento

E ficamos separados do mundo.

Nos olhando por um momento.

Trocamos beijos e abraços

No estilo “finalmente sós”.

Não foram pouco escassos.

As línguas, só faltavam dar nós.

As peças de roupa voavam

Quais corruíras no firmamento

E o teu corpo desnudavam

Você disse: “Vou tomar um banho

E volto em um momento”.

Tardou. Te segui. Visões de antanho.

Constatação XI (Com os agradecimentos ao professor de Educação Física, Personal training e Fisioterapeuta João Paulo de Andrade Alarcão).

Rico tem escápula; pobre paleta.

Rico tem gastrocnêmio; pobre, batata da perna.

Rico tem patela; pobre, rótula.

Constatação XII

O empate do Campinense um minuto após o gol do Paraná aos 46 minutos do segundo tempo lembra “mutatis mutandis” que o pão de pobre sempre cai com a manteiga voltada para o chão. E que alegria de pobre dura pouco…

Constatação XIII

Foi a mosquita

Que disse pro mosquito:

“Você andou chupando pirulito

Ou alguém que tomou birita?”

Constatação XIV

Foi a tigresa

Que disse pro tigre:

“Mas que beleza

Chegando essa hora!

Vá embora!

Emigre!

Você tá atrasado!

Seu desmiolado!”

Coitado!

Constatação XV

Não que a gente seja contra. Ao contrário. Mas a facilidade com que certas mulheres mostram os seios também pode ser explicado pelo fato delas acharem que estão mostrando algo que não lhes pertencem. Eles não são os seus seios originais. Eles foram siliconados. Elementar…

Constatação XVI

Escritor rico é vocabularista; pobre, sensacionalista.

.

FREIRAS - DE MARTA FERREIRA

a mesa diretora do senado federal em pose especial para o domingo de sol.

foto de marta ferreira.

ilustração do site.

COLUNA DO JUCA – Rumorejando (Triste ver o presidente da República com relação a crise do Senado, palpitando)(09/08/09) – por josé zokner / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Deu na mídia: “PMDB retaliará Virgílio com até quatro representações”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejandoacha que a gente sobrevive porque eles guerreiam politicamente entre si, ainda que oJUCA - Jzockner pequenissima (1)corporativismo seja muito forte. Afinal, ninguém é de ferro para se opor aos projetos que beneficiam a todos eles. Se houvesse só aliados entre eles, nós estaríamos todos ferrados*…

*Usamos a palavra “ferrados” porque somos educados.

Constatação II

Este assim chamado escriba se pôs a assistir o jogo Fluminense e Atlético pela televisão. As duas emissoras de televisão que transmitem o futebol estavam transmitindo esse jogo. Não havia, portanto outra opção. O jogo foi tão ruim que este assim chamado escriba pagou pecados que ainda não cometeu. Ficou credor de cometer pecados. Com o meu Paraná não tem sido diferente. Pena!

Constatação III (Pseudo-soneto da série Ah, o Amor…).

Você e insaciável

Mas eu já não agüento

A tua sede notável

Nem mais um momento.

Você esquece

Que sou septuagenário

E não arrefece

Muito ao contrario.

Como não tá morto

Quem peleia

Supero o, digamos, desconforto.

Patino, mas não esmoreço,

Vou comer mais aveia.

Caso contrário desfaleço…

Constatação IV

20 assuntos de agrado deste assim chamado escriba:

-O humor de Tutty Vasques no Estadão;

-O programa Certa Vez do amigo Beto Guiz que é levado na Rádio Educativa;

-O desempenho dos atores brasileiros;

-Publicidade inteligente. Exemplo: a das sandálias Havaianas;

-Um jogo de truco com parceiros de nível;

-Mulher não turbinada;

-Livro de prosa ou poesia que seja entendível por um simples mortal;

-A Estrada da Graciosa ou por trem para Antonina, Morretes e Paranaguá;

-As diversas regiões do estado do Paraná; os pontos turísticos, mormente Vila Velha e               Foz do Iguaçu;

-A emoção de ver os atletas, times ou a seleção do Brasil ganhar e a bandeira brasileira sendo hasteada enquanto o hino brasileiro é tocado;

-Escutar música clássica, o Quinteto e Orquestra Armorial; Chorinhos, Elomar, Noel Rosa, os uruguaios Daniel Viglietti e Alfredo Zitarrosa, o argentino José Larralde, os tangos clássicos, a música gauchesca, os discos produzidos por Marcus Pereira, etc.

-Cinema brasileiro e dos hermanos;

-Torcer pro Paraná;

-Os gols da rodada (assistir um jogo inteiro é muita perda de tempo porque jogos bem disputados são muito raros);

-Ler os gurus Millôr Fernandes, Mário Quintana, Mario Benedetti;

-Rodar pião;

-Assistir o balê do grupo Corpo;

-Sentir a mão dos netos segurando a nossa mão;

-As reações das minhas cachorras com suas diversas personalidades;

-Chimarrão.

Constatação V

Deu na mídia: O Bradesco informou que encerrou o segundo trimestre com lucro líquido de R$ 2,297 bilhões, o que representa um crescimento de 14,7% em relação ao apurado em igual período de 2008”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas será que não tá na hora de socializar estes lucros bancários para deixar de serem pornográficos e mais pessoas usufruírem? Cartas. Obrigado.

Constatação VI

Não se pode confundir despontar com desapontar, até porque você vai se desapontar quando uma pessoa desagradável despontarna esquina para te visitar. Da sogra, nem falar…

Constatação VII (Quadrinha para ser recitada pelo presidente do Senado).

O Senado não está desmoralizado.

É tudo intriga da Oposição.

Alguém não é bem comportado

Mas isso representa uma exceção.

Constatação VIII (Quadrinha para ser recitada pelo presidente da Câmara dos Deputados).

Deixaram a gente em paz

Os olhos tão voltados pro Senado

Afinal a gente é eficaz

E, de há muito, já está tarimbado.

Constatação IX (Quadrinha para ser recitada pelos eleitores).

Somos obrigados a votar

Se não paga-se uma multa

E mesmo se novos forem pro lugar

Absolutamente em nada resulta.

Constatação X (Quadrinha para ser recitada por quem já é septuagenário).

Não sou mais obrigado a votar

Assim não preciso anular os meus votos

Meu tempo fora não posso jogar

Que já perdi em tempos remotos.

Constatação XI’(Quadrinha para ser recitada pela mulher do candidato eleito).

Agora, vou poder comprar na Daslu,

Que sempre foi o meu desiderato.

Chega de se vestir como jacu

Como antes dele assumir o mandato.

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES. (02/08/09) por juca (josé zokner) / curitiba


Constatação I

Não se pode confundir inveterado que o dicionário Houaiss dá como: “que contém arraigado em si, por obra do tempo, determinada maneira de ser, determinado hábito (diz-se de pessoa)” com invertebrado que o mesmoJUCA - Jzockner pequenissima (1)dicionário assinala como “desprovido de coluna vertebral”, até porque quem é, por exemplo, um inveterado bajulador (rico é bajulador; pobre, puxa-saco) é um invertebrado, maria-vai-com-as-outras e outros epítetos desse jaez.

Constatação II

O que tem de time no Brasileirão e na Segundona surrando a bola não está escrito em lugar algum. Coitada!

Constatação III

Quando o Sr. Pedro Malan proferiu que o salário mínimo dava pra uma família e ainda sobrava será que ele e a sua – dele – família viviam assim?

Constatação IV (De um pseudo-soneto da série Ah, o amor…).

Pensar que algum dia

Você me disse vários não

Agora virou uma alegria

Você se deu conta o quanto é bom.

Até no meio da noite você me aborda

Me dizendo: Bem, façamos uma conjunção

Para certas coisas a gente sempre acorda.

E eu acedo com entusiasmo e emoção.

Você se contorce de prazer

Com a perspectiva do que vai acontecer.

Quando percorro teu corpo nu

Rola entre nós um forte ardor

E nos teus olhos brilha um fulgor.

Trejeitos de danças; jamais o lundu*

*Dança de par separado de origem africana, ainda que de grande sensualidade. (Houaiss).

Constatação V

Chamaram o septuagenário

De boa carcaça

Ele considerou isso uma pirraça;

De mau-gosto, uma chalaça:

“Sinto-me um bi-centenário,

Caquético e alquebrado”.

Coitado!

Constatação VI

Foi o contorcionista do circo que chegou tarde em casa e se pôs a fazer contorcionismo verbal com a patroa que lhe deu, em resposta, uma camaçada de pau. Coitado!

Constatação VII (Dúvida crucial via pseudo-haicai).

Anjo

Toca lá no céu

Lira ou banjo?

Constatação VIII

Resoluto

Quis votar

Num parlamentar

Que seja impoluto.

Depois de muito procurar

Cheguei a terrível decisão

Que não dá mais

E, é bem provável,

Que não dará jamais.

Triste e lamentável

Conclusão…

Constatação IX

Ele reconheceu

A assinatura

No notário.

Nela havia escrito,

Segundo ele, com ternura,

Com muito amor,

Tudo rimado,

Pedindo à namorada

Dinheiro emprestado.

Ela respondeu

Também com firma reconhecida:

“Você é um caradura,

Um salafrário.

Na tua carta está dito

Que eu sou tua querida

Que eu sou uma flor*.

Você tá com nada.

Você é um charlatão,

Um aproveitador,

Um desregrado.

Com essa demonstração

Falsa de carinho.

Vá catar coquinho”.

Coitada!

Coitado!

Coitado?

*Este cara, além de ser um mau-caráter ainda é do tempo que rima amor com flor. Nota zero pra ele.

Constatação X

Deu na mídia: “Bolsa-Família: Lula diz que governo tem papel de ‘mãe’. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas será que o nosso presidente sabe quem é o pai?. Se é conhecido, ou não? Ou o pai é o padrasto?

Constatação XI

Também deu na mídia: “Nos bastidores, Sarney já avalia deixar o cargo”. Data vênia, como diriam nossos juristas, mas Rumorejandoacha que, salvo membros da família e alguns amigos, ele não deixará saudades…

Constatação XII

Ainda a mídia: Lula diz que os economistas deveriam fazer um mea culpa”. Data vênia, mais uma vez, mas Rumorejando acha que só os economistas. Os políticos, não. Estes deveriam ser banidos para dar lugar a algum esquema de participação da Sociedade no assim chamado processo democrático, já que os políticos apenas representam o interesse deles mesmos.

Constatação XIII

“Cientistas australianos descobrem porque balançamos os braços ao caminhar”. Quanto ao fato das mulheres graciosamente rebolarem quando andam, nada foi pesquisado. Provavelmente, porque sim e tá acabado.

Constatação XIV

Deu na mídia: “Conselho de Ética já recebeu 11 ações contra Sarney”. Só??!!

Constatação XV

Atlético e Paraná têm trocado constantemente de técnicos. Mas pelos resultados que os dois times vêm alcançando dá a impressão que eles estão trocando entre eles mesmos…

Constatação XVI

Será que o esforço de se eleger vem do fato que para deputados e senadores a lei é diferente do que para os simples mortais? Quem souber a resposta, por favor, cartas por correio eletrônico. Obrigado.

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES por juca (josé zokner) / curitiba

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Deu na mídia: “Papa pede que fiéis com problemas econômicos tenham fé”. Data vênia, como diram nossos juristas, masRumorejando acha que ao invés de pedir aos fiéis que tenham fé, seria melhor que o Sumo Pontífice pedisse uma moratória, em nome dos fiéis aos seus respectivos credores.

Constatação II

Data vênia, etc., mas Rumorejando acha que no Senado da República não havia Diretor-Geral, mas sim Ditador-Geral e que, depois, foi alçado à condição de Secretário Geral para Assuntos Secretos…

Constatação III

E como se sentia desorientado aquele ex-ativista: “A gente pode se desencantar com a Esquerda, mas não dá para se encantar com a Direita. Ficar no Centro é filhadapu…ce.

Constatação IV (Pseudo-fanatismo, com tendências a corno).

Chegou

Resfolegante

No doce lar.

-“Está apurado?”

Perguntou,

Rindo à-toa,

Maldosamente,

A patroa.

Coitado!

-“Não é isso”,

Contestou

De modo elegante.

-“É que o meu Paraná,

Talvez

Graças a um Orixá,

Passou,

Milagrosamente,

A ganhar,

Mais de uma vez.

E ele vai agora jogar

Contra o Guaratinguetá

Ou o Fortaleza,

Ou o Ceará.

Sei lá!

-“Que beleza!”

-“Que torcedor

Você me saiu!”

E que amante!

Você nem viu,

Nem reparou

Que eu estou

Nua, perfumada,

Almejante,

Enfim,

Preparada,

Querendo,

Pretendendo

Fazer amor?

Coitada,

De mim!”

Constatação V (E já que falamos no assunto).

Surgiu um zunzum,

Um vavavá*

Que o meu Paraná

Ganhou outra porfia,

Mesmo com apatia,

Ou foi o contrário:

Perdeu de menos um

Adversário?

*Vavavá 1. barulho de vozes; algazarra, gritaria

2. agitação, alvoroço, tumulto. (Houaiss).

Constatação VI

Deu na mídia: “FGV: renda maior não alavanca qualidade de vida no Nordeste. O estudo apresenta amplo diagnóstico das mazelas e conquistas socioeconômicas dos nove Estados nordestinos, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe, entre os anos de 2001 e 2007”. Piauí e Maranhão foram os que apresentaram piores índices de desenvolvimento. Ainda a mídia, coincidentemente ou não, apresentou a seguinte informação: ‘Não sei por que esse bombardeio’, diz o senador Paulo Duque, novo presidente do Conselho de Ética, aliado do senador José Sarney, que tem a tarefa de investigar o presidente do Senado. Quem souber a razão do bombardeio, por favor, cartas diretamente e não através de Rumorejando, ao senador Paulo Duque…

Constatação VII

Madona e Jesus Luz não estão mais juntos, diz o jornal Daily Mail. Taí mais uma notícia de transcendental importância para o futuro da Humanidade!

Constatação VIII

Foi a formiga, montada no boi que disse para ele: “Veja quanto nós já puxamos o arado. Já vai dar para semear nesta área para o cultivo da próxima colheita. A cigarra nem se deu conta disso porque ela só fica cantando”.

Constatação IX

Este neto do senador José Sarney na gravação da conversa que teve com o pai, ao fazer troça de não aparecer para trabalhar, ganhando um salário de cerca de sete mil reais, revelou que tem o perfil das elites dirigentes, podendo, logo, logo exercer um cargo importante no nosso país.

Constatação X (De um pseudo-soneto, da série iniciada na semana passada: “Ah, o amor…”)

Você se despe na minha frente,

Fazendo surgir teus encantos

Eu fico com olhar nada inocente

E te cubro com beijos como se fossem mantos.

Teus arrepios ao beijar teu pescoço

Ao te abraçar fortemente por detrás

Você tenta se desvencilhar com alvoroço

E eu impeço que você seja capaz.

Você me sussurra “espere” e me pede calma,

Mas quem pode ficar calmo nessa hora

Com esse turbilhão todo que vai pela alma?

Diante da doce visão que me é dado a ver

A vazão do amor tem que ser já, já. Agora!

Depois? Ah, depois! Corre-se o risco de morrer.

Constatação XI

Com relação ao pseudo-soneto da constatação anterior, vale lembrar que a mídia noticiou: “governo vai comprar vacina contra gripe suína para 2010”. Será que não é muito temporão? Não se corre antes o risco de morrer? (Perdão, leitores).

Constatação XII

O sorriso da aeromoça

Era tão profissional.

E ela era tão insossa,

Tão amuada

Que parecia

Que nela não havia

Nem um pouco de sal.

Coitada!

RUMOREJANDO. (Parentes com verba da Câmara viajando. Dúvida crucial: Será que eles não acham que estão nos roubando?) 19.04.09

PEQUENAS CONSTATAÇÕES, NA FALTA DE MAIORES.

Constatação I

Rico é caloroso; pobre, nebuloso.

Constatação II

Rico ganha cafuné; pobre, pontapé.

Constatação III

Ao gracejo

Ela respondeu,

Rapidamente,

Como um meteoro,

Com um sonoro

Bocejo

Tão-somente.

Aí ele perdeu

O rebolado.

Coitado!

Constatação IV

Com relação ao seu pedido de aumento,

Alegando a vinda próxima de um rebento

E o substancial e exagerado aumento

Do aluguel do seu apartamento,

Tenho a informar o seguinte argumento,

Que se refere ao posicionamento

Do meu Departamento:

Ultimamente o seu comportamento

De incitar os colegas a um movimento

De paralisação por um momento

Ou os trabalhos de retardamento

Da entrega das partidas de cimento

Revelando descumprimento

Da política de nosso enriquecimento,

Obriga-me a recusar o seu intento.

Sinceramente lamento.

Sem mais para o momento,

Apresento meu respeitoso cumprimento.

Antônio dos Anjos Sarmento

Ex – Primeiro Sargento

Do 2º. Batalhão de Provimento.

Constatação V

Aquele edifício,

Onde habitava

Gente não pontifícia,

Parecia um dentifrício:

Numa batida da polícia,

Rolava nada de carícia,

Pois ela apertava

A caterva

Aí, saía muita erva.

Nada a ver com erva-mate

O que seria um disparate,

Pois tomar um simples chimarrão

Absolutamente não é infração.

Constatação VI(Ah, esse nosso vernáculo ou como ensinar o a, e, i, o, u versejando, preferencialmente, para adultos).

Por causa de um perjúrio

De um mau augúrio

O cartorário

Teve um delírio,

Condenatório,

O que foi um martírio,

Além de um mistério

Que seu itinerário

Para o purgatório

Antes passava pelo cemitério.

Constatação VII

Encheu o bandulho

Com uma macarronada

Antes de visitar

A namorada.

A barriga se pôs a fazer barulho,

A roncar

Bem na hora de beijar

A idolatrada

A tão amada

Que caiu na risada

O que fez o encanto

Esmorecer.

Ficou chateado.

Tava nas preliminares

Naquela sublime ação

Da bolinação

Que afasta até azares

E que deveria acontecer,

Ou que se supõe suceder

Em todos os lares.

Pra não enroscar,

Já tinha tirado

Até os anéis e colares.

Teve que recomeçar

Com novo canto,

Com novos cantares.

Coitado!

Constatação VIII (Uma historieta).

A família era constituída pela mãe, o pai e quatro filhos, duas meninas e dois meninos. Tinham o habito de comerem todos juntos, ao contrário do que vem acontecendo na maioria das famílias. Mas isso já é outra história ou historieta que absolutamente, agora, não vem ao caso. A mãe mandou fazer uma mesa sextavada. Assim, cada um dos componentes sentava num dos lados do hexágono, no seu lugar já consagrado. Um dia, a filha mais velha trouxe o namorado para jantar. Era o professor da academia de ginástica, do tipo dois metros de altura por dois metros de largura. Quando começaram a comer, depois de dar um jeito de encaixar o namorado na mesa, se deram conta que teriam, nas próximas vezes, tirar os outros três filhos para irem comer na cozinha. É que o namorado comia com os cotovelos formando 90º com o corpo. Coitado! Coitados!

Constatação IX (Teoria da Relatividade para principiantes).

É muito melhor ter os olhos de rato e o sorriso da Mona Lisa do que os olhos da Mona Lisa e o sorriso de rato.

Constatação X (Pergunta ao meu amigo, o professor Luiz Gonzaga Paul).

Por que palavras como período, bugio, vazio e tantas outras a letra o tem o som de u?

Constatação XI (De diálogos tipo mea culpa).

-“A minha mulher é uma santa!”

-“Por que? Ela faz milagres?”

-“Sim. Ela faz o milagre de me aturar”.

-“Ah!”

Constatação XII

O eterno cordato

Acaba virando

Um pato

De quando em quando?

Constatação XIII

“Sinergia”, explicava o obcecado para a sua mais recente conquista, “é dizer sim com toda a energia para as minhas benévolas propostas”

Constatação XIV (De diálogos meio confusos e consequentemente pouco esclarecedores).

-“Ela tirou o corpinho. Revelou assim todo o seu antológico corpinho. Que eu cobri com o meu corpão”.

-“Cobriu o corpinho ou o corpinho?”

-“O corpinho”.

-“Ah, bom!”

Constatação XV

Era um político duplamente baixo: De altura e de propósitos.

Constatação XVI

E como poetava aquele filho para a sua – dele – intrometida mãe: “Não me impinja uma calipígia como é o caso da Ligia; não infrinja meu direito de escolha. Não seja bolha”.

E-mail: josezokner@rimasprimas.com.br